TELECOM

Brasil precisa decifrar a transformação digital pelos smartphones

Por Roberta Prescott* ... 25/04/2019 ... Convergência Digital

“Quem decifrar primeiro o celular vai ganhar muito dinheiro”, destacou o professor da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP) Fernando Meirelles, durante a apresentação, nesta quinta-feira (25/4), dos principais resultados 30ª Pesquisa anual do uso de TI no Brasil. O pano de fundo para esta conclusão está na ascensão dos aparelhos celulares, com o Brasil tendo pouco mais de um smartphone e pouco menos de um computador por habitante, e a iminente transformação digital pela qual as empresas terão de passar.

Para Meirelles, ainda que tenham iniciativas voltadas para os aplicativos e o maior uso dos aparelhos móveis, as empresas ainda não decifraram todo o potencial dos celulares. “Você acha que Itaú e Bradesco usam direito?”, questionou fazendo referência às aplicações móveis. “A Siri está burra ainda. Estamos vendo a ponta da ponta do iceberg. A transformação digital pelo celular é o ponto chave que ninguém ainda decifrou”, resumiu.

Meirelles ressaltou que o fenômeno do smartphone é uma ruptura de migração muito forte e talvez a evidência mais forte disto é a dedicação do jovem usando os aparelhos celulares para acesso às redes sociais e games. A 30ª edição da pesquisa da FGV, que teve amostra de 2.602 médias e grandes empresas, mostrou que, em 2019, teremos 420 milhões de dispositivos em uso no Brasil, uma média de dois dispositivos digitais por pessoa. Segundo a definição da pesquisa, na categoria computadores entram desktop, notebook e tablet e dispositivos digitais contemplam smartphones e computadores.

A análise deste indicativo mostra que o mercado está saturado e o que vai direcionar a venda de novos aparelhos é a economia, mas aquisições serão muito mais por reposição que por compra de primeiro dispositivo. “Este fenômeno é muito recente. Em 2004, não tinha muito dispositivo digital, entre 2012 e 2016 decolou para valer e já estamos saturando”, explicou. O que direcionou o boom de compras foi, segundo Meirelles, a necessidade de usar os aparelhos para fazer tarefas como pagamento de contas, além do intenso uso dos brasileiros nas redes sociais.

Com isto, os smartphones se tornaram mais importantes que as televisões e hoje são vendidos quatro celulares a cada aparelho de televisão. São 230 milhões de celulares inteligentes (smartphones) em uso no Brasil. Adicionando os notebooks e os tablets o montante chega a 324 milhões de dispositivos portáteis em maio de 2019.

Em 30 anos de pesquisa, disse Meirelles, a base ativa de computadores está em uma curva acentuada para cima. Hoje, no Brasil há em uso 180 milhões de computadores, o que dá seis computadores para cada sete habitantes. “Há quatro anos, empurro para frente quando teremos um computador por pessoa”, disse, justificando que o índice não chega porque as pessoas estão comprando mais celulares que computadores e porque a vida útil dos PCs aumentou. A venda anual de computadores, depois de uma queda para 12 milhões em 2016 e 2017, a metade de 2013, subiu um pouco para 12.400.000 em 2018 e deverá crescer muito pouco em 2019.


Internet Móvel 3G 4G
Leilão 5G na Alemanha já supera 6 bilhões de euros

Licitação, que está na 10ª semana, superou todas as expectativas de arrecadação, mas provoca dúvidas sobre a capacidade financeira dos vencedores para investir na construção das redes.

Painel Telebrasil 2019
A 63ª edição do principal encontro institucional de lideranças do setor de telecomunicações e TICs acontecerá entre os dias 21 e 23 de maio de 2019, em Brasília. Saiba mais em paineltelebrasil.org.br
Veja o vídeo

Telefônica: gap digital é enorme no Brasil

Ao participar do Painel Telebrasil 2019, o presidente da Telefônica/Vivo, Christian Gebara, disse que  a empresa manterá os investimentos no Brasil, mas advertiu que é urgente criar um ambiente mais favorável aos investimentos. Gebara lembrou que 87% dos municípios brasileiros não contam com conexões acima de 34Mbps disponíveis.

Presidente do Senado quer votar marco de telecom até junho

"Estamos buscando o entendimento para ainda neste semestre resolvermos essa matéria e entregarmos ao Brasil a capacidade de investir R$ 20 bilhões, R$ 30 bilhões", disse Davi Alcolumbre às teles durante o Painel Telebrasil 2019.

Leilão do 5G inclui quatro faixas e será o maior da história da Anatel

Proposta que chega ao conselho diretor da agência elenca 3.600 MHz de radiofrequências para o leilão previsto para o primeiro trimestre de 2020. “Quanto maior a disponibilidade, menor será o custo de levar essa capacidade”, afirma o presidente da agência, Leonardo de Morais.

Anatel vai permitir que roteadores WiFi tenham potência maior

“Hoje temos uma limitação de 200 miliwatts na faixa de 5150 a 5350 MHz, limitando o uso apenas indoor, sendo que na faixa superior temos possibilidade de uso de até 1 Watt de potência. Plano é deixar esse limite flat”, explica o gerente de espectro da agência, Agostinho Linhares.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G