Clicky

4G LTE faz Neoenergia avaliar 5G para missão crítica no Brasil

Por Ana Paula Lobo e Pedro Costa ... 17/07/2020 ... Convergência Digital

A transformação digital da Neoenergia no Brasil virou um exemplo para o grupo Iberdrola no mundo. Tanto que o projeto 4G LTE privado, que entrará em pleno funcionamento ainda este mês, quando será iniciada a operação da última das seis torres na região de Atibaia, em São Paulo, está servindo de piloto para todas as distribuidoras do grupo, conta em entrevista ao Convergência Digital, o superintendente de Smart Grids da Neoenergia, Heron Fontana.

O 4G LTE privado não funciona como a principal rede para as atividades da Neoenergia, e sim como backhaul, infraestrutura para agrupar os dados e enviá-los para os escritórios da distribuidora, em Atibaia ou em Campinas. O uso da rede 4G beneficiará inicialmente os 75 mil consumidores da Neoenergia, por meio da distribuidora Elektro, nas cidades de Atibaia, Bom Jesus dos Perdões e Nazaré Paulista. A distribuidora teve autorização da Anatel para fazer o projeto em 3,5GHz.

"O 3,5GHz é bom? ele foi uma oportunidade. Mas o nosso interessante é maior nas faixas subgiga, por conta do serviço de missão crítica", aponta Fontana. O executivo também adianta que vai avaliar como será o leilão do LTE privado no 4G e não descarta a possibilidade de compartilhar sites, acesso, torre e frequência com as operadoras.Sobre o leilão 5G, Fontana diz que vai avaliar, principalmente, se houver o espectro dedicado. "A baixa latência é essencial nos projetos para ter serviços em tempo real".

O executivo fala ainda da possível massificação, enfim, dos medidores inteligentes e argumenta que eles são cruciais. "Nao há veículo elétrico sem medidor inteligente, sem rede de baixa latência", exemplifica Fontana. Também conta o impacto do projeto SISCON, que está mudando o coração da rede da Neoenergia.

"É como trocar o ERP da companhia com ela funcionando e numa pandemia", ressalta. A iniciativa vai envolver o novo Sistema de Controle da empresa, unindo tecnologia e mudança de processos para aprimorar a gestão das redes elétricas de suas concessionárias – Coelba (BA), Celpe (PE), Cosern (RN) e Elektro (SP/MS) –, beneficiando mais de 14 milhões de clientes.  Fontana também fala do uso do WiMAX, em Fernando de Noronha, e da implantação de rede de fibra ótica própria no Recife e no Guarujá. Assistam a entrevista com o superintendente de smart grids da Neoenergia.


Internet Móvel 3G 4G
Governo e teles negociam um piloto 5G standalone

O anúncio foi feito pelo ministro das Comunicações, Fábio Faria. Segundo ele, seriam 20 pontos em todo o Brasil e outros ministérios participariam como o da Agricultura e o de Infraestrutura. "Queremos testar antes mesmo do leilão como funciona o 5G standalone. As negociações estão em andamento", disse.

Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Ganho global com Wi-Fi e Wi-Fi 6E chega a R$ 26 trilhões até 2025

Estudo destaca que o uso total da faixa de 6 GHz, com 1200 MHz para sistemas não licenciadas servirá como condutor de crescimento a taxas anuais de 150%. Também será essencial para o impulso da Internet das Coisas.

Veja mais matérias deste especial    •    Inscrição gratuita - Clique aqui

CVM cobra Telebras que anuncia renovação por 10 anos de contrato com Eletrobras

Acordo vale para o uso de fibras óticas e infraestrutura de telecomunicações com a Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf), Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A (Eletronorte) e Furnas Centrais Elétricas S/A (Furnas). Estatal teve movimentação atípica de ações.

Minicom: “Queremos o 5G standalone, que é o 5G de verdade, não um 4G plus”

Ao concluir viagem à Europa e Ásia para falar com fabricantes de equipamentos, o ministro das Comunicações, Fabio Faria, avisou que o governo também defende a exigência do release 16 do 3GPP no leilão da quinta geração. 

Claro e Vivo se isolam contra a exigência do 5G pleno

TIM, provedores regionais, pequenos prestadores e operadoras competitivas reforçaram aos parlamentares que 5G pleno não custa mais nem atrasa implementação no Brasil.

Anatel publica regras para fim das concessões de telefonia

Regulamento de Adaptação do STFC traz prazos e procedimentos para Oi, Telefônica, Claro, Algar e Sercomtel decidirem sobre a migração do regime público para privado. 




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G