TELECOM

Governo e Anatel: Oferta de Vivo/TIM pela Oi móvel ajuda retomada

Luís Osvaldo Grossmann ... 11/03/2020 ... Convergência Digital

Embora com ressalvas de que uma negociação está apenas começando e não há efetivamente nada concreto anunciado, a intenção declarada de compra da operação móvel da Oi por uma proposta conjunta de Vivo e TIM tem um certo respiro de alívio pelo potencial impacto na capitalização de uma empresa relevante, mas que ainda está às voltas com um processo de recuperação judicial. 

“Estamos felizes com a questão da Oi, que está encontrando solução para seu problema de endividamento. Essa é nossa postura agora. A gente está deixando para a Anatel avaliar a competição. Não estamos fazendo esse juízo de valor ainda, até porque é apenas uma proposta”, afirma o secretário de telecomunicações do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Vitor Menezes. 

Segundo ressalta o presidente da Anatel, Leonardo Morais, competição é exatamente o ponto mais importante a ser analisado caso a compra passe do campo das possibilidades para uma efetiva negociação. “Ainda não temos um caso concreto”, ressalta. 

“O mercado brasileiro tem um dos maiores graus de competição e queremos que isso seja mantido. Por isso há a preocupação de que uma conformação de mercado possa levar, seja no curto, médio ou longo prazo, a um duopólio. Porque isso não favoreceria a diversidade de ofertas nem a rivalidade existente hoje. Caso seja formalizada essa operação, vai passar por uma analise bastante criteriosa”, afirma o presidente do órgão regulador. 

Há outros elementos que temperam o tema. Afinal, a Claro, que acaba de comprar Nextel, estaria dando sinais de que não pretende facilitar o movimento dos concorrentes ao, no mínimo, valorizar o ativo à venda colocando-se como mais um interessado. Até aqui, uma avaliação divulgada pelo banco BTG Pactual calculou a Oi Móvel em cerca de R$ 15 bilhões. 

A disputa entre outros interessados não só nos clientes, mas sobretudo nas radiofrequências da Oi, é questão importante especialmente no contexto da recuperação judicial. A própria operadora já sinalizou ao regulador que a venda da operação móvel passaria por um leilão no mercado. E dentro da Anatel há quem entenda que isso seria quase uma imposição dos credores.

O movimento conjunto de Vivo e TIM, porém, busca superar uma barreira regulatória. Pelas regras em vigor, as operadoras não podem ter mais de 30% das frequências à disposição do Serviço Móvel Pessoal. Esse percentual pode chegar a 40%, mas nesse caso é preciso aceitar condicionantes impostos pela agência – linha divisória que as “sócias” no empreendimento tentam evitar. 


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

STF usa caso de lei paulista para cassar decisões sobre antenas no Rio, Minas e DF

Relator de três ações similares, Gilmar Mendes adotou o mesmo entendimento firmado pelo Supremo quando derrubou legislação estadual de São Paulo que restringia instalação de antenas de celular. 

Algar Telecom contabiliza aumento de 26% na carteira de clientes B2B

Operadora diz que não sentiu efeito da Covid-19 nos resultados do primeiro trimestre, mas reforçou o caixa como forma de precaução, com a emissão de R$ 150 milhões em debêntures em abril. O objetivo da captação foi garantir um colchão para “o cenário de incertezas”.

MPF quer que STF autorize acesso a dados de celular sem ordem judicial

Para MPF, é lícito extrair informações dos aparelhos no momento da prisão de suspeitos. 

Ericsson: Compartilhamento de espectro permite 5G às teles antes do leilão

Fabricante diz que, com as frequências do 4G é possível habilitar o 5G antes da licitação da faixa de 3,5GHz. Sobre o leilão 5G, a Ericsson diz que a decisão, ao final, será das operadoras. "Mas temos que tomar o cuidado para não ficarmos para trás", disse o presidente da Ericsson Latam Sul, Eduardo Ricotta.




  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G