Home - Convergência Digital

Google entra na guerra da videoconferência e libera Google Meet de graça

Convergência Digital* - 29/04/2020

O G Suite vai disponibilizar o Google Meet, sua ferramenta avançada de videoconferências, de forma gratuita para todos que tenham uma conta G-mail ou qualquer outra conta de e-mail. O anúncio foi feito nesta quarta-feira, 29/04, em plena guerra dos gigantes Microsoft, Facebook, WhatsApp e a Zoom.

Os usuários poderão fazer encontros on-line com até 100 pessoas conectadas simultaneamente, sem limite de tempo (após 30 de setembro, a duração será ajustada para um máximo de 60 minutos). Para isso, basta ter uma conta do Google (se a pessoa não possui, basta criar uma -- não é necessário usar ou ter um Gmail). As videoconferências contam com as ferramentas do Meet, como modo de exibição dos participantes em blocos expandidos, legendas automáticas ao vivo - por enquanto, disponíveis em inglês, entre outras.

Empresas de todos os setores, como saúde, varejo e finanças, além de áreas como a educação e o setor público, estão recorrendo à tecnologia neste momento de isolamento. Agora, qualquer usuário poderá ter as facilidades e proteções que o Meet oferece. "Estamos no meio de uma mudança mundial muito significativa, que afeta a comunicação nos locais de trabalho e nas escolas, entre outros momentos e situações. As pessoas querem ferramentas fáceis de usar, e seguras, para que possam utilizar em diversas situações do dia a dia", explica Javier Soltero, VP de G Suite.

Recentemente, foram anunciadas melhorias como a detecção e diminuição de ruídos externos nas chamadas por vídeo, o ajuste automático de iluminação, entre outras novidades que poderão ser usufruídas por todos. "Estamos sempre ouvindo as principais necessidades de nossos usuários. O uso diário do Meet é hoje 30 vezes maior do que era em janeiro deste ano, o que demonstra a importância em se investir para melhor atender essa demanda", complementa o executivo.

"Nossa abordagem de segurança é simples: torne os produtos seguros por padrão", afirma Javier. O Meet foi criado para operar em uma base segura, fornecendo as proteções necessárias para manter os usuários e seus dados seguros e suas informações privadas. Dentre as medidas padrões tomadas pelo G Suite para o Meet, e seus outros aplicativos, estão:

Controle do moderador durante as videoconferências, contendo os logins nas ligações;

Proibição de acessos anônimos nas reuniões;

Complexos códigos de proteção das reuniões, evitando que sejam invadidas;

Não exigência de plugins e programas de extensão para o funcionamento do aplicativo;

Os usuários podem registrar suas contas no Programa de Proteção Avançada, eficiente contra phishings e perdas de contas; e

Certificações de conformidade globais;

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

14/07/2020
Justiça ordena Google a reativar sites da prefeitura de Poços de Caldas

10/06/2020
STJ transfere para agosto decisão de quebra de sigilo do Google Brasil

04/06/2020
Convenções partidárias para Eleições 2020 podem ser feitas por videoconferência

27/05/2020
Google abre temporada de cursos gratuitos sobre nuvem

25/05/2020
Time inglês quer usar Zoom para ter 2 mil torcedores na luta contra o rebaixamento

11/05/2020
MPF pede ao Google para tirar do ar vídeo de pastor vendendo feijão como cura da Covid-19

07/05/2020
Afetada por vazamentos de dados, Zoom compra empresa de criptografia

05/05/2020
STJ retoma julgamentos com uso de videoconferência

05/05/2020
Justiça diz que Google não é obrigada a avisar que vídeo da Porta dos Fundos pode ofender religiosos

29/04/2020
Google entra na guerra da videoconferência e libera Google Meet de graça

Destaques
Destaques

Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

Pesquisa da Omdia, ex-Ovum, em parceria com a Nokia, mostra que, nos próximos 15 anos, o 5G vai gerar R$ 5,5 trilhões para o País, sendo o governo beneficiado com o adicional de quase R$ 1 bilhão em receita com os serviços 5G.

Covid-19 fez smartphone virar agência bancária com 41% das transações financeiras

As transações bancárias feitas por pessoas físicas pelos canais digitais foram responsáveis por 74% do total de operações analisadas em abril, revela a Febraban.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site