INOVAÇÃO

Mercado de tecnologia da privacidade vai disparar para R$ 35 bilhões até 2022

Convergência Digital ... 02/03/2020 ... Convergência Digital

Mais de 40% dos recursos tecnológicos para proteção da privacidade vão depender de inteligência artificial até 2023, aponta a consultoria Gartner, ressaltando que atualmente a IA responde somente por 5% nesses sistemas de compliance. 

Segundo a consultoria, essa demanda é fruto direto de novas legislações de proteção de dados pessoais, notadamente a GDPR europeia, mas que de alguma forma foi acolhida em diferentes países, assim como o Brasil, que tem uma Lei Geral de Proteção de Dados (Lei 13.709/18). “Mais de 60 países ao redor do mundo já propuseram ou estão preparando regulações de proteção de dados e da privacidade”, aponta a Gartner. 

Até 2022, os gastos globais com ferramentas de compliance para garantias de privacidade deverão chegar ao equivalente a R$ 35 bilhões. A análise é de que as leis já existentes ou em elaboração exigem um amplo arco de capacidades tecnológicas para que as instituições sejam capazes de responder às demandas dos usuários dos mais diferentes sistemas que de alguma forma coletam dados. 

A primeira preocupação a ser respondida com novas ferramentas é o atendimento às requisições de informações sobre uso dos dados pessoais. Especialmente diante de pesquisas que apontam ser necessário, em média, duas semanas atualmente para responder a essas demandas. Segundo a consultoria, “o mercado de tecnologia da privacidade ainda está surgindo, mas é certo que a privacidade terá papel considerável no desenvolvimento de produtos”. 



Indústria de semicondutores reage à liquidação da Ceitec

Em nota, associação nacional do setor indica “preocupação” com a medida. “Liquidação distanciará ainda mais o Brasil do conhecimento de ponta.”

OBr.Global promove bootcamps Live sobre empreendedorismo

Aceleradora, especializada em internacionalização das empresas, ensinará técnicas adotadas no Vale do Silício, nos EUA.

Política de informática foi feita para o hardware, mas deu certo com o software

Para Sílvio Meira, a estratégia que o Brasil quer desenhar para Inteligência Artificial precisa desafiar à produção nacional para trazer os resultados pretendidos.

Open Banking faz XP ir às compras no Brasil

XP anunciou a aquisição de participação majoritária na fintech Fliper, responsável, hoje, por mapear R$ 7 bilhões lem investimentos na sua plataforma.

Software livre venceu e desapareceu. Agora tudo é serviço.

Como lembrou o cientista e professor Sílvio Meira, ao participar do Convergência Digital em Pauta, até o Windows passou a rodar sobre fundação Linux.  O mundo, hoje, é de quem tem o serviço como diferencial de concorrência.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G