Home - Convergência Digital

Serpro retoma as atividades presenciais, com exceção do Rio de Janeiro

Convergência Digital - 05/10/2020

O Serpro está retomando as atividades presenciais nesta segunda-feira, 5 de outubro. O retorno será escalonado e, nesta primeira fase, voltam cerca de 30% dos empregados em todo o país. Apenas, na Regional do Rio de Janeiro, será mantido, temporariamente, o home office aos empregados.

“Passamos por um momento difícil e o Serpro foi muito resiliente e preciso na hora de adotar o home office. Conseguimos, antes de toda a Administração Pública, fazer com que nossos empregados fossem para casa. Todos passamos por essa pandemia, e ainda estamos passando, nós e o país tivemos muitos desafios. Mas é hora de começar a voltar e o Serpro se insere neste movimento bem lento, gradual e seguro de retorno a suas atividades", ressaltou o presidente do Serpro, Gileno Barreto.

Para facilitar o retorno, a empresa criou o projeto Retorno Seguro e dividiu os empregados em três grupos, considerando, principalmente, critérios de saúde. Assim, empregados que não se enquadrem em grupos de riscos ou vulnerabilidades são os primeiros a retomarem ao trabalho presencial já no dia 5. A volta de integrantes dos grupos classificados como vulnerabilidade e de risco está prevista, respectivamente, para novembro e dezembro.

Medidas para um Retorno Seguro

"O Serpro é a ‘ponta de lança’ da transformação digital do governo, é uma empresa que serve ao cidadão e esse retorno se faz necessário, mas não será de qualquer forma. Várias medidas sanitárias, de adaptação de mobiliário e logística foram tomadas”, explicou o presidente Gileno, durante evento online em que foi comunicado aos empregados o protocolo de retorno.

Essas iniciativas contemplam até mesmo a possibilidade de que cada chefia possa, por exemplo, determinar uma escala do trabalho presencial de suas equipes, de forma a garantir o distanciamento social na empresa, decidindo, em casos pontuais e em conjunto com o empregado, o melhor dia para retorno dele à empresa, dentro do mês disponibilizado para cada grupo. É possível até que o empregado trabalhe alguns dias na empresa e outros em casa, ou que trabalhe, pela manhã, na empresa e, à tarde, em casa.

As medidas de segurança de desinfecção prévia e geral dos ambientes, acesso à empresa com aferição de temperatura e alteração na climatização seguem recomendações internacionais e, além disso, a empresa investiu na sinalização dos ambientes para garantir o cumprimento dos protocolos de segurança em trabalho presencial.

“Tivemos, em todos os endereços do Serpro, o mesmo cuidado na implementação das medidas. Porém é essencial e necessário que cada um colabore, usando máscara e álcool gel na empresa, mantendo o distanciamento e ajudando a alertar os colegas sobre tudo isso, quando preciso. Ou seja, é importante seguir todas as medidas de prevenção amplamente divulgadas no país e já conhecidas por nós", enfatizou o superintendente de Logística do Serpro, Roberto Luiz Peixoto.


O atendimento presencial à população fica restrito apenas para emissão de certificação digital. Caso o cidadão precise de outro tipo de atendimento relacionado à produtos do Serpro, gestão de pessoas, área de operações e financeira da empresa, o atendimento continua sendo realizado de forma virtual.

Regional do Rio de Janeiro

O Serpro decidiu manter, temporariamente, em home office os empregados da Regional do Rio de Janeiro que não pertencem aos grupos de vulneráveis e de risco, se antecipando a uma notificação judicial que suspenderia o retorno ao trabalho presencial. A empresa tomou conhecimento da decisão no último dia 2 de outubro e ainda não foi intimada pela Justiça do Trabalho do RJ.

A medida da empresa será mantida enquanto perdurar a decisão judicial e foi tomada para evitar risco de aglomeração na entrada da Regional, em decorrência de eventual insegurança provocada por qualquer desinformação porventura causada pela decisão, no momento em que as pessoas voltassem à empresa.

O compromisso com a saúde dos empregados é prioridade do Serpro, principalmente neste momento de pandemia. A Justiça do Trabalho do RJ ainda não ouviu a empresa para o esclarecimento acerca dos protocolos de segurança.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

30/11/2020
Home office disparou o custo com contas de luz, de água e de Internet

30/11/2020
Coleta de dados pelas operadoras para combate à Covid-19 vai até o dia 31 de dezembro

24/11/2020
Receita prorroga, de novo, prazo para Serpro parar de divulgar NFEs a terceiros

18/11/2020
Governo determina pagamento integral do 13º de quem teve jornada reduzida pela Covid-19

17/11/2020
Covid-19 ajuda e-mail na nuvem a desbancar e-mail tradicional

17/11/2020
Covid-19 repaginou o papel do PC e 5G entra na estratégia corporativa

12/11/2020
Pós-Covid: aberta a 1ª etapa de certificação de mentor internacional

09/11/2020
Maioria dos servidores públicos federais tem medo da volta ao trabalho presencial

09/11/2020
Por ordem do TCU, INSS inicia perícia por telemedicina

05/11/2020
Apenas 16% dos empregados em teletrabalho tiveram Internet paga pelos patrões

Diversidade e Ciência de Dados: um desafio ao Brasil

Mais mulheres precisam ocupar carreiras em Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática pelo bem do País, incentiva a embaixadora da Women in Data Science da USP (WiDS @USP), Renata Sousa.

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A confiança é ganha com mil atos e perdida com apenas um

Por Luis Banhara*

À medida que o conceito de trabalho se descola dos escritórios, mesmo que parcialmente, surgem novos desafios de segurança. A superfície de ataque foi ampliada.

Destaques
Destaques

Certificação é critério de seleção para encarregado de dados

Ainda que a LGPD não exija qualificação específica, o mercado busca profissionais com conhecimento na área. Formação pode custar até R$ 6 mil, observou Mariana Blanes, advogada e sócia do Martinelli Advogados, ao participar do CD em Pauta.

Teletrabalho: sem regulamentação, sem direitos, sem deveres, sem regras

Depois da nota técnica do MPT alertando para o direito à desconexão, Congresso tenta acelerar a votação dos PLs que tratam do tema, entre eles o PL 3915/20. O tema é complexo. IN 65, do governo federal, repassa os custos com tecnologia para os servidores no home office.

Ministério Público: Teletrabalho exige direito à desconexão

Ministério Público do Trabalho elaborou uma nota técnica direcionada para as “empresas, sindicatos e órgãos da administração pública”.  Na orientação, sugere a adoção de etiqueta digital para orientação de patrões e empregados.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site