Clicky

GOVERNO

Telebras aumenta capital em R$ 1,59 bilhão e cobra calote da FIFA

Convergência Digital* ... 01/11/2019 ... Convergência Digital

Na lista de privatização do governo Bolsonaro, a Telebras, em assembleia geral extraordinária dos acionistas, aprovou o aumento do capital em R$ 1,59 bilhão proposto pela diretoria da companhia. O aumento será feito mediante a capitalização de créditos da União no valor de R$ 1,512 bilhão. Após o aumento, a estatal passará a ter capital social de R$ 3,1 bilhões.

Serão emitidas 10.184.492 de ações ordinárias e 8.074.780 de ações preferenciais, todas nominativas, na forma escritural e sem valor nominal. O preço de emissão será de R$ 117,59 por ação ordinária e R$ 39,02 por ação preferencial, para subscrição privada.

A companhia ainda não definiu quando começará o prazo de 30 dias para que os atuais acionistas exerçam seu direito de preferência. “Após o prazo para o direito de preferência e o rateio de eventuais sobras pelos acionistas que manifestarem o interesse de adquirir ações não subscritas, será convocada Assembleia Geral para homologar o aumento de capital”. A medida é uma clara reação à decisão governamental de privatizar a companhia.

No final de setembro, a Telebras, também em comunicado ao mercado, expressou não ter condições de cumprir a ordem de fechamento de capital determinado pelo Governo Bolsonaro. Relatou ainda que se o governo realmente deseja ir adiante, precisará comprar as 49,6 milhões de ações da estatal no mercado, com custo em torno de R$ 5,5 bilhões.

Ao informar o mercado sobre a troca de comunicações, o presidente da Telebras, Waldemar Gonçalves Ortunho Junior, relatou à Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais que “eventual fechamento de capital deve ser precedido por uma oferta pública para adquirir a totalidade das ações em circulação no mercado, por preço justo, nos termos do artigo 4o, §4o Da Lei 6.404/76”.

CALOTE

A Telebras acionou ainda a Federação Internacional de Futebol (Fifa) na Justiça para receber R$ 9,2 milhões por serviços prestados durante a Copara do Mundo de 2014, realizada no Brasil. O processo foi impetrado pela Advogacia-Geral da União.

Segundo o comunicado à CVM, a Telebras e a AGU requerem “entre outras implicações” o pagamento de R$ 9.257.091, acrescidos de juros e correção monetária, contados a partir de 16 de dezembro de 2014, quando a Fifa reconheceu, em carta enviada ao então Ministério das Comunicações, a existência da dívida.

A Telebras foi escolhida, ainda em janeiro de 2013, para ser a operadora responsável por fazer o transporte dos dados da transmissão da copa para a federação desportiva durante o Mundial. No contrato celebrado, a Telebras alega que havia termo obrigando das receitas recebidas pela emissora fonte (HBS), contratada pela Fifa para fazer a transmissão televisiva. A estatal informa que a FIFA reconheceu a dívida por carta, mas que, até o momento, não houve o pagamento do serviço prestado.


Liminar suspende processo de liquidação do Ceitec pelo governo Bolsonaro

Justiça Federal no Rio Grande do Sul acatou pleito em ação civil pública e determinou a suspensão da assembleia que nomearia liquidante da estatal do chip, localizada em Porto Alegre.

Bolsonaro recoloca Jarbas Valente no comando da Telebras

Ex-conselheiro e vice-presidente da Anatel deixou a estatal para ser substituído por Waldemar Gonçalves Ortunho Junior, em abril de 2019, mas, agora, retoma à companhia com a nomeação do coronel para a direção da Agência Nacional de Proteção de Dados.

BNDES vai pagar R$ 8 milhões para preparar a venda do Serpro e da Dataprev

Consórcio vencedor reúne Accenture, a multinacional de RP Burson-Marsteller e o escritório Machado, Meyer, Sendacz, Opice e Falcão Advogados.

Governo alega prejuízo de R$ 10 bi e vai ao STF contra desoneração da folha

Benefício, que acabaria este ano, foi prorrogado para dezembro de 2021, por decisão do Congresso Nacional, que derrubou o veto do governo. A desoneração da folha é considerada essencial para as empresas de TI e Telecom. Governo diz que medida é inconstitucional.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G