INTERNET

UIT: Mundo tem dificuldade para levar Internet aos 3,7 bilhões desconectados

Convergência Digital* ... 23/09/2019 ... Convergência Digital

As abordagens tradicionais para impulsionar a implantação e a captação de redes da Internet não estão endereçando a metade restante da população global que ainda não tem acesso à internet, ressaltou um novo relatório “State of broadband”, publicado pela Comissão de Banda Larga para o Desenvolvimento Sustentável, da União Internacional de Telecomunicações (UIT). 

Para combater a desaceleração do crescimento global, o relatório defende novas estratégias colaborativas que impulsionem o conceito de conectividade universal por meio de uma ênfase maior no compartilhamento de recursos e uma abordagem mais holística que trata a banda larga como uma utilidade pública básica e um facilitador vital do desenvolvimento global.

A noção de conectividade universal aponta que a banda larga deve ser disponível, acessível, relevante e acessível, mas também segura, confiável, capacitar o usuário e leva a um impacto positivo. O relatório defende esse novo conceito para apoiar as novas estratégias digitais dos formuladores de políticas, à medida que os governos busquem encontrar novas maneiras de financiar a implantação da rede e alcançar populações não conectadas.

O estudo “State of Broadband” (ou Estado da banda larga 2019) revela que o ritmo de crescimento global do porcentual de famílias conectadas à Internet está diminuindo: entre este ano e 2018, o aumento foi pequeno, alcançando 54,8% em 2019, ante 53,1% no ano passado. Nos países de baixa renda, a adoção da Internet nas famílias melhorou apenas 0,8% em média.

Os dados acerca de indivíduos que usam a Internet também indicaram desaceleração do crescimento global em 2018, bem como um crescimento lento nos países em desenvolvimento, que abrigam a maioria dos 3,7 bilhões de pessoas ainda desconectadas. 

Em nota, o secretário-geral da UIT, Houlin Zhao, afirmou que o relatório State of Broadband deste ano incentiva a pensar em termos de 'conectividade universal significativa' e disse que a inclusão digital só pode ser significativa e eficaz se e quando os usuários da Internet se sentirem habilitados a usar a tecnologia. Isto significa uma tecnologia acessível, atraente e segura.

Para acelerar a adoção da banda larga e a conectividade universal significativa, o relatório enfatiza a necessidade de ir além das prescrições e projetos de políticas 'business as usual' e em direção a modelos mais colaborativos baseados no compartilhamento de recursos e em abordagens holísticas.

Segundo o relatório, as conexões de banda larga móvel continuam a dominar. Contudo, a cobertura da rede móvel cresceu muito mais lentamente nos países de baixa renda, com uma melhora de apenas 22% nos últimos cinco anos da cobertura de 4G, enquanto que nos países de renda média-baixa o avanço foi de 66% no mesmo período.  

Em 2018,  as conexões 4G passaram as de 2G, com 3,4 bilhões acessos, 44% do total. O relatório estima que “em breve” 4G será a tecnologia dominante, contabilizando mais da metade das conexões móveis mundiais em 2019 e alcançando o pico em 2023, com 62% de market share. 


Revista Abranet 30 . fev-mar-abr 2020
Veja a Revista Abranet nº 30 A matéria de capa enfatiza a relevância do engajamento ao mostrar que uma internet mais segura depende da ação conjunta de todos os atores do ecossistema. Tratamos também do leilão das frequências do 5G. Veja a revista.
Clique aqui para ver outras edições

Convenções partidárias para Eleições 2020 podem ser feitas por videoconferência

TSE decidiu que os partidos têm autonomia para utilizarem as ferramentas tecnológicas que entenderem mais adequadas para suas convenções.

Latinos desconfiam de censura em dados sobre a Covid-19

No Brasil, 47% acreditam em controle nas mídias e redes sociais. Abaixo de Espanha (54%), México (59%) e Colômbia (61%). Aqui, a TV teve a preferência para acesso à informação. Nas redes sociais, o Facebook e o WhatsApp empataram com 34%.

STF: Fachin diz que bloqueio do WhatsApp passa pela Autoridade de Dados

Assim como Rosa Weber, que relata a ADI 5527, Edson Fachin defendeu o direito ao uso da criptografia. Julgamento foi suspenso.

MP de Brasília abre inquérito para apurar venda de dados pessoais

Empresa na mira do Ministério Público do Distrito Federal e Territorios (MPDFT) é a Procob S.A. De acordo com a denúncia, essa empresa comercializa relatórios contendo informações como endereço, telefones, e-mails e outros.

TJSP começa com grupo Itaú projeto de citação eletrônica de pessoas jurídicas

Segundo oTribunal, informações técnicas para a participação foram enviadas a diversas instituições, mas por enquanto  somente o grupo financeiro respondeu. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G