OPINIÃO

Transformação digital para aproximar, mesmo à distância

Por Melissa Kfouri*
02/06/2020 ... Convergência Digital

Proximidade com parceiros é um aspecto inegociável para empresas que adotam metodologias ágeis e colocam o cliente no centro do negócio. É preciso manter um diálogo constante para colher feedbacks, definir a melhor estratégia e ajustar as soluções em desenvolvimento.

Com o tão falado processo de transformação digital em andamento, agora ainda mais acelerado, cada vez mais empresas adotaram a premissa de estarem próximas a seus clientes. Porém, com o agravamento da crise do novo coronavírus, premissas e transformações foram testadas.

A cena é comum a quase todas as empresas: assim que fomos atingidos pela pandemia, foi preciso entender o tamanho do problema que se desenrolava enquanto estudávamos como preservar a saúde das pessoas, qual seria o impacto nos negócios e quais seriam as mudanças mais urgentes para manter a organização funcionando adequadamente.

Na sequência, surgiram novos obstáculos, de todo tipo. Um deles era saber como manter essa proximidade com os parceiros uma vez que o isolamento social foi amplamente adotado e as reuniões presenciais se tornaram raridade.

Retroceder não era opção, não apenas porque seria contraproducente, mas também porque abrir mão de ter o cliente no centro dos processos seria impossível. Pergunte para algum project owner se ele toparia abandonar todo o esforço dispensado para se adaptar a ciclos de melhoria rápida e se aceitaria retornar ao modelo convencional, de conhecer a satisfação dos clientes apenas na entrega de um projeto finalizado. Como resposta, ouça um sonoro não.

Mais uma vez, a palavra-chave é transformação. Ninguém esperava enfrentar uma pandemia, mas esse triste episódio colocou à prova o trabalho que estava em andamento dentro das organizações. O uso de metodologias ágeis para criar novos produtos passou a ser utilizado para desenvolver soluções que ajudem a atravessar a pandemia. Saiu na frente quem já pensava em um novo normal muito antes de março de 2020.

No caso da Algar Telecom, uma das prioridades era manter viva essa relação “olho no olho” com parceiros. Para isso, a Estação, área da empresa organizada por metodologias ágeis criada para escalar soluções, ajudou a companhia a reinventar o modo como sua área de vendas trabalhava. Desenvolvemos o Empresa Digital, uma plataforma para conectar nossos consultores com clientes, atuais ou potenciais.

A plataforma tem algumas peculiaridades, como exibir os produtos disponíveis para possíveis interessados, reconhecer quem entra em contato e encaminhar diretamente para o consultor que costuma atender aquele cliente, através do canal de preferência (Whatsapp, Hangout ou mesmo sala conferência virtual).

O Empresa Digital, desenvolvido em uma semana e ajustado a partir do feedback de clientes, tem colaborado para superarmos alguns dos obstáculos impostos pelo novo coronavírus. Há uma série de outros projetos em andamento, alguns serão ajustados, alguns poderão até ser descontinuados, mas sabemos que é preciso dar continuidade à transformação, por mais complexo que seja o obstáculo.

Ainda estamos longe de superar completamente todos os graves problemas trazidos pela COVID-19 e há uma dose imensa de incerteza a ser enfrentada. Mas já é possível afirmar que superamos alguns dos primeiros desafios e que temos progredido ao nos transformarmos para preservar o que é necessário manter e para reinventar o que precisa ser solucionado.

Meses após o agravamento da crise, as prioridades seguem as mesmas: proteger as pessoas, os negócios e planejar o futuro. E assim seguirá. É preciso trabalhar a reinvenção, analisar o que tem funcionado melhor à distância e o que é preciso ser trabalhado para seguirmos. A estrada para atravessar essa pandemia é longa e há muitos caminhos, mas só é possível seguir em frente transformando nossas organizações sem perder a nossa essência.

*Melissa Kfouri é head da Estação Algar Telecom


Carreira
Tonny Martins vai para a IBM América Latina. IBM Brasil terá novo líder

Executivo terá a missão de trabalhar em duas áreas consideradas críticas na região para a IBM: Open Hybrid Cloud e Inteligência Artificial. Ana Paula Assis, que estava na função, fica na IBM em uma 'função global executiva'.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G