Clicky

Convergência Digital - Home

Sky nega venda de data center e quer ter 100% dos sistemas na nuvem em 2022

Convergência Digital
Ana Paula Lobo - 12/05/2021

A Sky Brasil vai migrar  80% dos seus sistemas de nuvem para a Oracle até dezembro, revelou o diretor de TI da operadora de TV por satélite, André Nazaré, ao participar de coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira, 12/05, realizada pela Oracle para o lançamento da segunda região de cloud computing no Brasil, mais especialmente, em Vinhedo, Campinas, São Paulo.

"A nossa intenção era ter 100% dos sistemas de TI na nuvem ainda este ano, mas tivemos de rever a estratégia por conta da pandemia. Mas teremos 100% em 2022. E a escolha da Oracle foi natural. Nós já usamos sistemas de CRM, billing e outros da empresa", informou André Nazaré.

O processo de migração para a nuvem começou há três anos. Em 2019, começaram a rodar fora do data center da Sky os sistemas de analytics e big data. Também foi criado um motor de decisões em tempo real baseado em algoritmos, considerado peça-chave para marcar a posição de ir à nuvem com toda a TI. "O nosso investimento na nuvem aumentou 508%, mas ainda assim, a opção pela nuvem reduziu à metade os custos e investimentos em infraestrutura", pontuou André Nazaré.

A decisão de ir para nuvem não significa que a Sky vai se desfazer do data center próprio, ocupado até então pela TI. O diretor de TI diz que a unidade em Tamboré será 100% ocupada pela área de Engenharia, assim como o de Jaguariúna, também em São Paulo. "Não há nenhum plano de vender ou se desfazer dos ativos data center", garantiu André Nazaré.


Destaques
Destaques

Por que se tornar uma empresa data-driven?

Data-driven ou orientada a dados. É esse o novo lema das companhias que, cada vez mais, estão armazenando e analisando dados em busca de insights de negócios. Mas o que as empresas devem fazer para abraçarem os dados de forma a promover benefícios estruturais e longevos? A resposta não é simples.

TIM une big data,LPA e robôs para controle do pagamento de impostos

Operadora elegeu a inteligência artificial para processar grandes e complexos volumes de dados com o SAS e a KPMG. Investimento ficou em torno de US$ 500 mil, ou R$ 2,65 milhões, mas parte dele já foi recuperado em pouco mais de seis meses.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Serviços SaaS, proteção de dados e a LGPD

Por Eder Miranda*

Ter um plano abrangente de proteção adicional de dados para as plataformas SaaS é vital para os negócios, uma vez que as empresas não podem abrir sem ter o controle sobre o que está sendo protegido e sobre a maneira como isso está sendo feito pelos fornecedores de software como serviço.

Cloud é bom, mas quem gerencia?

Edmilson Santana*

Se a nuvem soluciona problemas de um lado, de outro sua operação demanda a formação de um time capaz de traduzir demandas de negócio em continuidade operacional, e isso de forma ágil, produtiva e consistente.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site