INCLUSÃO DIGITAL

Sem interesse das teles, Brasília estuda isenção de ICMS para internet de alunos

Luís Osvaldo Grossmann ... 03/09/2020 ... Convergência Digital

Com uma chamada pública aberta há 30 dias sem que nenhuma operadora móvel tenha confirmado adesão, o governo do Distrito Federal estuda dar isenção de ICMS para despertar o interesse das teles no contrato para conexões móveis a 470 mil alunos e 70 mil professores. 

“O serviço seria disponibilizado automaticamente a partir do credenciamento das empresas e já seria possível oferecer o serviço no início de agosto. Mas até o momento as empresas não se apresentaram ao credenciamento”, admitiu a secretaria de Educação, em nota a esta Convergência Digital. 

O órgão afirma, no entanto, que “vai tomar as medidas necessárias” e já avalia algum incentivo fiscal. “Está sendo avaliado projeto de isenção do ICMS para as operadoras, de forma que ajude no credenciamento destas empresas para o serviço. E pode ser enviado à Câmara Legislativa nos próximos dias.”

O chamamento foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal em 3 de agosto, centrado na contratação na modalidade de acesso patrocinado, em um total de 300 milhões de MB de dados por mês, a 1 centavo por MB, totalizando R$ 3 milhões mensais pelo serviço. Segundo o governo do DF, estão cadastrados na plataforma de aula pela internet 470 mil estudantes e 72 mil professores. 

Na televisão, o secretário de Educação, lamentou o desinteresse e indicou que as condições, especialmente o preço previsto, são as mesmas de processos muito semelhantes em outros estados. “É o mesmo valor que Minas, Espírito Santo, Paraíba e outros estados pagam pelo megabyte. Brasilia é menor, tem uma escala menor de estudantes, então estamos neste momento em uma discussão de valor com as operadoras”, afirmou Leandro Cruz. 

A Claro, que tem 38% das conexões móveis no DF e naturalmente ficaria com a maior fatia do acesso patrocinado pelo governo de Brasília, indicou que mantém tratativas com a secretaria de Educação. “Costumamos participar de diversos processos licitatórios para o fornecimento de serviços de Internet, inclusive temos projetos em sete estados nos quais fornecemos soluções a preços de custo. Em relação ao edital do Governo do Distrito Federal, pedimos esclarecimentos de alguns pontos e estamos aguardando retorno.”

A TIM e a Vivo também responderam que seguem em negociações. “A TIM informa que está em contato com o governo de Brasília sobre o referido edital.” "A Vivo reconhece a importância do projeto e informa que continua à disposição do Governo do Distrito Federal para chegar a um acordo satisfatório para todos". A Oi não respondeu. 


Carreira
Empresa voltada à transformação digital abre 130 vagas

Posições em aberto na Compasso UOL são para desenvolvimento em Cognitive Services e Bots, Digital Commerce, IOT, Data Inteligence, RPA (Robotic Process Automation) e Cloud Computing.

MPF recomenda que instituto cancele compra de MacBooks de R$ 12 mil e use PCs mais baratos

Instituto Federal de Educação do Rio Grande do Norte (IFRN) quer 20 notebooks da Apple para o setor administrativo, em custo superior a R$ 250 mil. MPF diz que licitação deve incluir outras marcas. 

Covid-19 aumentou o uso da internet nas classes C, D e E

Segundo a pesquisa TIC Covid-19, do Cetic.br, a pandemia aumentou o uso da rede em todas as classes e faixas etárias. O que já era hábito entre os mais ricos, passou a ser mais comum entre os mais pobres para compras e serviços.

Bemol quer Wi-Fi 6 e Wi-Fi 6E para levar banda larga para quem não tem nem 3G

Varejista com atuação na região norte do País tem planos de expandir sua infraestrutura para mais cidades, mas conta com a frequência não licenciada, diz o gerente de TI, Jesaias Arruda.

Saúde pública padece de acesso à Internet e de segurança de dados

Processo de levar acesso à Internet para as Unidades Básicas de Saúde(UBS) não avança e apenas 23% delas disponibilizam agendamento de consultas pela Internet. Nas unidades privadas, o atendimento online está em 100% do segmento. Diferença é evidente na comparação do Norte e Nordeste com o Sul e Sudeste.

Escolas viram telecentros para quem não tem acesso à Internet

Maior parte dos usuários vai para fazer pesquisa escolar e digitar currículos ou outros documentos. Conexão à Internet melhorou, mas a maioria tem conexão entre 1 Mpbs até 5 Mbps.

MEC exige energia elétrica nas escolas para levar banda larga

Escolas precisam também estar  em área de cobertura terrestre ou via satélite, e ter mais de 14 matrículas em 2020. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G