Home - Convergência Digital

Oi se esquiva sobre 5G, mas acelera refarming por 4G e 4,5G

Convergência Digital - Carreira
Por Roberta Prescott - 04/06/2019

A Oi projeta terminar 2019 com 4,5 G cobrindo uma população de 34,2 milhões de pessoas, um salto em comparação aos 17,7 milhões de março último. A telco está fazendo refarming da faixa de frequência de 1.8 Ghz — e futuramente de 2,1 Ghz — para 4G e 4,5G.

Em coletiva de imprensa, realizada nesta terça-feira 4/6 em São Paulo, a Oi destacou que está investindo na expansão de fibra ótica e também no refarming para acomodar o 4,5 G. Bernardo Winik, diretor-comercial da Oi, ressaltou que o market share de net adds acelerou o ritmo de crescimento e atingiu 30% no primeiro trimestre de 2019. "É o resultado de investimento em cobertura e produtos inovadores", disse, citando como exemplos o gerenciamento da franquia contratada de internet no plano família.

Em seu balanço do último trimestre de 2018, a operadora informou que 23 cidades já contavam com estas funcionalidades e que a expectativa era atingir 41 cidades ainda no primeiro semestre de 2019. Outro objetivo do refarming é preparar a rede para a quinta geração (5G). Já com relação ao leilão de 5G o diretor de marketing da Oi, Roberto Guenzburguer, afirmou que, como a telco não sabe as regras, ainda não pode opinar. "Estamos olhando; quando as regras forem definidas, teremos um posicionamento", disse.

Questionados sobre as contestações que a Huawei vem recebendo nos Estados Unidos, os executivos asseguraram que a gigante chinesa não é fornecedora exclusiva da Oi. "Estamos acompanhando o mercado com preocupação, porque, de fato, é uma disputa, mas construímos a rede de forma não estarmos na mão de um único fornecedor", disse Winik. "Sempre temos alternativas e trabalhamos com redundâncias", completou Guenzburguer. Além da fabricante chinesa, a Oi tem acordos com a Nokia e outros fornecedores.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

24/06/2019
Rede da Oi registra tráfego de 4,27 terabytes na etapa mundial do circuito de surfe

19/06/2019
Oi monta infraestrutura de 2,2 giga para atender etapa brasileira do World Surf League

04/06/2019
Oi se esquiva sobre 5G, mas acelera refarming por 4G e 4,5G

04/06/2019
Oi avança com fibra óptica e abre frente contra ISPs

04/06/2019
Em renúncia, conselheiro da Oi critica estratégia e pede novo aporte de credores

31/05/2019
Brasil ativou 8 milhões de chips 4G de janeiro a abril

20/05/2019
No Brasil, 60% dos celulares já são 4G

17/05/2019
4G:Claro supera rivais em experiência de navegação. TIM tem menor latência

14/05/2019
Oi espera arrecadar até R$ 7 bilhões com venda de ‘ativos não estratégicos’

10/05/2019
Oi reforça estratégia para fidelizar pré-pago

Destaques
Destaques

Para injetar R$ 200 bilhões na economia, IoT tem de ficar livre das amarras tributárias

Relator da proposta de tributo zero para Internet das Coisas, deputado Eduardo Cury, do PSDB/SP, disse que o setor precisa municiar o Parlamento com dados para convencer à Casa a conceder a desoneração.

5G exige muito espectro para entregar tudo que se espera da tecnologia

Anatel, indústria e teles sustentam que a nova onda tecnológica só vai atender as demandas esperadas se tiver frequência suficiente para melhorar os serviços.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

O potencial pouco explorado da Internet das Coisas

Por Daniel Kriger*

A grande mudança que a Internet das Coisas (IoT – Internet of Things) trará para a vida das pessoas está além da facilidade de se preparar um café, programar um banho quente ou economizar na conta de luz. Dar conectividade a objetos e abrir espaço para comandos inteligentes em inúmeras tarefas do dia a dia é um dos principais propósitos de IoT. Mas não é só isso.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site