GOVERNO

Governo não vê razão para adiar a vigência da Lei de Dados Pessoais

Luís Osvaldo Grossmann ... 13/12/2019 ... Convergência Digital

Da parte do governo federal, não há motivos para adiar a vigência da Lei Geral de Proteção de Dados (13.709/18), em meados de agosto de 2020. Segundo o secretário de Governo Digital, Luis Felipe Monteiro, além da responsabilidade natural de já ser o maior detentor de dados do Brasil, os órgãos federais serão orientados a como proceder para garantir aderência total à nova lei. 

“Criamos um grupo de trabalho dentro do Comitê de Governança de Dados criado pelo Decreto 10.046/19. Esse grupo já está se reunindo e há uma proposta de um guia para que os órgãos possam seguir um procedimento, técnicas orientadas por nós de como se adequar aos regulamentos da Lei Geral de Proteção de Dados”, explica Monteiro em entrevista ao Convergência Digital.

“O governo tem que se adequar à Lei Geral de Proteção de Dados, uma conquista da sociedade brasileira. O cidadão merece ter seus dados não apenas protegidos, mas também ter uma ampla gestão e transparência de como eles estão sendo utilizados e tratados”, afirma o secretário. 

Para a SGD, a afinidade com o tratamento de dados pelo Poder Público facilita a adequação. “”Não vemos o prazo como problema, até porque o governo já protege os dados há muitos anos então estamos relativamente bem preparados para o prazo de agosto. Esperamos que a Lei entre em vigor a todo vapor.”


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Estratégia 2020-2031 busca direcionar Brasil para economia baseada em dados

Decreto 10.531/20, com “visão de longo prazo” para orientar agentes governamentais prevê fomento a big data, analytics e inteligência artificial. 

Assespro: Marco Legal de Startups possui falhas graves

Em documento enviado à Comissão Especial do Marco Legal de Startups, entidade lembra que a legislação não resolve, por exemplo, a questão da falta de garantias de recibmento para a venda ao governo. "Governo demora a pagar os serviços contratados e muitas startups podem entrar em falência".

Ainda sem autonomia, ANPD vai negociar estrutura com Casa Civil

Diretor Presidente, Waldemar Gonçalves, revela que os cargos comissionados da nova agência - 36 ao todo  - passarão por uma seleção rigorosa e com o crivo da Casa Civil.

LGPD: Não fique parado. A Lei pegou e exige mudança cultural

Corporações não devem temer as obrigações da proteção de dados, mas implementá-las passo a passo. Mudanças trarão maturidade aos negócios e vão impulsionar o crescimento, afirmaram Mariana Blanes, do Martinelli Advogados, e José Pereira Junior, da Intelit, no CD em Pauta.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G