Clicky

Convergência Digital - Home

Brasil investe muito pouco em Inteligência Artificial

Convergência Digital
- 08/12/2020

A real implantação da inteligência artificial (IA) no setor de saúde abrirá um leque de oportunidade para diversas aplicações. Em talk show, realizado no5x5 TEC Summit, nesta terça-feira, 8, o consultor de IA, Eduardo Prado, começou sua contribuição ao evento lembrando que o setor da saúde ainda é muito analógico, mas admitiu que a pandemia acelerou a digitalização do segmento.

Além da falta da predominância analógica, com o setor ainda estando muito baseado em atendimento presencial, a ausência de interoperabilidade dos dados de saúde e a baixa utilização de inteligência artificial foram outros desafios levantados por Prado para serem vencidos no segmento de saúde rumo a adoção de novas tecnologias e para um atendimento melhor ao cidadão. A tendência, observou, agora, é partir para digitalização uma vez que a pandemia acelerou o processo de uma interação digital com pacientes. "Houve um aumento brutal do atendimento de telemedicina e órgãos reguladores no mundo estão fazendo força para as instituições abrirem dados e interoperabilizá-los", apontou.

Entre as aplicações mais promissoras, Prado apontou a implantação de atendimento por meio de tecnologias de voz no SUS, análises de imagens remotamente, ampliação da medicina preditiva para doenças crônicas e do uso de inteligência artificial para telemedicina, além da maior utilização de data analytics. "O big data é crucial na saúde. Mas temos de mexer na cabeça das pessoas. Não se faz uma transformação digital sem mexer com as pessoas", assinalou o especialista. No caso da Inteligência Artificial, a grande aposta é o uso dela para aperfeiçoar a medicina preventiva. "É assim que se vai reduzir custos e melhorar o atendimento", adicionou.

Eduardo Prado lamentou o fato de o Brasil estar atrasado 'há pelo menos oito anos no uso de Inteligência Artificial' e disse que o maior gargalo nacional segue sendo o baixo investimento público na tecnologia. Prado observou que a China está investindo US$ 15 bilhões para se tornar, em 15 anos, líder mundial em IA em 2030. A Coreia anunciou um aporte de US$ 1 bilhão. A Espanha, um aporte de US$ 735 milhões. No Brasil, o aporte previsto é de R$ 70 milhões. "A distância é muito grande em relação ao mundo", lamentou.

Também impacta no maior uso da inteligência artificial um entrave nacional: a formação de mão de obra. "Temos de melhorar muito a formação dos nossos profissionais. Há esforços sendo feitos como os centros de IA, mas ainda há muito por fazer e avançar", completou o especialista.

O 5x5 TecSummit segue até o dia 11 de dezembro. Nos próximos dias vão ser debatidas as verticais Energia, Finanças e Entretenimento. E se perdeu, reveja o conteúdo das verticais Governo e Saúde. Inscrevam-se!


LEIA TAMBÉM:
Destaques
Destaques

Sky nega venda de data center e quer ter 100% dos sistemas na nuvem em 2022

"O projeto era ter tudo este ano, mas tivemos que rever por conta da pandemia. Vamos ficar com 80% dos sistemas de TI na nuvem da Oracle. Mas isso não significa que vamos nos desfazer do nosso data center. Ele será realocado para a Engenharia", afirmou André Nazaré, diretor de TI da Sky Brasil.

Teradata é 100% cloud e open source

Há 40 anos no Brasil, empresa disse adeus ao hardware para ser uma companhia de software e de computação em nuvem. "Boa parte das empresas trata os dados como uma mercadoria. Eles estão em silos, mal gerenciados e inacessíveis para quem precisa", observa o diretor geral da Teradata no Brasil, Fabio Oliveira.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Cloud é bom, mas quem gerencia?

Edmilson Santana*

Se a nuvem soluciona problemas de um lado, de outro sua operação demanda a formação de um time capaz de traduzir demandas de negócio em continuidade operacional, e isso de forma ágil, produtiva e consistente.

Como a IaaS está alinhada ao seu negócio?

Por Fábio Lucinari*

Cada vez mais é preciso considerar que as opções convencionais de TI tendem a ser ineficientes no trabalho de auxiliar as companhias a se adaptarem às necessidades e aos desafios do cenário atual. Infraestrutura como serviço oferece soluções projetadas sob medida e aprimoram o consumo da área de tecnologia.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site