GOVERNO » Política Industrial

Governo enterra projeto nacional de indústria de componentes

Ana Paula Lobo* ... 19/02/2020 ... Convergência Digital

O projeto nacional de reestruturar uma política nacional de produção de componentes no Brasil - criado em 2008 - está sendo liquidado pelo Governo Bolsonaro. É verdade que ao longo dos últimos anos, a iniciativa foi bastante esvaziada nos governos Lula, Dilma e Temer. Por meio de informe à imprensa, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – MCTIC informa que nesta quarta-feira (19) foi aprovada a inclusão do Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada - CEITEC S.A., empresa pública vinculada ao MCTIC, no Programa Nacional de Desestatização (PND).

O MCTIC lembra que "no dia 14 de outubro de 2019, foi publicado o Decreto nº 10.065 que qualifica a CEITEC/MCTIC no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos - PPI, para possibilitar a realização de estudos e a avaliação de alternativas de parceria com a iniciativa privada e propor ganhos de eficiência e resultados para a empresa."

Observa ainda que "como o andamento dos trabalhos realizados no âmbito do PPI está bastante avançado, a Secretaria Especial do PPI (SPPI), do Ministério da Economia, decidiu inserir a CEITEC/MCTIC no PND, o que foi aprovado pelo Conselho do PPI. A inclusão tem o objetivo de aprofundar os estudos relacionados à CEITEC/MCTIC para subsidiar o processo de tomada de decisão. Ressalta-se que a implantação de qualquer alteração na empresa pelo PND se dará somente após a conclusão dos trabalhos do grupo do PPI."

Ainda assim, o MCTIC "reitera que a política de desenvolvimento da cadeia de semicondutores, como a Lei de Informática e o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de Semicondutores e Displays (PADIS), segue como prioridade do país, independente de qualquer ação no modelo de negócios da CEITEC/MCTIC".

A CEITEC foi criada, em 2008, para recolocar o Brasil na rota da indústria mundial de semicondutores. Dados do ano passado, constam que a companhia tem mais de 200 empregados, dos quais quais quatro são pós-doutores, 10 doutores e 46 têm mestrado. Nesses 20 anos, a trajetória da CEITEC foi marcada por mais baixos do que altos.

Os projetos não andaram como o esperado, nem trouxeram resultados estimados. Vale lembrar que uma indústria de chips consome muito dinheiro, e como é uma estatal, significa receber recursos do governo. Segundo dados oficiais, a CEITEC recebeu cerca de R$ 1,08 bilhão de investimentos. Hoje a CEITEC produz chips para identificação de animais, medicamentos, hemoderivados e veículos.

Também é bom lembrar que com a crise do Coronavírus na China - responsável por quase a metade das nossas importações de componentes- em menos de 30 dias a indústria local, especialmente a de produção de celulares e de PCs já está suspendendo a produção e temendo por mais dias parados por falta de componentes.


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Coronavírus: Senado faz primeira votação a distância da história

Os senadores votaram de suas casas onde cumprem quarentena por causa do Covid-19 e aprovaram a decretação do estado de calamidade pública como forma de combate ao Covid-19.

Telebras projeta receita bruta de R$ 383,64 milhões em 2020

Na lista de venda do governo Bolsonaro, a estatal diz que o montante é uma mera previsão, uma vez que não há garantia de desempenho futuro. Em 2018, a receita líquida da Telebras ficou em R$ 199 milhões – foram R$ 73 milhões em 2017.

Relatora da nova lei das teles assume presidência da CCT no Senado

Daniella Ribeiro (PP-PB), que manteve sem alterações o projeto que se tornou a Lei 13.879/19, foi indicada pelo partido depois que o atual presidente da comissão, Vanderlan Cardoso, migrou para o PSD. "Depois do PLC 79, o que vier está fácil", disse a nova presidente. 5G está na pauta dos debates.

PGR: Há razão legal para STF julgar privatização de Serpro, Dataprev e Telebras

A Procuradoria Geral da República, em parecer dado para a ação do PDT contra a privatização das estatais de TI, admite que a inclusão delas no Plano Nacional de desestatização abre procedente para julgamento na Suprema Corte.

MPF: Governo não precisa de consentimento para cruzamento de dados

Em ação do Instituto Nacional Anísio Teixeira (INEP) contrária a entrega de dados pessoais individualizados de estudantes ao TCU, Ministério Público alega que administração não precisa de autorização dos titulares mesmo no caso de dados sensíveis. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G