GESTÃO

TCU cobra acesso aos bancos de dados da Receita Federal

Luís Osvaldo Grossmann ... 28/05/2020 ... Convergência Digital

O Tribunal de Contas da União iniciou um novo processo de monitoramento das ações da Receita Federal com vistas à garantia do compartilhamento de dados, tema de queda-de-braço dos últimos quatro anos entre as instituições. 

O objetivo é ter acesso automático aos dados fiscais. Ou, como descrito pelo TCU, “a ação conjunta entre os dois órgãos para operacionalizar o compartilhamento de dados deverá buscar a automatização das formas de acesso, que ‘assegure autenticidade, integridade, registro de acessos e rastreabilidade’”. 

O Tribunal de Contas reclama que “ao menos, 122 trabalhos de auditoria e fiscalização realizados pelo Tribunal na Secretaria da Receita Federal e foram prejudicados pela recusa daquela Secretaria em fornecer as informações solicitadas por esta Corte. Em decorrência da negativa da SRF em prestar informações ao TCU, R$ 5,75 trilhões, por ano, não são auditáveis pelo Tribunal”. 

Desde meados de 2019, o Ministério da Economia e o TCU costuraram um entendimento. Em janeiro, um Decreto presidencial (10.209/20) regulamentou o compartilhamento de informações protegidas pelo sigilo fiscal à Controladoria Geral da União e, “no que couber”, ao próprio TCU. 

“A implementação desta, e de outras medidas, permitirá o compartilhamento e a análise de informações sensíveis, e exigirá colaboração intensa do corpo técnico das instituições envolvidas, uma vez que o desenho do processo de trabalho deverá considerar o tratamento de dados sensíveis e o manejo de centenas de sistemas hoje operacionalizados pela RFB”, diz o novo Acórdão do TCU.


Governo busca interesse dos órgãos federais em postos para carros elétricos

Acordo entre o governo federal e o governo do Distrito Federal já prevê a instalação de seis ‘eletropostos’, mas demanda pode aumentar esse número.

Governo chega à marca de 1 mil serviços públicos digitalizados

Desempenho mantém em curso a meta de digitalização total de 3,8 mil serviços até 2022. 

Intelit: Compras públicas têm de abrir espaço à inovação e às startups

O CEO da prestadora de serviços de TI, Lincoln dos Santos Pinto, observa que um processo de compra pública leva em torno de seis meses, o que atrasa a inovação. Sobre a venda do Serpro e Dataprev, lembra da LGPD e defende o Estado como tutor dos dados pessoais do cidadão.

Governo federal x sindicatos: Proibido o recolhimento da contribuição sindical dos servidores

Portaria publicada nesta segunda, 5/10, orienta sobre "impossibilidade de cobrança de contribuição sindical por parte do servidor público federal da Administração Pública federal direta, autárquica e fundacional".




  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G