Clicky

Convergência Digital - Home

Serpro e Economia criam ‘Mapa de Empresas’, com Big Data das Juntas Comerciais

Convergência Digital
Convergência Digital* - 29/05/2020

O Serpro e a Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia lançaram uma ferramenta de análise de dados sobre abertura e fechamento de empresas no Brasil. Chamado ‘Mapa de Empresas’, a aplicativo permite a análise de mercados, concorrência, clientes e fornecedores por tipo de atividade econômica dos empreendimentos.

"Criamos a ferramenta para impulsionar os negócios com dados precisos. Devemos abrir todos os dados que subsidiem decisões dos empresários e do próprio governo sobre as oportunidades e desafios para empreender no país", diz o secretário especial de Desburocratização, Paulo Uebel. 

O ‘Mapa’ é fruto da integração digital empreendida pela Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim), coordenada pelo Ministério da Economia e que reúne entidades representativas das 27 Juntas Comerciais. Nas Juntas, são registradas abertura, alterações e encerramento das empresas do país. Agora, os dados regionalizados são obtidos mais rapidamente e é possível cruzá-los de forma mais organizada.

Informações extraídas do Mapa demonstram que o Brasil encerrou o 1º trimestre deste ano com 18.296.851 empresas ativas. É um saldo positivo de mais de meio milhão de empresas (no total, 554.579 a mais). Foram abertas 846.957 empresas e fechadas, no período, 292.378.

As atividades de maior crescimento foram de ‘cabeleireiros, manicure e pedicure’, com 45.397 empresas abertas; ‘comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios, com 42.864 empresas; ‘promoção de vendas’, 36.120; ‘obras de alvenaria’, 29.929; e ‘fornecimento de alimentos preparados preponderantemente para consumo domiciliar’, 23.383.

A atualização do ‘Mapa de Empresas’ será mensal. "Com a solução, é possível ter rapidamente uma radiografia do mercado brasileiro", observa o presidente do Serpro, Caio Mario Paes de Andrade. "A ferramenta permite a obtenção de dados de negócios livremente, possibilitando obter insights para a tomada de decisões".


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

Icatu Seguros: mudar atendimento ao cliente para a nuvem foi decisão irreversível

Seguradora contratou a CXone, da NICE, para migrar, em tempo recorde, os seus funcionários para o trabalho remoto. "Tínhamos de não perder a qualidade e a eficiência e adaptar o serviço ao dia a dia das casas dos colaboradores", conta o diretor de Marketing e canais, Rafael Caetano.

Diversidade e Ciência de Dados: um desafio ao Brasil

Mais mulheres precisam ocupar carreiras em Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática pelo bem do País, incentiva a embaixadora da Women in Data Science da USP (WiDS @USP), Renata Sousa.

Destaques
Destaques

Nuvem exige plano A, plano B e erra quem não faz recuperação de desastre

A nuvem não é proteção por si só e exige muito planejamento das empresas, afirmam especialistas de segurança da informação. Para o CISO da RNP, Emilio Nakamura, contingência e resiliência são obrigações. "Ser rápido num incidente é o relevante porque não existem sistemas 100% seguros".

Com nuvem à frente, nova força da TI na pandemia começa a refletir nos orçamentos

Segundo a IDC Brasil, se 2020 já viu um aumento de até 25% no dinheiro disponível para TICs nas empresas, 2021 sinaliza um crescimento ainda maior.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como controlar os gastos em nuvem pública?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.

O caminho da cibersegurança passa pela nuvem

Por Felipe Canale*

Com organizações cada vez mais distribuídas, manter dispositivos em todos os locais ou usar produtos diferentes para trabalhadores remotos cria inúmeras brechas de segurança, além de custar muito e sobrecarregar os recursos de TI.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site