Clicky

Home - Convergência Digital

TIM entra na disputa pela gestão da iluminação pública com rede de IoT

Convergência Digital* - 15/01/2021

A TIM fechou uma parceria com a M2M Telemetria para participar dos principais projetos voltados para a iluminação pública. O acerto permite a oferta de novos serviços como o de tele gestão remota das luminárias, agregando diversas funcionalidades, entre elas a leitura do real consumo de energia e a capacidade de dimerização (aumentar ou diminuir a intensidade de uma luminária). Toda a infraestruutra será pela rede NB-IoT, criada pela TIM, para viabilizar a conexão de objetos.

A novidade permite agora ter sistemas que acompanhem, em tempo real, o desempenho de toda uma rede implementada, a partir da transmissão e recebimento de dados enviados por um controlador independente instalado nas luminárias, composto por termômetro, sensor de luminosidade, microprocessador, memória e eSIM. Com o sistema 'NOX Smart Lighting' é possível transmitir e receber informações e comandos para acender ou apagar uma ou um conjunto de luminárias, de dimerização, de identificação de comportamentos e predição de defeitos, além de processamento inteligente de dados com rotinas de avaliação de operação e controle do consumo de energia.

A rede NB-IoT da TIM chega, hoje, a 3.460 cidades, habilitando conectividade para clientes no Agronegócio, no setor de segurança pública e para o mercado automotivo, ligando escritórios, fazendas e máquinas, ajudando no monitoramento de lavouras ou acompanhando, em tempo real, o transporte de mercadorias."Temos aqui a solução ideal para sistemas que precisam de mais estabilidade, capacidade, velocidade, segurança, eficiência energética, maior raio de cobertura e módulos de menor custo. Ao combinarmos com a maior cobertura 4G do Brasil, conseguimos entregar soluções de conectividade para inúmeros setores da economia, e estamos prontos para avançar cada vez mais", afirma Paulo Humberto Gouvêa, diretor de Soluções corporativas da TIM Brasil.

Ele reforça também a importância da tecnologia eSIM, presente nos principais projetos de conectividade com empresas pelo país: "O eSIM, ou chip eletrônico, possibilita o ganho de escala de implementação das soluções IoT com segurança, resistência a altas temperaturas e trepidações, além da redução de processos humanos na linha de montagem de equipamentos IoT. É a opção mais segura e prática que disponibilizamos a clientes corporativos, independentemente de sua área de atuação".

A utilização de tecnologia de padrão aberto e interoperável elimina o risco de utilização de redes proprietárias e protocolos fechados, protegendo o investimento da cidade e garantindo seu funcionamento pelo tempo do contrato com custos garantidos e conhecidos na assinatura do contrato, além de agilizar a implementação ao não ser necessário construir uma rede proprietária antes de instalar os controladores, adiciona o diretor executivo da M2M Telemetria, Felipe Fulgêncio.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

17/06/2021
FINEP aporta R$ 3 milhões em gêmeo digital para IoT da indústria 4.0

16/06/2021
Cade aprova venda do controle da empresa de fibra da TIM para IHS

15/06/2021
TIM emite R$ 1,6 bilhão em debêntures vinculadas à ESG

11/06/2021
Europa vai gastar US$ 200 bilhões com Internet das Coisas

09/06/2021
UIT adota recomendações globais para Internet das Coisas propostas pela Anatel

24/05/2021
Serpro vai ao mercado para buscar parceiros para Internet das Coisas

12/05/2021
Fundo para IoT chega ao mercado brasileiro com R$ 240 milhões

06/05/2021
TIM: Oi móvel é uma operação de venda para resolver um problema do setor

06/05/2021
TIM cansa de esperar teles e faz carreira solo na carteira digital

06/05/2021
CRM e big data da TIM vão estar 100% na nuvem até junho

Destaques
Destaques

IBM: Com 5G e Edge, redes das teles serão plataformas definidas por software

Só assim as operadoras de telecomunicações vão ser capazes de suportar as novas aplicações e terão como monetizar volumes crescentes de dados habilitados para o 5G e edge aponta estudo global da IBM, conta a líder de serviços de consultoria para a indústria de mídia e Telecomunicações da IBM América Latina, Marisol Penante.

GSMA faz ofensiva para reverter decisões a favor do Wi-Fi na faixa de 6GHz

Associação da indústria móvel admite, porém, que os países, na sua maioria, estão decidindo por dar a faixa de 6GHz, com 1200 Mhz, para os serviços não-licenciados, mas adverte: o 5G vai precisar de 2GHz de espectro na próxima década para oferecer todo o seu potencial.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Serviços de Valor Agregado são a aposta das teles para lucrar com 5G

Por Luiz Pereira*

Em tempos nos quais o serviço de conexão já virou commodity, companhias do setor precisam diversificar ofertas para aproveitarem nova tecnologia.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site