Clicky

INOVAÇÃO

Software livre venceu e desapareceu. Agora tudo é serviço.

Ana Paula Lobo e Luís Osvaldo Grossmann ... 05/06/2020 ... Convergência Digital

O software livre venceu. Está na base das grandes plataformas globais, abertos e acessíveis. Mas ao mesmo tempo, desapareceu. É como avalia o cientista, professor e empreendedor Sílvio Meira. Ao conversar sobre software livre no CD Em Pauta desta sexta, 5/6, o fundador do Porto Digital, em Recife, destaca que o jogo se deslocou para os serviços. 

“Todas as plataformas globais de software como serviço já são fundeadas em software livre, em software aberto. Se olhar o software liberado por Google, Microsoft, Facebook, Amazon, que está na internet para ser usado, criou capacidade de fazer quase tudo. Ficou muito fácil fazer plataforma. Mas ao mesmo tempo o software está desaparecendo. Sumiu. Virou ‘no source’, ou melhor, ‘no software’, em oposição a closed ou open software, dizia Marc Benioff. Virou prover o serviço”, afirma.  

E a estrutura, o ecossistema para a oferta do serviço é o diferencial de capacidade. “Vamos imaginar que tivéssemos acesso a todo o código de Google. O que íamos fazer com isso? Nada. Porque montar uma coisa parecida com Google, para competir com o Google, só em hardware custaria US$ 50 bilhões. Datacenters, cabos de comunicação, refrigeração, satélites, o diabo a quatro. Quem vai fazer isso? A utilidade de ter o ‘source’ é infinita se você quer fazer uma coisa diferente. Se quiser fazer igual ao que já tem um gigante fazendo, não vai conseguir. Então de certa forma o software livre venceu, mas ao vencer, desapareceu.” Veja a participação de Silvio Meira falando sobre o software livre. Aqui, a entrevista completa:https://youtu.be/wa40su954ww


ABDI abre edital de R$ 4,6 milhões em projetos inovadores para PMEs

Serão selecionados dez projetos: quatro com premiação até R$ 300 mil; outros quatro projetos com até R$ 500 mil e dois projetos com premiação de até R$ 700 mil. 

BC faz nova mudança na regra do Pix para pagamentos futuros

Medida também autoriza transferência do Auxílio Emergencial pelo sistema instantâneo de pagamentos. Pix para pagamentos futuros começa a funcionar no dia 14 de maio.

Sem dinheiro, CNPq só vai pagar 13% das bolsas para pesquisa

De 3.080 solicitações aprovadas com mérito na Chamada 16/2020, apenas 396 vão receber as bolsas efetivamente. 

Fintech nacional de meio de pagamento recebe aporte de R$ 90 milhões

A Hash recebeu aporte liderado pelo fundo QED Investor. O montante será aplicado para escalar a infraestrutura de pagamentos, possibilitando o processamento de mais de R$ 1,5 bilhão ainda este ano.

Pix internacional requer regulamentação do câmbio

O chefe da divisão do Departamento de Regulação Cambial do Banco Central, Lúcio Oliveira, aponta a necessidade de se trabalhar em três dimensões: a regulamentação do Pix propriamente dita; a regulamentação do câmbio; e a infraestrutura com plataforma internacional para operar o sistema.



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G