GOVERNO » Compras Governamentais

Governo vai às compras para multinuvem para órgãos federais

Luís Osvaldo Grossmann* ... 13/08/2020 ... Convergência Digital

O Ministério da Economia abriu uma nova Intenção de Registro de Preços para a contratação de empresa para prestar serviços de computação em nuvem no modelo de ‘cloud broker’, ou integrador de multinuvem. A principal diferença da primeira nuvem, que atende 25 órgãos, é que desta vez a aposta é em mais de um fornecedor de serviços de nuvem. Como já antecipou o secretário de gestão Cristiano Heckert ao Convergência Digital, os planos de contratação indicam um apetite preliminar que vai triplicar o uso atual de nuvem no governo. 

A IRP 16/20 trata de formalizar a adesão dos interessados. O pregão está desenhado em sete itens: Infraestrutura como Serviço (IaaS); Plataforma como Serviço (PaaS); Software como Serviço (SaaS); Gerenciamento e Operação de recursos em nuvem; Migração de Recursos Computacionais; Migração de Banco de dados; e Treinamento. Segundo a secretaria de gestão, a unificação do processo de compra deve gerar uma economia de R$ 60 milhões. 

“Os planos de contratações elaborados no último ano pelos órgãos revelaram a existência de 198 iniciativas para a contratação deste tipo de serviço em nuvem. Nós vamos centralizar o processo e realizar somente uma contratação, o que irá reduzir em R$ 4,7 milhões os custos processuais ao não realizar diversas licitações", explica o secretário de Gestão do ME, Cristiano Heckert. "Além disso, vamos diminuir os gastos do governo com infraestrutura de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) em R$ 55,4 milhões com o ganho de escala em função da centralização, demonstrando, assim, a busca do governo pela eficiência em sua gestão", complementa o secretário.

Os órgãos interessados em participar têm até 27 de agosto para confirmar sua adesão ao processo centralizado de compra. “Nossa previsão é que na 2ª quinzena de dezembro os contratos sejam assinados", indica Heckert. A partir da data de assinatura, os contratos terão prazo de vigência de 24 meses.

O órgão interessado deverá registrar sua demanda exclusivamente por meio do Portal de Compras. Além disso, deve encaminhar a planilha de dimensionamento do volume a ser contratado para o e-mail central.tecnologia@planejamento.gov.br.

Para orientar os gestores e servidores públicos, em 20 de agosto, às 10 horas, o Ministério da Economia vai fazer uma apresentação online, via YouTube, para explicar a medida. 

* Com informações do Ministério da Economia


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

MCTI e MCom vão compartilhar orçamento até 2021

Portaria interministerial foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União. Até junho de 2021, os recursos serão compartilhados e será criado um Centro de Custos para a divisão dos gastos entre os dois ministérios, até a definição do orçamento de 2021.

TICs ganham fôlego com retirada do pedido de urgência da reforma tributária

Decisão agrada as empresas de software e serviços e ao mercado de telecomunicações. Isso porque a proposta de unificação do PIS e da Cofins, com elevação da alíquota para 12%, seria prejudicial para o setor, que pagaria ainda mais imposto.

Governo restringe o que ministros e secretários podem falar sobre estatais

Decreto altera o Código de Conduta da Alta Administração Federal para vedar divulgação de “informação que possa causar impacto” nas ações ou relações com consumidores, mercado e fornecedores. 

Consulta sobre estratégia nacional de propriedade intelectual é prorrogada até 13 de setembro

Proposta aborda uso da PI na competitividade e disseminação do conhecimento, além da governança institucional, marcos legais, segurança jurídica, inteligência e a inserção do Brasil no sistema global.

Telebras corta previsão de receita em mais R$ 50 milhões

Estimativa no começo do ano era de uma receita operacional - mesmo tendo passado a ser uma estatal dependente do orçamento fiscal - de R$ 383,64 milhões. Agora, a estatal reduz o valor R$ 330,62 milhões.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G