TELECOM

Teles temem disparada no preço do leilão 5G

Ana Paula Lobo e Luís Osvaldo Grossmann ... 29/08/2019 ... Convergência Digital

Vai às nuvens o preço do leilão 5G, que a Anatel espera realizar em 2020. Ou assim lamentam representantes das operadoras de telecomunicações, especialmente depois de uma reunião realizada nesta quinta, 29/5, na agência reguladora, para tratar o que fazer sobre a interferência nas antenas parabólicas. 

Segundo indicaram representantes das teles que participaram da reunião, entre os planos de mitigação há alternativas propostas pelas emissoras de televisão que podem custar de R$ 10 bilhões a R$ 12 bilhões, ou pelo menos quatro vezes o que custou o processo de limpeza da faixa de 700 MHz para uso no 4G. 

O leilão deve incluir nacos das faixas de 700 MHz, 2,3 GHz, 3,5 GHz e 26 GHz. Mas a encrenca mora na faixa de 3,5 GHz, fatia que a Anatel tenta licitar há 20 anos, mas que sempre esbarra na pressão dos radiodifusores por conta da potencial interferência na recepção das parabólicas. 

Novos estudos, das empresas e da Anatel, voltaram a confirmar que as parabólicas são suscetíveis a interferência de praticamente qualquer uso na vizinhança próxima (e mesmo nem tão próxima) da chamada Banda C estendida, a partir de 3,6 GHz. 

A disputa é pelo tamanho do problema. As emissoras de TV ressaltam que as antenas parabólicas são usadas em um terço das casas brasileiras. As teles entendem que é muito menos, seja porque o número inclui lares com outros tipos de recepção de TV, ou porque a implantação da TV Digital reduziu significativamente a dependência das antenas. 


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Aloo Telecom: Brasil precisa de um cadastro único de redes de fibra ótica

O crescimento das redes de fibra ótica é desorganizado e faltam informações disponíveis para definir onde investir e maximizar os recursos, afirma o CEO da operadora, Felipe Cansanção. Aloo Telecom analisa a participação no leilão 5G. "Nunca se vendeu tanta capacidade de espectro", adiciona o CEO.

Ufinet, da Enel, entra no mercado de rede neutra no Brasil

Chairman da empresa, Stefano Lorenzi,  assegura que Ufinet não terá vantagem no uso dos postes por ter a distribuidora elétrica como uma das acionistas. "Vamos competir igual com os outros", diz.

Falta um orquestrador para resolver o conflito do uso dos postes

"Não é falta de lei. Não é falta de resolução. É falta de agenda prioritária. Falta uma orquestração efetiva para se tentar resolver o problema", diz o diretor de estratégia e regulatório da Algar Telecom, Renato Paschoareli.

Abranet: Revisão do marco de telecom tem que abrir espaço para voz no SCM

Entidade diz que a revisão do marco legal de telecom exige uma avaliação do mercado de telefonia no Brasil, com ajustes regulatórios capazes de abrir o segmento aos prestadores de SCM, com recursos de numeração e sistemas de áreas de tarifação nos moldes da telefonia celular.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G