Home - Convergência Digital

Governo retira Covid-19 da classificação de doença ocupacional

Convergência Digital - 02/09/2020


O Ministério da Saúde cancelou hoje, dia 2 de setembro, portaria publicada na última sexta-feira, dia 28, que classificava a Covid-19 como doença ocupacional. A medida foi comunicada em edição extra do Diário Oficial da União por meio da portaria nº 2.345, que tornou sem efeito a portaria nº 2.309.

A portaria original possibilitava que funcionários afastados por mais de 15 dias, passassem a receber auxílio doença acidentário da Previdência Social, além da estabilidade desse funcionário por um ano e direito ao FGTS no tempo de licença.

As empresas teriam que comprovar em eventuais processos que viessem a ser movidos por funcionários ou familiares de empregados com quadros graves da Covid-19, que o trabalhador não contraiu o coronavírus no ambiente de trabalho.

Especialistas, no entanto, lembram que o Supremo Tribunal Federal já decidiu, em abril, que a Covid-19 pode ser considerada doença adquirida no trabalho. A decisão dos ministros derrubou o artigo 29 da Medida Provisória (MP) n° 927, que dizia que a covid-19 não era doença ocupacional. Portanto ainda podem ocorrer disputas judiciais.

Confira a íntegra da Portaria nº 2.345. clique aqui

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

18/11/2020
Governo determina pagamento integral do 13º de quem teve jornada reduzida pela Covid-19

17/11/2020
Covid-19 ajuda e-mail na nuvem a desbancar e-mail tradicional

17/11/2020
Covid-19 repaginou o papel do PC e 5G entra na estratégia corporativa

12/11/2020
Pós-Covid: aberta a 1ª etapa de certificação de mentor internacional

09/11/2020
Maioria dos servidores públicos federais tem medo da volta ao trabalho presencial

09/11/2020
Por ordem do TCU, INSS inicia perícia por telemedicina

05/11/2020
Apenas 16% dos empregados em teletrabalho tiveram Internet paga pelos patrões

03/11/2020
Covid-19 impulsiona uso da nuvem e serviços de TI crescem 4,2% no 1º semestre

29/10/2020
Home office, com TICs à frente, provoca um salto de 236% nas negociações coletivas de trabalho

28/10/2020
Trabalho remoto agora é oficial na Algar Telecom

Diversidade e Ciência de Dados: um desafio ao Brasil

Mais mulheres precisam ocupar carreiras em Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática pelo bem do País, incentiva a embaixadora da Women in Data Science da USP (WiDS @USP), Renata Sousa.

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A confiança é ganha com mil atos e perdida com apenas um

Por Luis Banhara*

À medida que o conceito de trabalho se descola dos escritórios, mesmo que parcialmente, surgem novos desafios de segurança. A superfície de ataque foi ampliada.

Destaques
Destaques

Certificação é critério de seleção para encarregado de dados

Ainda que a LGPD não exija qualificação específica, o mercado busca profissionais com conhecimento na área. Formação pode custar até R$ 6 mil, observou Mariana Blanes, advogada e sócia do Martinelli Advogados, ao participar do CD em Pauta.

Teletrabalho: sem regulamentação, sem direitos, sem deveres, sem regras

Depois da nota técnica do MPT alertando para o direito à desconexão, Congresso tenta acelerar a votação dos PLs que tratam do tema, entre eles o PL 3915/20. O tema é complexo. IN 65, do governo federal, repassa os custos com tecnologia para os servidores no home office.

Ministério Público: Teletrabalho exige direito à desconexão

Ministério Público do Trabalho elaborou uma nota técnica direcionada para as “empresas, sindicatos e órgãos da administração pública”.  Na orientação, sugere a adoção de etiqueta digital para orientação de patrões e empregados.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site