Home - Convergência Digital

5G será o último 'G', decreta Vodafone

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 06/06/2019

Prestes a lançar ofertas comerciais de 5G no Reino Unido, movimento marcado para 3 de julho, a Vodafone promoveu um encontro sobre o futuro das redes e o vice presidente de tecnologia da operadora, Scott Petty, disparou contra o que chama de mitos da nova tecnologia. 

“Um mito é a maior densidade, ou seja, a ideia de que é necessário instalar mais sites para 5G do que para 4G. Isso simplesmente não é verdade na forma como estamos desenvolvendo o 5G, com uso de bandas médias e baixas do espectro. É possível construir uma rede fantástica de 5G com o mesmo número de estações radio-base”, afirmou. 

Segundo Petty, essa relação está associada à pouca disponibilidade de espectro em bandas baixas e médias nos Estados Unidos, o que leva às operadoras americanas a depender muito mais das ondas milimétricas, que permitem maiores velocidades, mas não favorecem a cobertura. 

No mesmo encontro, o chefe da área de redes da operadora britânica, Andrea Dona, sugeriu que a passagem para o 5G será a última geração da telefonia móvel. “Estamos na vanguarda tecnológica, na ponta, e nem percebemos. É possível dizer que será o último G”, defendeu. 

Isso depende, insistiu, de como as operadoras aderirem à forma como a nova tecnologia foi concebida, sem apelar para atalhos para apresentar suas ofertas. Segundo ele, a indústria sempre foi monolítica no 2G, 3G e 4G, mas que o 5G é mais aberto e usa padrões que já nascem “para aceitar a existência de diferentes tecnologias”, como small cells e WiFi, o que faz a nova geração à prova de futuro. 

Os executivos disseram que o 5G da Vodafone será lançado após três anos de desenvolvimento e aportes de 2 bilhões de libras – cerca de R$ 10 bilhões. Entre os planos, a empresa pretende em no máximo três anos desligar a rede 3G. Mas adianta que o 2G será mantido, especialmente para conectividade para a internet das coisas. 

* Com informações da Mobile World Live

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

23/08/2019
América Latina tem menos de 20% de espectro disponível para novos serviços móveis

21/08/2019
5G vai chegar a quase 60% da população em 2025

18/08/2019
Trump é pressionado e anuncia novo prazo para a Huawei atuar nos EUA

14/08/2019
MCTIC convoca reunião para tratar de interferência do 5G nas antenas parabólicas

14/08/2019
5G e Internet das Coisas são prioridades para os países do BRICS

10/08/2019
Huawei confirma investimento de R$ 3,2 bilhões até 2022 em São Paulo

09/08/2019
Huawei diz considerar instalar uma fábrica em São Paulo

08/08/2019
Leilão 5G: Empresas menores pedem lotes regionais de espectro

08/08/2019
Bloqueio à Huawei impacta venda de smartphones. Mercado só recupera com 5G

30/07/2019
GSMA acusa órgãos dos EUA de espalhar 'desinformação' sobre 5G em ondas milimétricas

Destaques
Destaques

Escassez de talentos e complexidade travam projetos de Internet das Coisas

Estudo global mostra ainda que quase 30% das provas de conceito falham por conta de implementação cara e da falta de profissionais capacitados. A segurança segue sendo desafiadora.

TIM supera rivais em disponibilidade e latência 4G. Claro lidera em velocidade de download

Relatório da OpenSignal mostra que a disponibilidade do sinal 4G melhorou no Brasil com o uso da faixa de 700 Mhz.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

O potencial pouco explorado da Internet das Coisas

Por Daniel Kriger*

A grande mudança que a Internet das Coisas (IoT – Internet of Things) trará para a vida das pessoas está além da facilidade de se preparar um café, programar um banho quente ou economizar na conta de luz. Dar conectividade a objetos e abrir espaço para comandos inteligentes em inúmeras tarefas do dia a dia é um dos principais propósitos de IoT. Mas não é só isso.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site