INCLUSÃO DIGITAL

Viasat anuncia Ruralweb como parceiro privado no satélite da Telebras

Luís Osvaldo Grossmann ... 16/04/2019 ... Convergência Digital

A americana Viasat anunciou nesta terça, 16/4, o primeiro contrato no Brasil para revenda de acesso a internet com o uso do satélite da Telebras. Sem revelar valores, informa que “seu primeiro parceiro de distribuição de internet no Brasil” é a empresa Ruralweb, criada em 2003 e focada na oferta de banda larga via satélite.

Segundo o comunicado, “por meio do acordo, a Ruralweb trabalhará com a Viasat para distribuir e implantar serviços de internet de alta velocidade via satélite em todo o Brasil, incluindo os locais mais remotos do país”, ofertando serviços “para os mercados residencial, de pequenos negócios, empresarial e agrícola”.

“A equipe da Ruralweb nos ajudará a fornecer serviços de banda larga acessíveis, escaláveis e de alta qualidade para novos mercados, especialmente às comunidades onde o serviço de internet tem estado historicamente indisponível”, diz a gerente geral da Viasat do Brasil, Lisa Scalpone.

“A parceria nos permitirá complementar nosso portfólio de satélites com a capacidade de oferecer serviços avançados e de alta qualidade na banda Ka. Nossa experiência local nos permitirá avançar em novas localizações geográficas e populações para atender às demandas antecipadas das novas ofertas de serviços da Viasat”, diz o presidente da Ruralweb, Marcus Antonio Kruel.

A Ruralweb já anuncia pacotes de conexão em banda Ka, em “todo o território nacional”, a partir de R$ 239 em planos de 10 Mbps de download, com 25 GB de franquia mensal. E há planos de 25 Mbps a partir de R$ 710. Mas em todos os casos é exigida uma taxa de adesão de R$ 990.

O uso do satélite geoestacionário de defesa e comunicações se dá por meio de um acordo entre a Viasat e a Telebras, que prevê compartilhamento de receitas, mas que ainda aguarda uma posição final do Tribunal de Contas da União, como lembrado pela própria empresa no comunicado. “A companhia continua investindo recursos no mercado local enquanto aguarda aprovação final dos aditivos solicitados pelo Tribunal de Contas da União ao acordo assinado com a Telebras”.


Mais da metade das mulheres no mundo está sem acesso à Internet

União Internacional de Telecomunicações adverte que o sexo feminino é o mais afetado pela desigualdade no acesso à banda larga, em especial, nos países em desenvolvimento.

Huawei: nação digital é o último estágio da transformação digital

Conceito ainda é muito novo, mas engloba o uso e a análise dos dados para retroalimentar produtos e processos, conta o diretor de Comunicação e Relações com o Governo da Huawei Brasil, Juelinton Silveira.

Audima cria ferramenta para levar conteúdo aos analfabetos digitais

A partir da própria dor, uma vez que tem dislexia, Paula Pedrosa criou a Audima, uma startup que transforma palavras em áudios. "O império da visão exclui muita gente. Nosso desafio, hoje, é mostrar que inclusão monetiza", observa a executiva.

Domicílios com Internet chegam a 67% no Brasil, mas desigualdade permanece

TIC Domicílios 2018, do CGI.br, revela que as classes D e E elegeram o smartphone como o meio preferencial de acesso.

Nas favelas, há jovens ávidos para aprender e trabalhar com TICs

O projeto Vai na Web já formou 200 jovens em linguagem de programação, mas, agora,busca recursos para ensinar as profissões do futuro como Inteligência artificial e internet das coisas.

Anatel aprova consulta para aumentar potência do Wi-Fi

Além de permitir o uso de equipamentos WiFi na faixa de 60 Ghz, para o WiGig, que promete conexões de até 7 Gbps, agência prevê aumentar a potência atual dos aparelhos na faixa de 5 GHz.  



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G