Clicky

Home - Convergência Digital

Huawei não pode ser usada para atrasar ainda mais o leilão 5G

Ana Paula Lobo - 06/08/2020

A Qualcomm não tem de participar da discussão sobre a participação ou não da Huawei no mercado de telecomunicações do Brasil, mas o Vice-Presidente de Relações Governamentais da Qualcomm na América Latina, Francisco Soares, afirmou, em coletiva online realizada nesta quinta-feira, 06/08, esperar que o embate sobre a Huawei não sirva apenas para adiar ainda mais o leilão 5G, agora, previsto para o começo de 2021.

"Essa questão é geopolítica e não nos cabe comentar. Mas, sim, nos preocupa que seja usada para retardar ainda mais o processo. O Brasil tem a chance de estar sem gap no desenvolvimento e no uso da nova tecnologia. Se atrasar muito o leilão, vamos ficar com diferença em relação a outros países", observou Soares. Ele também criticou o adiamento do leilão por conta da mitigação da interferência da banda C nas antenas parabólicas.

"Essa é uma questão de engenharia e há soluções técnicas melhores do que os filtros que estão sendo reivindicados. Sou favorável a colocar os serviços da faixa de 3,5GHz na banda Ku, na faixa de 15 a 18 GHz. O problema estaria resolvido", pontuou Soares.

Hélio Oyama, diretor de Desenvolvimento de Negócios da Qualcomm, lembrou que a própria China é um exemplo do impacto do 5G. O país lançou o 5G no final do ano passado e já soma mais de 100 milhões de conexões ativas. Em maio, mesmo com a pandemia, as vendas de celulares já eram 50% com o 5G. Hoje já existem 375 dispositivos disponíveis para o 5G e esse número só tende a aumentar com a expressiva adesão de fabricantes chineses. "A competição massifica e reduz preço para o consumidor", completa Oyama.







Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

27/02/2021
Leilão 5G: Teles aguardam por 'eventuais ajustes' no edital e pelo TCU

26/02/2021
Leilão do 5G vai criar empresa gestora de R$ 5 bilhões em compromissos

26/02/2021
Rede segura do governo vai usar faixa do 4G e bane Huawei como fornecedor

26/02/2021
Governo e teles negociam um piloto 5G standalone

26/02/2021
Anatel estima que 5G vai custar R$ 35 bilhões no Brasil

26/02/2021
Governo retira exclusividade da Telebras da gestão da rede privada

25/02/2021
Anatel aprova edital e antecipa 5G pleno nas capitais para julho de 2022

25/02/2021
Leilão do 5G nos EUA bate recorde e apura US$ 81,2 bilhões

24/02/2021
WEG testa planta piloto com 5G privado standalone da Nokia

24/02/2021
ANPD: Quem coletar dados no 5G será responsável pelo dano ao usuário

Destaques
Destaques

5G será muito mais B2B e vai injetar R$ 13,5 bilhões no mercado nos próximos dois anos

Finalmente o 5G entrou na lista das dez previsões para os mercados de Tecnologia e Informação e Telecomunicações da IDC para 2021/2022. Consultoria prevê que a receita virá de novos negócios com IA, IoT, cloud, segurança, robótica e realidade aumentada e virtual.

5G só começa depois de garantia de recepção nas parabólicas

Pelo cronograma previsto na proposta de edital, oferta do 5G tem início 300 dias depois de formalizada a ‘compra’ das frequências – portanto no segundo semestre de 2022.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Previsões para 5G Core (5GC) e redes móveis em 2021

Por Ivan Marzariolli*

A maioria das teles com 5G escolheu o que é chamado de implementação “não autônoma”.  É um híbrido de 4G e 5G que permite oferecer muitos recursos 5G aos assinantes, enquanto ainda aproveita o investimento existente em seu core de pacote 4G. Operadoras estão ansiosas para aproveitar as vantagens do 5GC (SA ou autônomo) - maior agilidade de serviço e custos mais baixos.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site