NEGÓCIOS

Itaú dispensa 'maquininha' e lança carteira digital para pagar e receber pelo celular

Convergência Digital* ... 13/05/2019 ... Convergência Digital

Depois de acirrar a guerra das maquininhas, com uma agressiva campanha da Rede, o Itaú Unibanco, agora, dispensa a 'maquininha' e lança uma plataforma para pagar e receber só pelo celular. A solução também dispensa os cartões de crédito e débito.

Segundo o Itaú Unibanco, o iti entrega vantagens tanto para quem compra como para quem vende. Os pagamentos podem ser realizados em estabelecimentos comerciais ou entre usuários de maneira instantânea, 24 horas por dia, por meio de QR Codes. A plataforma, que dispensa o uso de maquininha e cartão físico, também garante aos lojistas, autônomos e empreendedores o recebimento de suas vendas na mesma hora.

“Estamos transformando o nosso modelo de negócio. Ter o iti será a maneira mais fácil e barata para um indivíduo, seja ele bancarizado ou não, receber e transferir seus recursos. Queremos ser protagonistas nessa construção de uma sociedade mais tecnológica, empreendedora e inclusiva”, afirma Márcio Schettini, diretor geral de Varejo do Itaú Unibanco.

Por ser uma plataforma 100% digital, sem necessidade de tangíveis e desvinculada do atendimento em agências, o iti permite uma redução significativa das taxas cobradas pelas transações dos lojistas e promete um novo patamar de preços no concorrido mercado de recebimentos e contas digitais.

Outro diferencial da plataforma é que ela será aberta. “Nossos clientes terão absoluta liberdade para entrar, sair e escolher com quais instituições querem se relacionar. Em nosso aplicativo, pagadores podem cadastrar cartões de crédito de qualquer instituição financeira ou creditar valores para qualquer conta bancária. Não é preciso ter cartão ou conta corrente Itaú para usar o iti. Ele está aberto para todos os brasileiros”, explica Livia Chanes, diretora e uma das idealizadoras do iti.

O iti foi concebido para ser uma plataforma digital simples de serviços financeiros ancorada numa conta digital, mas não vai parar por aí. Em breve, contará com produtos e soluções de crédito, investimentos, seguros, cartão de crédito e muito mais. Lançamento comercial está previsto para julho.

Como funciona:

Em poucos minutos o usuário pode ter acesso à plataforma. Primeiro, é preciso baixar o aplicativo gratuitamente e depois fazer o cadastro com alguns dados básicos, sem necessidade de comprovação de renda.

Em seguida, ele pode adicionar dinheiro à sua conta iti por meio de uma transferência ou pagando, onde ele quiser, um boleto gerado sem custo no próprio aplicativo. Após essa etapa, basta apontar a câmera do celular para o QR Code® para realizar pagamentos ou transferências gratuitas selecionando um contato na agenda. Também é possível cadastrar na plataforma cartões de crédito de qualquer instituição para pagar ou transferir.

Com o iti carregado, não é preciso carteira para sair de casa. Nem maquininha para fazer negócios. Os recebimentos dos lojistas também podem ser transferidos para

qualquer instituição financeira ou permanecer no iti, já que com a plataforma não é necessário ter conta em banco.

O iti estará disponível para smartphones iOS e Android já no terceiro trimestre de 2019 e promete evoluir constantemente de acordo com o retorno dos usuários.


Cloud Computing
Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

“A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços”, afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco.  Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

ARTIGO . Por Melissa Torgbi

Cientista de dados: seja curioso, se envolva e tenha muita disposição para resolver problemas

Há muita empolgação acerca do termo “ciência de dados” atualmente. Para nós que queremos ser cientistas de dados, há alguns requisitos. Um deles: ter muita, mas muita vontade de aprender o tempo todo.

Unicórnio brasileiro avança operações de pagamento para décimo país

Ebanx anunciou que também vai processar pagamentos no Uruguai. "Unicórnio" com mais de US$ 1 bi, empresa está também no México, Colômbia, Argentina, Chile, Peru, Bolívia, Equador e Uruguai, além do Brasil.

Finplace amplia em mais de 200% a oferta de crédito para PMEs

Criada no final do ano passado, a plataforma já movimentou mais de R$ 50 milhões e contabiliza 108 financiadores e uma carteira com mais de 500 clientes.

Se a bitcoin fracassar, o blockchain morre abraçado

FastBlock, empresa brasileira especializada em mineração por serviço, compra data center nos EUA para acelerar a mineração das criptomoedas. Ao Convergência Digital, o CEO Bernardo Schucman, adverte: Brasil não abre espaço à inovação. Sobre a credibilidade da bitcoin, o executivo diz que o estigma é concorrencial. "O velho mundo rejeita o novo. Golpes existem desde sempre. O que é a gangue do boleto?".

No Brasil, 65% das empresas estão bem longe das regras da LGPD

Índice LGPD ABES mostra ainda que 40% das companhias brasileiras sofreram incidentes de violação nos últimos dois anos e 80% assumem que fazem, sim, coleta de dados sigilosos. "Não há mais tempo a perder", adverte o consultor da EY, Marcos Sêmola.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G