NEGÓCIOS

Smartphones e tablets aumentam demanda por certificados digitais

Luís Osvaldo Grossmann ... 01/08/2016 ... Convergência Digital

O Instituto Nacional de Tecnologia da Informação tem um grupo de trabalho estudando uma regulamentação específica para certificados digitais em dispositivos móveis. Segundo o diretor de infraestrutura de chaves públicas do ITI, Maurício Coelho, depois de um novo recorde na emissão de certificados em 2015, há sinais de que smartphones e tablets começam a se tornar um fator específico de demanda. 

“A demanda por uso de certificados em dispositivos móveis começou há alguns anos e a gente tem estudado uma regulamentação especifica para esses dispositivos. Mais do que simplesmente criar um certificado mobile, como marketing, temos um grupo que está estudando isso para ver se há questões técnicas de segurança, de interoperabilidade, que proporcionem uma regulamentação específica para esses dispositivos”, explicou o diretor durante transmissão ao vivo nesta segunda, via página do ITI no Facebook. 

Segundo ele, por ora o mercado está trabalhando com certificados tipo A1 ou A2 para esses aparelhos – até porque a necessidade de acoplar um leitor externo torna o uso do A3 menos popular nesses casos (ao contrário das emissões em geral, onde predomina). 

Segundo o diretor do ITI, o uso do certificado digital em celulares e tablets “é uma virada de jogo”, visto serem equipamentos de uso constante. “Se pudermos trazer nessa facilidade o universo do certificado digital, vai trazer uma aceitação mais fácil para o usuário. E a gente percebe pelas aplicações que isso já está acontecendo”, disse Maurício Coelho. 

Como apresentou o diretor do ITI, 2015 foi o ano com maior emissão de certificados digitais – foram 3,28 milhões, número 28% superior ao registrado em 2014. A previsão é de nova alta em 2016, embora mais modesta, na casa dos 5%. “A expectativa é que feche ano de 2016 com 3,4 milhões de certificados”, indicou. 


ARTIGO . Por Melissa Torgbi

Cientista de dados: seja curioso, se envolva e tenha muita disposição para resolver problemas

Há muita empolgação acerca do termo “ciência de dados” atualmente. Para nós que queremos ser cientistas de dados, há alguns requisitos. Um deles: ter muita, mas muita vontade de aprender o tempo todo.

Unicórnio brasileiro avança operações de pagamento para décimo país

Ebanx anunciou que também vai processar pagamentos no Uruguai. "Unicórnio" com mais de US$ 1 bi, empresa está também no México, Colômbia, Argentina, Chile, Peru, Bolívia, Equador e Uruguai, além do Brasil.

Finplace amplia em mais de 200% a oferta de crédito para PMEs

Criada no final do ano passado, a plataforma já movimentou mais de R$ 50 milhões e contabiliza 108 financiadores e uma carteira com mais de 500 clientes.

Se a bitcoin fracassar, o blockchain morre abraçado

FastBlock, empresa brasileira especializada em mineração por serviço, compra data center nos EUA para acelerar a mineração das criptomoedas. Ao Convergência Digital, o CEO Bernardo Schucman, adverte: Brasil não abre espaço à inovação. Sobre a credibilidade da bitcoin, o executivo diz que o estigma é concorrencial. "O velho mundo rejeita o novo. Golpes existem desde sempre. O que é a gangue do boleto?".

No Brasil, 65% das empresas estão bem longe das regras da LGPD

Índice LGPD ABES mostra ainda que 40% das companhias brasileiras sofreram incidentes de violação nos últimos dois anos e 80% assumem que fazem, sim, coleta de dados sigilosos. "Não há mais tempo a perder", adverte o consultor da EY, Marcos Sêmola.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G