GESTÃO

Serasa Experian: empresas vão investir mais em tecnologia por dados pessoais

Por Fernanda Ângelo e Ana Paula Lobo ... 12/06/2019 ... Convergência Digital

As instituições financeiras são as que mais inspiram confiança nos consumidores digitais no Brasil. Este é um dos resultados apontados pela pesquisa Global Identity and Fraud Report, divulgada nesta quarta-feira (12/06) pela Serasa Experian, durante o CIAB Febraban 2019.

De acordo com o levantamento, o segmento de bancos e seguradoras foi citado como o mais confiável para o compartilhamento de dados pessoais por 46% dos entrevistados.  Em segundo lugar, surgem os provedores de meios de pagamento (25%), seguidos pelos provedores de tecnologia (10%).  A pesquisa ouviu 10 mil consumidores e mil empresas em 21 países para identificar o cenário de prevenção a fraude em relação a transações digitais.

A liderança das instituições financeiras se repete no comportamento global, sendo que nos Estados Unidos esse índice foi de 42%, e atingiu o maior percentual (54%) na Colômbia. “O investimento em inovação, redução de riscos e fraudes e o uso transparente e inteligente de informações são referenciais valiosos para alavancar o poder dos dados, o que gera confiança e entrega de experiências cada vez mais relevantes”, disse o diretor de Prevenção a Fraude da Serasa Experian, Eduardo Castro.

E as empresas planejam aumentar os investimentos em tecnologias para garantir o conforto do consumidor durante o uso de seus serviços. Castro afirma que 50% das companhias ouvidas planejam ampliar os investimentos destinados a transparência e prevenção a fraudes.

"As empresas sempre trabalharam com as fraudes mais clássicas, como roubo de documentos, de cartões de crédito, boletos falsos. Agora elas precisam lidar com fraudes mais complexas, e isso exige novos investimentos", afirmou Castro.

O termômetro da confiança

O levantamento também avaliou como o consumidor lida em relação à coleta, uso e armazenamento de seus dados pessoais por parte das empresas. Nesse contexto, o setor financeiro novamente ficou em evidência, com 32% dos brasileiros afirmando que “confiam totalmente” nas instituições financeiras. O mesmo percentual se repete para meios de pagamento, posicionando esses segmentos no Brasil à frente dos demais países.

No cenário global, o nível de confiança nas instituições financeiras chega a ser três vezes maior do que em lojas de varejo online (sites e aplicativos). No Brasil, a diferença chega a 19 pontos percentuais (2,5 vezes maior).“Isso mostra que o investimento robusto em TI e em recursos visíveis de segurança destinados pelo setor financeiro nos últimos anos, a fim de ampliar a proteção de operações e informações pessoais contra fraudes, tiveram reflexo direto e positivo na visão dos consumidores”, destacou Eduardo Castro, exemplificando com a declaração do Imposto de Renda, em que o usuário precisa colocar senha e recebe mensagem de que o arquivo transferido é criptografado.

Segundo o levantamento, os maiores aumentos no nível de confiança, nos últimos 12 meses, também foram nesses segmentos: 33% para bancos e seguradoras e 30% para provedores de meios de pagamento.  À CDTV, do Convergência Digital, Eduardo Castro falou sobre o resultado da pesquisa e do impacto da privacidade dos dados. Assistam.


Plataforma consumidor.gov.br atinge a marca de 2 milhões de registros

No ano passado, o índice médio de solução de conflito foi de 81%.  Projeto completa cinco anos e envolve a Secretarian Nacional do Consumidor, do Ministério da Justiça e o Tribunal de Justiça de São Paulo.

Projeto de Lei quer enquadrar apps como 99 e Uber no Código do Consumidor

Hoje, diz o autor do PL, deputado Sérgio Vidigal (PDT/ES), o atendimento desses aplicativos é insatisfatório e viola as normas existentes de defesa do consumidor. Uma das medidas impostas é a obrigação de ter um SAC por telefone, funcionando 24 horas.

INPI promete reduzir prazo para registro de chips de 70 para 7 dias

Sistema batizado ‘e-Chip’ permitirá a solicitação online no caso de topografias de circuitos integrados. Plano de digitalização dos serviços também prevê que o Instituto vai aceitar pagamento por cartão, no lugar da GRU. 

Governo de São Paulo oficializa programa SP Sem Papel

Primeira etapa do projeto será implantada neste mês nas Secretaria de Governo, Casa Civil, Fazenda e Planejamento, Educação, Saúde, Desenvolvimento Regional e na Prodesp. Iniciativa será finalizada em 2020, com a adesão da administração indireta. Servidores serão treinados por EAD.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G