TELECOM

TIM e Vivo já acessam dados sobre a Oi Móvel

Ana Paula Lobo e Luis Osvaldo Grossmann ... 06/05/2020 ... Convergência Digital

A TIM confirmou que começou o due diligence com a Vivo para a possível compra da Oi Móvel, mesmo com a quarentena imposta pela pandemia de Covid-19 e a expectativa é que o mercado receba informações até o mês de junho, revelou o presidente Pietro Labriola, em teleconferência de resultados do primeiro semestre de 2020, realizada nesta quarta-feira, 06/05. Segundo Labriola, foi dado acesso aos dados para fazer a investigação das oportunidades e dos riscos. "A Oi colaborou e estamos avaliando todos os dados", declarou o executivo.

Sem querer adiantar detalhes- até por conta da própria negociação - Labriola garantiu que 'está indo tudo bem'. Ele descartou impacto no processo pela Covid-19. "Esse é um investimento de médio e longo prazo", declarou. O CFO da TIM Brasil, Adrian Calaza, foi além: 'estamos conduzindo os dados da melhor forma e podemos ter uma proposta nos próximos meses'.

O presidente da Vivo, Christian Gebara, também em teleconferência de resultados do primeiro trimestre, anunciou o início da coleta de informações, mas foi mais cauteloso. "Esse é um processo que leva um longo tempo e envolve uma empresa em situação legal específica(recuperação judicial). Não tenho como dizer quanto vai levar, mas estamos caminhando", pontuou.

Mas há impeditivos para a aquisição da Oi Móvel. Primeiro, a própria Oi precisa ter autorização na assembleia de credores para vender o ativo. A Oi ainda não confirmou quando será essa assembleia, mas ela tem de acontecer até o dia 06 de novembro. Além disso, há as questões envolvendo os órgãos reguladores - Anatel e CADE - por conta da partilha dos ativos, especialmente, espectro.


Internet Móvel 3G 4G
Reino Unido contraria teles e confirma leilão 5G para janeiro de 2021

Ofcom, a Anatel do Reino Unido, não quis receber cerca de R$ 8 bilhões das teles, e manteve a oferta de 80 MHz em 700 MHz e 120 MHz entre 3,6 GHz e 3,8 GHz. Teles tentaram ficar com as frequências como 'compensação' à retirada dos equipamentos Huawei das suas redes.

Reclamações contra oferta de banda larga crescem 40% com a quarentena da Covid-19

Queixas na Anatel cresceram especialmente a partir de março. No conjunto dos serviços, agência recebeu 1,52 milhão de reclamações entre janeiro e junho. Também houve um aumento de 20% com relação à telefonia móvel.

Oi quer corte de dívida com Anatel por desequilíbrio na concessão

“Tem que fazer um PGMU mais leve para que a gente possa respirar”, defende a diretora regulatória, Adriana Costa. Anatel esclarece que concessão não é sinônimo de lucro garantido. 

Huawei defende reserva de 500 MHz da faixa de 6GHz para as teles

Para o diretor da Huawei Brasil, Carlos Lauria, a reserva técnica é a melhor garantia para aguardar a evolução da tecnologia. "Se der tudo agora, não tem como voltar atrás depois", observa o executivo.

Qualcomm defende faixa de 6GHz para não licenciados atenta ao 5G

Diretor da Qualcomm, Francisco Soares, espera que a Anatel se defina por dar os 1,2GHz para os serviços licenciados. "O 6GHz não licenciado será o complemento ideal para os serviços licenciados 5G", sustenta.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G