Convergência Digital - Home

Brasil está atrasado no uso de big data, IA e modelagem 3D na construção civil

Convergência Digital
Convergência Digital* - 14/05/2020

O Brasil tem o menor nível de maturidade entre os países avaliados na área de construção por estudo da IDC, feito a pedido da Autodesk. O país  está atrasado em relação aos outros quando se trata da adoção de tecnologias como Big Data, Inteligência Artificial e modelagem 3D.

O Japão lidera como o país onde o setor está mais digitalizado, seguido da Alemanha e dos Estados Unidos. Ainda assim, no quadro geral, a Europa e as Américas apresentaram melhor desempenho do que a região Ásia-Pacífico (APJ) no que diz respeito à inovação no mercado da construção civil.

A pesquisa "Transformação Digital: O Futuro da Construção Conectada" ouviu 835 profissionais de grandes construtoras em 12 países da Europa, Américas e Ásia, incluindo o Brasil. O levantamento aponta que 72% das companhias acreditam que a transformação digital é uma prioridade. No entanto, elas se deparam com uma série de desafios para se digitalizarem completamente.

O relatório, que teve o objetivo avaliar a maturidade e os desafios da transformação digital (DX, da sigla em inglês) de setor de construção, aponta que a maioria das empresas (58%) ainda está no estágio inicial de sua jornada para a inovação, enquanto 28% estariam no meio do processo de transformação. Apenas 13% podem ser consideradas maduras em relação à adoção de novas tecnologias.

Se o Brasil registra a menor menor maturidade, é ao mesmo tempo, é o País líder quando o assunto é investimentos em software baseados em BIM (Building Information Modeling), ferramenta de gestão eficiente que reúne informações detalhadas de uma edificação de forma organizada e integrada, por meio de representação digital com desenhos em 3D - um movimento essencial para a transformação digital na indústria da construção.

A adoção da tecnologia no país é de 53%, o que pode ser explicado pelo aumento de parcerias público-privadas nos últimos anos e a pressão para que o uso da ferramenta seja obrigatório até 2021. A adoção do BIM pelos outros países varia bastante, sendo a Coréia (48%), a Índia (47%) e a China (47%) as mais próximas do Brasil, no ranking, conforme mostra o gráfico.

"Diante do atual cenário mundial, diferentes setores estão adotando processos digitais e se adaptando à essa transição imposta pelas condições do momento. Daqui para frente, teremos que ser mais rápidos nessa adoção, pois vivemos uma nova era que requer processos mais ágeis e assertivos. Na construção civil não é diferente, seu uso se faz emergente para aprimorar análises de projetos, tomadas de decisão e o desempenho do segment como um todo ", reforça Pedro Soethe, gerente técnico da Autodesk Brasil.

O estudo identificou cinco "bloqueios digitais" que empresas em todo o mundo enfrentam em suas jornadas de inovação. Para 46% das empresas que trabalham para levar a transformação digital adiante, o maior desafio é criar um plano único que seja estratégico para priorizar a implementação dos investimentos tecnológicos.

Isso é seguido pela construção de uma arquitetura tecnológica que permita trabalhar com escala (42%); estabelecimento de KPIs e métricas para medir o sucesso digital (37%); exploração da expertise em tecnologia (36%) e incorporação de fluxos de trabalho digitais em toda a empresa (29%). Eliminar esses bloqueios pode ajudar as organizações a amadurecer e progredir ao longo de sua jornada de DX, passando pelos estágios iniciais e médios para as fases mais maduras, onde a digitalização é central na maneira como a empresa trabalha e oferece uma vantagem competitiva no mercado.


Destaques
Destaques

Metade das empresas no Brasil não confia na própria análise dos dados

Levantamento da Serasa Experian mostra ainda que 42% das companhias brasileiras admitem perder dinheiro com a má qualidade das informações. Má governança é vista como um desafio a ser superado. O mais grave: mais de 70% destão sem estratégia para superar essa etapa.

Dataprev vai comprar Inteligência Artificial e exige uso da nuvem pública

Estatal de TI não revela o montante a ser pago, mas diz que contrato será de 24 meses e inclui capacitação técnica dos funcionários, no modelo de serviços por demanda. Propostas devem ser enviadas até o dia 20 de julho.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Transformação digital exige eficiência no gerenciamento

Por Luiz Fernando Souza*

Prevenir é sempre melhor do que remediar. Essa é uma máxima que precisa ser aplicada à transformação digital, e vale quando falamos da gestão dos servidores. E as razões são simples: é menos sofrido, menos dolorido e mais barato manter uma rotina de trabalho focada na manutenção, preservando com inteligência dados e sistemas.

Jornada para a nuvem: evite as armadilhas e faça a coisa certa

Por Fábio Kuhl*

Até bem pouco tempo, a nuvem era inovação, hoje me arrisco a dizer que, em breve, uma commodity.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site