Clicky

Convergência Digital - Home

Oracle tem primeiro data center no Brasil interconectado com Microsoft Azure

Convergência Digital
Ana Paula Lobo - 12/05/2021

A Oracle ativou uma segunda região de cloud computing com data center em Vinhedo, Campinas, São Paulo. A unidade é a primeira na América Latina interconectada com o data center da Microsoft Azure, para facilitar o tráfego de dados entre os dois data centers para os clientes, entre eles, por exemplo, a TIM Brasil.

"Esse é o segundo investimento em data center no Brasil em um período de dois anos, o que prova o quanto o Brasil é estratégico para a Oracle", disse o presidente da empresa, Rodrigo Galvão, em entrevista coletiva realizada nesta quarta-feira, 12/05. Os valores investidos na unidade não foram revelados.

A abertura marca a 30ª região de nuvem da Oracle no mundo e é parte do plano global da empresa de operar 38 regiões até o final de 2021. Os esforços de transformação digital no país foram acelerados pela pandemia global e a Oracle está trabalhando com organizações para ajudá-las a migrarem para a nuvem com segurança e em conformidade com os regulamentos de soberania de dados.

A nova região de nuvem fornecerá serviços Oracle Cloud Infrastructure, incluindo Oracle Autonomous Database, Kubernetes, solução Oracle Cloud VMware, Oracle Cloud Infrastructure e Oracle Cloud Applications. Também proporcionará diversos benefícios aos clientes, especialmente os de setores altamente regulamentados com restrições de acesso a servidores fora do território nacional.

Questionado sobre o porquê de a segunda região de cloud computing da Oracle também ficar em São Paulo, onde já funciona a primeira região, o presidente da empresa, Rodrigo Galvão, disse que foi para atender uma demanda existente. Mas não descartou ir para outros mercados, como Brasília, por conta dos clientes de governo, e no Nordeste.

"Precisávamos atender os clientes que estavam batendo à porta. E a escolha foi estratégica também em função da infraestrutura e do acerto firmado com a Microsoft. Então tinha de ser em São Paulo. Mas 70% da receita da Oracle já está vindo do mercado de cloud. Isso significa que vamos precisar de mais", observou o executivo.


Destaques
Destaques

Por que se tornar uma empresa data-driven?

Data-driven ou orientada a dados. É esse o novo lema das companhias que, cada vez mais, estão armazenando e analisando dados em busca de insights de negócios. Mas o que as empresas devem fazer para abraçarem os dados de forma a promover benefícios estruturais e longevos? A resposta não é simples.

TIM une big data,LPA e robôs para controle do pagamento de impostos

Operadora elegeu a inteligência artificial para processar grandes e complexos volumes de dados com o SAS e a KPMG. Investimento ficou em torno de US$ 500 mil, ou R$ 2,65 milhões, mas parte dele já foi recuperado em pouco mais de seis meses.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Serviços SaaS, proteção de dados e a LGPD

Por Eder Miranda*

Ter um plano abrangente de proteção adicional de dados para as plataformas SaaS é vital para os negócios, uma vez que as empresas não podem abrir sem ter o controle sobre o que está sendo protegido e sobre a maneira como isso está sendo feito pelos fornecedores de software como serviço.

Cloud é bom, mas quem gerencia?

Edmilson Santana*

Se a nuvem soluciona problemas de um lado, de outro sua operação demanda a formação de um time capaz de traduzir demandas de negócio em continuidade operacional, e isso de forma ágil, produtiva e consistente.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site