Home - Convergência Digital

Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

Ana Paula Lobo* - 30/06/2020

Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G, advertiu o responsável pela Omdia na América Latina, Ary Lopes, ao participar do Futurecom Summit Digital, nesta terça-feira, 30/06. O especialista antecipou alguns tópicos de pesquisa feita pela  Omdia, ex-OVUM, em parceria com a Nokia, mostra que, nos próximos 15 anos, o 5G vai render R$ 5,5 trilhões para o Brasil, com o governo adicionando quase R$ 1  em receitas com serviços 5G.

"TICs serão os mais beneficiados como usuários e implementadores com R$ 1,2 bilhão, mas são todas as verticais terão benefícios", pontuou. Para Lopes, 5G vai combater a recessão econômica determinada pela Covid-19 no Brasil e na América Latina e precisa ser implantado de forma urgente. "O estudo nos mostra que o 5G vai adicionar 1 ponto no Produto Interno Bruto do Brasil com o aproveitamento pleno da tecnologia. Isso é um efeito impressionante, se pensamos no impacto negativo da Covid-19 na economia ", reforça. A pesquisa completa será lançada nas próximas semanas.

Lopes observou que 240 milhões de latino-americanos vivem em regiões sem oferta de banda larga e que 100 milhões vivem em área de cobertura, mas não contratam o serviço por falta de recursos financeiros. A região também contabiliza 60% dos domicílios sem banda larga fixa. "No Brasil, são 39% dos lares sem banda larga acima de 30 Mbits. As operadoras terão oportunidades efetivas de incrementar a base de serviços com o 5G, na oferta de banda larga fixa", reforçou o responsável pela Omdia na América Latina.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

08/07/2020
5G da Claro será na faixa de 2,6 GHz

08/07/2020
Faria: 5G depende de posição do presidente Jair Bolsonaro

07/07/2020
Nokia usa RAN aberto para provocar Ericsson no 5G

02/07/2020
Faixa de 1,5 GHz também pode ser destinada ao 5G para uso privado

02/07/2020
Claro traz 5G com compartilhamento de frequência para o Brasil

30/06/2020
Vivo e TIM avançam com OpenRAN para 'quebrar' concentração dos fornecedores

30/06/2020
Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

29/06/2020
Vodafone: 5G é o remédio para combater o impacto da Covid-19

25/06/2020
Covid-19 impôs revisão dos projetos 5G na América Latina

23/06/2020
Huawei: Brasil sempre teve um mercado aberto e justo no setor de TIC

Destaques
Destaques

Covid-19 fez smartphone virar agência bancária com 41% das transações financeiras

As transações bancárias feitas por pessoas físicas pelos canais digitais foram responsáveis por 74% do total de operações analisadas em abril, revela a Febraban.

Oi Móvel terá um 'único' dono e Oi não se exclui do jogo do 5G

O CEO da Oi, Rodrigo Abreu, descartou a possibilidade de vender a Oi Móvel 'fatiada' para atender aos interessados: Vivo/TIM e Claro. "Sem chance. O ativo será vendido todo", disse. Sobre o 5G, diz que dependendo do modelo de venda, a Oi entra pensando em B2B, IoT e até para ser MVNO.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site