INTERNET

Wi-Fi vira ativo estratégico para receita de dados das operadoras

Por Roberta Prescott* ... 20/02/2019 ... Convergência Digital

As redes fixas são essenciais para o tráfego IP mundial. Ao analisar o offload de tráfego de redes móveis (celular) para redes fixas (Wi-Fi), o estudo Mobile Visual Networking Index (VNI) 2019, da Cisco, mostrou que, em 2017,  54% do tráfego móvel total de dados foi por offload. A previsão é de que, em 2022, o porcentual chegue a 59%. No Brasil o tráfego offload representará 51% da rede móvel em 2022, dois pontos porcentuais acima dos 49% em 2017.

Giuseppe Marrara, diretor de políticas públicas da Cisco, assinalou que hoje a maior parte do tráfego é fixo cabeado e fixo saindo do Wi-Fi. Em 2022, essa composição ficará um pouco mais balanceada, mundialmente, com 29,4% do tráfego IP saindo de conexão fixa cabeada; 28,1% de rede fixa Wi-Fi a partir de dispositivos móveis; 22,9% de rede fixa Wi-Fi para aparelhos que apenas se conectam por meio de Wi-Fi; e 19,6% de redes móveis. “O offload das redes móveis para Wi-Fi é fundamental. Metade do tráfego móvel hoje já sai pelo Wi-Fi e, em 2022, será 59%. Há de lembrar que 5G interage com Wi-Fi de maneira única, quase imperceptível e transparente”, destacou.

Mundialmente, em 2017, o offload de tráfego mensal (13 EB) excedeu o tráfego móvel/celular mensal (12 EB). O número de hotspots de Wi-Fi (incluindo residenciais) quadruplicará entre 2017 (124 milhões) e 2022 (549 milhões), sendo que, no Brasil, este crescimento no Brasil será de nove vezes, passando de 2 milhões em 2017 para 18 milhões em 2022. “O Wi-Fi é, atualmente, um atrativo comercial, mas ele terá papel fundamental de complementariedade para as operadoras e elas vão ter de investir nisto”, afirmou Marrara, ressaltando, novamente, a integração de 5G com Wi-Fi.

Com relação à velocidade do Wi-Fi, o VNI apontou que a média mundial mais que dobrará no período, saltando de 24,4 Mbps para 54,2 Mbps, mas o Brasil permanecerá  abaixo da média mundial, com 9,3 Mbps em 2017 e chegando a 16,3 Mbps em 2022, ano em que a média de velocidade no Wi-Fi no País será inferior que à obtida pelas redes de telefonia móvel (19,7 Mbps).


Google vai pagar 1 bi de euros ao governo da França

O Google aceitou pagar cerca de 1 bilhão de euros às autoridades francesas para resolver uma investigação de fraude fiscal iniciada há quatro anos, acordo que pode criar um precedente legal para outras grandes empresas de tecnologia no país.

AbraHosting: ISPs tenham cuidado com os termos de uso do Microsoft SQL Server Web Edition

Entidade diz que a versão chega a custar até 17 vezes menos que uma versão Core Standard, mas que há vetos de uso significativos pela Microsoft e que estão causando penalidades aos usuários.

Procon/SP aplica multa milionária no Google e na Apple por FaceApp

Google foi multada em R$ 9,9 milhões e a Apple em R$ 7,7 milhões. O aplicativo envelhecia as pessoas nas redes sociais. Google diz que vai recorrer da punição tendo como base o Marco Civil da Internet.

Senacon investiga coleta de dados de geolocalização pelo Google

A Secretaria do Consumidor (Senacon) do Ministério da Justiça notificou o escritório brasileiro sobre uma possível violação à privacidade e à proteção de dados pessoais com a captura indevida de informações de usuários.

STJ pressiona por PJe e vai recusar processos eletrônicos a partir de outubro

A partir de 1º de outubro, o Superior Tribunal de Justinça não vai mais receber processos dos Tribunais de Justiça e dos Tribunais Regionais Federais em desacordo com os padrões estabelecidos pelo Conselho Nacional de Justiça. 

Revista Abranet 28 . ago/set/out 2019
Veja a Revista Abranet nº 28 O 802.11ax - ou Wi-Fi 6 - promete melhor desempenho por dispositivo, cobertura estendida, maior duração de bateria no devices conectados por ele e protocolos de segurança. E muito mais.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G