Home - Convergência Digital

Em TI, apenas 7% dos profissionais envolvidos com Inovação têm pós-graduação

Convergência Digital* - 29/07/2020

O Ramo de Serviços em TI é um dos que mais recebem investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) de fontes próprias, com uma taxa de 95%, fica atrás somente de Eletricidade & Gás, que segue na liderança com 100%. Quando o comparativo é feito entre ramos mais dinâmicos, de atividades industriais, TI lidera com 95%, seguido por Equipamentos de Informática (93%), Produtos Químicos (93%) e Produtos Farmoquímicos e Farmacêuticos, com 76%.

O dado está relacionado no Insights Report de junho desenvolvido pela Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação do Paraná (Assespro-PR) em parceria com o Departamento de Economia da Universidade Federal do Paraná (UFPR). O estudo baseado nos números do IBGE (2011-13, 2012-14 e 2015-17) indica como o ramo de TI destacou-se nos quesitos: investimentos internos de P&D com participação das fontes de financiamento, número de profissionais envolvidos em atividades internas de P&D, além da qualificação deste pessoal.

Quando se trata de financiamentos por fontes externas para P&D ao setor de TI, em 70% dos casos estes provêm de fontes públicas. O restante envolve parcerias com empresas estatais, instituições de pesquisa, universidades ou ainda de fontes estrangeiras.

O estudo apontou também que houve um crescimento no número de pessoas ocupadas em P&D nos Serviços de TI entre os anos de 2011 e 2017: de 3,3% para 4,1%. Este ramo ficou atrás somente do Ramo de Equipamentos em Informática, que em 2011 possuía ocupação de 5%, mas que em 2017 caiu para 4,4%. Mas, mesmo com a crescente ocupação, um ponto que merece atenção especial é a especialização destes profissionais de P&D: 81% possui ensino superior completo (81%) e apenas 7% do total conta com pós-graduação.

“A pós-graduação é um dos elementos importantes e que interferem diretamente na qualidade da inovação tecnológica, para que seja menos incremental e mais disruptiva ”, explica Victor Pelaez, doutor em Ciências Econômicas e um dos responsáveis pelo Insights Report.

Para Adriano Krzyuy, presidente da Assespro-PR, os números demonstram um pouco sobre quais são os principais desafios para que o setor continue em destaque. “O ramo de TI está acima da média nacional em investimentos P&D, porém ainda não satisfaz quanto a especialização dos profissionais. Por isso, devemos nos basear na pesquisa para a captação de recursos externos mais significativos para que exista de fato a possibilidade de inovações mais disruptivas e assim aumentar a produtividade neste ramo de serviço”, conclui.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

28/10/2020
FCA e TIM anunciam carro conectado no Brasil para primeiros meses de 2021

23/10/2020
Três em cada quatro startups no Brasil não conseguem investimento

23/10/2020
Conversas gravadas, creches no trabalho e arquivo por DNA são tendências do futuro próximo, aponta Gartner

21/10/2020
Robôs vão eliminar 85 milhões de empregos em 26 países, Brasil entre eles

16/10/2020
Governo busca interesse dos órgãos federais em postos para carros elétricos

16/10/2020
Decreto inclui serviços de software em incentivos à P&D na Zona Franca

15/10/2020
Sebrae reúne unicórnios brasileiros para incentivar PMEs

15/10/2020
Embrapa abre plataforma de APIs para soluções tecnológicas no campo

29/09/2020
Para CNI, falta dinheiro no Brasil para a indústria 4.0

28/09/2020
Covid-19: Japão troca garçons por robôs em restaurantes

Startup cria time de cientistas de dados para avançar nos negócios

Com sede nos EUA, a Fligoo atua nos segmentos de finanças, educação e saúde, e sabe da relevância de ter profissionais capacitados para lidar com os dados. "Prepare-se o tempo todo. Estude. Não espere a necessidade chegar", aconselha Leandro Ferrado.

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Futuro sem aposentadoria – qual a saída?

Por luis Macedo*

O futuro financeiro nunca foi tão incerto. A aposentadoria "oficial", pelo INSS, fica cada vez mais distante para muitas pessoas, especialmente porque o mundo do trabalho mudou. Uma alternativa para uma parcela significativa da população que não tem carteira assinada são os fundos de previdência. O problema, no entanto, é a infinidade de fundos que existem.

Destaques
Destaques

Certificação é critério de seleção para encarregado de dados

Ainda que a LGPD não exija qualificação específica, o mercado busca profissionais com conhecimento na área. Formação pode custar até R$ 6 mil, observou Mariana Blanes, advogada e sócia do Martinelli Advogados, ao participar do CD em Pauta.

Teletrabalho: sem regulamentação, sem direitos, sem deveres, sem regras

Depois da nota técnica do MPT alertando para o direito à desconexão, Congresso tenta acelerar a votação dos PLs que tratam do tema, entre eles o PL 3915/20. O tema é complexo. IN 65, do governo federal, repassa os custos com tecnologia para os servidores no home office.

Ministério Público: Teletrabalho exige direito à desconexão

Ministério Público do Trabalho elaborou uma nota técnica direcionada para as “empresas, sindicatos e órgãos da administração pública”.  Na orientação, sugere a adoção de etiqueta digital para orientação de patrões e empregados.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site