NEGÓCIOS

Pagamentos instantâneos e open banking reescrevem o sistema financeiro no Brasil

Por Roberta Prescott e Carlos Afonso ... 26/06/2019 ... Convergência Digital

Um novo modelo de parcelamento está disponível aos brasileiros desde o fim do primeiro trimestre deste ano: é o crediário no cartão de crédito. Em entrevista à CDTV, do Portal Convergência Digital, durante o CIAB Febraban, realizado de 11 a 13 de junho, em São Paulo, Fernando Teles, diretor-geral da Visa do Brasil, explicou que o crediário no cartão de crédito é uma evolução de solução e que a tecnologia para habilitá-lo já existia.

"O que foi feito foi desenvolver uma solução para conseguir financiar uma determinada compra no cartão de crédito, em parcelas maiores, com mais prazo, com taxas menores e com prazo de pagamento menor para o estabelecimento", disse. O executivo também falou sobre como a Visa está trabalhando com open banking.

"O open banking no Brasil ainda não está regulamentado, mas já operamos com isto, porque este movimento começou na Europa com a diretriz PSD2. Já operamos assim na Europa e temos mais de 250 APIs abertas da Visa para serem consumidas pelos nossos parceiros e desenvolvedores; então, estamos bastante atuantes neste segmento", explicou, completando que a vantagem de ser uma companhia global é adotar modelos testados em outros países.

Para o Brasil ter projetos de open banking no modelo europeu, é necessário contar com regulamentação, assim como a PSD2 (Revised Payment Service Directive), da União Europeia. O Banco Central do Brasil publicou, em 24 de abril último, comunicado com os requisitos fundamentais para a implementação no Brasil do sistema financeiro aberto (open banking) — veja em https://www.bcb.gov.br/estabilidadefinanceira/exibenormativo?tipo=Comunicado&numero=33455. 

Com base nos requisitos apresentados, a expectativa do Bacen é de que o modelo de open banking seja implementado a partir do segundo semestre de 2020. Também se espera que o Banco Central do Brasil submeta à consulta pública as minutas, no segundo semestre de 2019, propondo a definição, entres outros aspectos, de escopo, abrangência, responsabilidades, requisitos mínimos para operacionalização do modelo, controles internos, gerenciamento de riscos e condições mínimas para a relação contratual que venha a ser estabelecida entre instituições autorizadas e terceiros não autorizados, além do próprio cronograma de implementação.

Teles disse que o modelo de open banking aporta inovação de produtos com uma velocidade de desenvolvimento maior e vai possibilitar que a indústria se modernize. "Vejo um mundo efetivamente mais colaborativo", afirmou. Na entrevista, ele também opinou sobre os pagamentos instantâneos e o que a indústria está fazendo para aumentar a penetração dos meios eletrônicos de pagamento. Confira o vídeo na íntegra:


Clientes acusam NegocieCoins, do Banco Bitcoin, de sumir com dinheiro das contas

Apesar de ter 200 ações correndo na Justiça, na sexta-feira, 09/08, a corretora seguia vendendo bitcoins operando um volume de R$ 3,2 milhões. Companhia diz ter sido alvo de uma tentativa de fraude, em processo de investigação pela Polícia Civil.

Com Brasil à frente, investimentos em busca de “unicórnios” são recorde na América Latina

Os investimentos de venture capital quadruplicaram, para US$ 2 bilhões, nos últimos dois anos. Valor já superado em sete meses de 2019.

Justiça não pode relativizar registro concedido pelo INPI

A 2ª Câmara de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo entendeu que empresa de alimentos não poderia usar nome ‘Natura’, como reclamou a empresa de cosméticos. 

Passa a valer obrigação de reportar à Receita a compra e venda de criptomoedas

O Fisco relata que o mercado de moedas digitais no Brasil possui mais investidores que a Bolsa de Valores de São Paulo (B3), que têm cerca de 800 mil pessoas cadastradas. Além disso, esse mercado movimentou, apenas em 2018, mais de R$ 8 bilhões no país.


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G