Clicky

GSMA vê prejuízo ao 5G no Wi-Fi, mas DSA diz que Anatel recusou trocar o certo pelo duvidoso

Luís Osvaldo Grossmann ... 05/03/2021 ... Convergência Digital

A indústria móvel representada pela Associação GSM, ou simplesmente GSMA, ainda reclama da decisão da Anatel de destinar todos os 1200 MHz entre 5,925 e 7,125 GHz para uso não licenciado – ou seja, para o Wi-Fi em sua nova versão, 6E. Em nota, a entidade criticou o fato de a agência não ter reservado a maior parte desse espectro (700 MHz) para um eventual uso do 5G no futuro. Já a Coalização W-iFi 6E ressalta o oposto: o melhor da decisão é que o ganha é imediato. 

Para a GSMA, associação que representa os interesses das operadoras moveis em todo o mundo, “tal decisão é prematura e será prejudicial ao desenvolvimento das redes 5G no país nos médio e longo prazos, impactando negativamente a capacidade de ampliação da cobertura, qualidade dos serviços, preço ao usuário e a garantia das características do IMT-2020”.

Ainda segundo a GSMA, “o Brasil possui mais de 20.000 links de radioenlaces (backhaul) em 6 GHz, que fornecem, por exemplo, conectividade a áreas rurais para atender às necessidades básicas de telecomunicações de alta velocidade. Esse serviço tão fundamental, não somente para as operadoras móveis, corre risco de interferência”. 

“Entendemos o contrário”, diz a presidente da Dynamic Spectrum Alliance, Martha Suarez, integrante da Coalizão Wi-Fi 6E Brasil. “A decisão da Anatel é muito boa porque leva em conta o ecossistema e as tecnologias existentes. Por enquanto, ninguém tem certeza se a parte alta da faixa de 6 GHz vai mesmo servir ao 5G. Enquanto isso, há um custo de oportunidade. Se a Anatel decidisse aguardar um uso futuro e com isso postergasse a contribuição econômica do WiFi 6E para algo como 2024, seriam perdidos R$ 17 bilhões.”

Segundo ela, além de existir padronização do 3GPP para uso de 5G em faixa não licenciada – portanto, sem impedir o 5G mesmo nas condições aprovadas pela Anatel – o mais significativo da decisão da Anatel é o impacto agora, não mais tarde. “A Anatel verdadeiramente considerou os benefícios para a maioria das pessoas, além do benefício econômico para o Brasil.”

Para o consultor de espectro da camara-e.net, Amadeu Castro, além do benefício imediato versus um hipotético ganho futuro, a decisão também considerou o ambiente existente de uso na faixa de 6 GHz. “A Qualcomm mandou para a Anatel um estudo de compatibilidade entre Wi-Fi e os enlaces fixos, inclusive os links por satélite. E ficou constatado pela própria agência que os níveis permitidos protegem os enlaces já existentes na faixa de 6 GHz”, diz Castro. 

“Isso não aconteceria se fosse 5G, porque 5G tem potencia maior e é alta densidade. Para o 5G usar essa faixa, teria que fazer uma ‘limpeza’ assim como vai acontecer na faixa de 3,5 GHz. Assim, a decisão da Anatel, considerando o que a economia digital pleiteou, é que isso é para já, com produtos no mercado rapidamente, facilitando as pessoas a trabalharem em casa, melhorando a qualidade do Wi-Fi. É já. Não em 2023, não em 2027.”


Internet Móvel 3G 4G
Um em cada cinco usuários do 5G reduz o uso do Wi-Fi nos ambientes fechados

Relatório da Ericsson ConsumerLab mostra que a cobertura interna é duas vezes mais importante do que a velocidade ou a duração da bateria. Usuários também se mostram insatisfeitos com a ausência de serviços inovadores e novos aplicativos.

Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi

As faixas de 2,4 GHz e de 5 GHz estão congestionadas no Brasil e torna-se urgente ter mais frequência por mais capacidade e eficiência, afirma o chefe de Tecnologia da CommScope para Caribe e América Latina, Hugo Ramos.

Veja mais matérias deste especial

Chamadas de fixo para móvel terão reajuste de até 10,3%

Percentuais autorizados pela Anatel variam de acordo com cada operadora. Os menores foram para a Algar (3,1%), e os maiores para a Oi. 

TIM: Oi móvel é uma operação de venda para resolver um problema do setor

O vice-presidente da TIM, Mario Girasole, diz que os questionamentos fazem parte do rito. "Nós estamos resolvendo um problema de uma empresa que viveu uma situação muito crítica".

Gigantes se unem pelo OpenWiFi para contrapor o Open RAN

Quem está à frente da iniciativa é o Telecom Infra Project (TIP), também responsável pelo Open RAN para as teles celulares. O projeto OpenWifi surge com o apoio da Deutsche Telekom, Boingo e do Facebook. Lançamento oficial será no dia 12 de maio.

STF derruba lei municipal que impedia antena de celular a 100 metros de residências

Sob a justificativa de impedir exposição a campos eletromagnéticos, Lei de Valinhos (SP), de 2018, proibia infraestrutura de telecomunicações próximas a casas, parques, jardins e áreas de preservação. 




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G