TELECOM

Mercado cinza de celulares dispara 537% no Brasil

Convergência Digital ... 14/01/2020 ... Convergência Digital

Mesmo com reduções nos preços de aparelhos celulares, os brasileiros, ainda fortemente atingidos pela retração na economia e no consumo, foram atrás de modelos contrabandeados. Segundo levantamento da IDC Brasil, o mercado cinza de smartphones disparou 537,3% no terceiro trimestre de 2019, comparado ao mesmo período do ano anterior. 

“O movimento do mercado cinza vem crescendo desde o primeiro trimestre de 2019, quando a chegada de empresas chinesas no país despertou o interesse do consumidor, que quis comprar os lançamentos, mas pesquisou preços e recorreu aos comércios que praticam a venda destes produtos ilegais, pois os produtos são ainda mais baratos”, aponta a consultoria. 

Segundo a pesquisa, foram vendidos 1,28 milhão desses aparelhos, que, ressalta a IDC, não são necessariamente falsificados. “Importante destacar que não são apenas fabricantes chineses que vendem produtos contrabandeados no Brasil e que nem sempre estes aparelhos são falsos. Eles podem ser originais, mas chegam ao Brasil ilegalmente e por isso entram no mercado cinza”, afirma o analista da IDC Brasil, Renato Meireles. 

No mercado regular, foram comercializados 11,3 milhões de smartphones no período, o que representou uma queda de 1% nas vendas, apesar de promoções e reduções de preço – segundo a IDC, o preço dos smartphones caiu 5,7% em relação ao terceiro trimestre de 2018, custando em média R$ 1.165, e os feature phones tiveram queda de 21,9%, custando R$ 113. 

Embora o volume de smartphones tenha sido muito maior (10,5 milhões), o movimento representou uma queda de 3,3% nas vendas desse tipo de aparelho. Enquanto isso, os modelos mais simples, chamados feature phones, tiveram alta de 40,3% (para 865 mil), em mais uma indicação de alta sensibilidade aos preços – esse segmento já tinha crescido 34% no trimestre anterior. 

Com promoções, foi possível encontrar smartphones intermediários premium por preço de intermediário de entrada - com preço de R$ 700 a R$ 1099 -, que tiveram aumento de 88% nas vendas “O consumidor já está no seu quarto ou quinto smartphone e quer modelos com inteligência artificial, câmeras mais poderosas, mais memória interna etc. e, no período, encontrou celulares avançados por preços mais baixos”, avalia a consultoria. 

No geral, a receita do mercado de smartphones no terceiro trimestre de 2019 encolheu 9% na comparação com o mesmo período de 2018. O faturamento do setor no período foi de R$ 12,3 bilhões. Já para os feature phones, a receita fechou em R$ 97,7 mil, alta de 9,6%. 

A projeção da consultoria é que o quarto trimestre de 2019 apresente aumento de 5,1% nas vendas. Mas para 2020, a expectativa é de queda de 0,5% no mercado. 


Internet Móvel 3G 4G
Carteira digital representou apenas 0,03% dos pagamentos recorrentes no Brasil

Pesquisa, produzida pela Vindi, com dados de 2019, mostra que o cartão de crédito, com larga vantagem, e o boleto bancário são as duas opções preferidas do brasileiro. No mercado de meio de pagamentos, a Cielo manteve a liderança, mas as startups, como a Stone, cresceram e apareceram.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Dataprev contrata Claro por R$ 236 mil para ter fibra ótica no Rio de Janeiro

Contrato, publicado no Diário Oficial da União, prevê a interligação dos prédios do data center da estatal de TI no Rio de Janeiro à filial na mesma cidade, no bairro de Botafogo.

Autor da nova Lei das teles lidera entidade para brigar por banda larga

Ex-deputado Daniel Vilela vai presidir a Aliança Conecta Brasil F4, que nasce com apoio da Huawei, FiberX e da consultoria Teleco, mas quer novos associados. “Não existe economia digital sem infraestrutura”, afirma.

Consumidores: Banda larga é o serviço com menor satisfação, celular o melhor

Para a Anatel, como o padrão de consumo exige estar sempre online, percepção de qualidade é especialmente rigorosa com a conexão à internet.

Decreto da nova Lei de Telecom depende de acerto sobre renovação de frequências

“Entendemos que é melhor que a Lei também seja aplicada para os contratos vigentes e estamos tentando construir uma posição única de governo”, explica o secretário executivo do MCTIC, Julio Semeghini. 




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G