NEGÓCIOS

Mais da metade da indústria segue sem componentes e 24% paralisaram atividades

Convergência Digital* ... 27/03/2020 ... Convergência Digital

Uma quarta sondagem realizada pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), entre os dias 23 e 25 de março, sobre o impacto da pandemia de coronavírus na produção do setor eletroeletrônico apontou que 24% das empresas do setor eletroeletrônico já operam com paralisação parcial ou total na fabricação local. Esse resultado é bastante superior aos 6% observados na pesquisa anterior, que, na ocasião, indicavam apenas paralisação parcial. Diferentemente das pesquisas anteriores, o principal problema agora diz respeito à chegada da pandemia no Brasil e não apenas à falta de componentes e insumos importados da China.

De acordo com a sondagem, 51% das indústrias do setor relataram problemas no recebimento de materiais, componentes e insumos provenientes da China. Na pesquisa anterior, de 6 de março, 70% das empresas apontaram dificuldades no abastecimento de insumos oriundos daquele país. Do total de 24% de empresas paralisadas nesta última pesquisa, 42% relataram que a parada é total e 58%, parcial. A sondagem contou com a participação de 60 indústrias das diversas áreas do setor eletroeletrônico.

"A nova pesquisa indica que o maior problema agora não é mais o fornecimento de insumos da China, mas a chegada do coronavírus ao Brasil, que obrigou as empresas a adotarem medidas de prevenção, afetando assim a produção local", afirma o presidente da Abinee, Humberto Barbato. Além disso, segundo ele, esta última pesquisa também indicou que algumas empresas enfrentam problemas de abastecimento de outros mercado, como o europeu, além de dificuldades no próprio fornecimento local.

Com esse novo cenário, passou de 21% para 30% o total de empresas que informaram que não devem atingir a produção prevista para o 1º trimestre deste ano. Conforme essas indústrias, a produção do período deverá ficar, em média, 34% abaixo da projetada. Este percentual também aumentou na comparação com a pesquisa anterior, que indicava uma queda de 31% na produção.Para 43% das empresas, entretanto, ainda será possível manter o resultado planejado. Na pesquisa anterior, o percentual de otimistas quanto à produção do primeiro trimestre era de 48%.

A sondagem da Abinee apontou ainda que as empresas no Brasil estão adotando medidas para evitar picos de contaminação.Conforme a pesquisa, na área administrativa 33% das entrevistadas estabeleceram trabalho remoto (home office) total e 53%, o home office parcial. As demais (14%) não aderiram ao trabalho remoto.

Para os trabalhadores ligados diretamente à produção, as empresas do setor estão utilizando medidas para diminuir o fluxo de pessoas visando a amenizar o risco de contágio, tais como: rodízio de funcionários (26%); antecipação de férias (26%); férias coletivas (15%); jornada reduzida (9%). Outros (24%) adotaram iniciativas como antecipação de férias para funcionários dos grupos de maior risco; paralisação temporária na produção e remanejamento de horários rotativos de trabalho.

Ainda referente a essa questão, 22% das entrevistadas não reduziram o fluxo de trabalhadores ligados ao processo de produção, utilizando-se de outras precauções, como: higiene adequada; maior espaçamento entre as pessoas; medidas educativas; entre outras.


Cloud Computing
RNP, com AWS, Huawei e Microsoft, oferece nuvem de graça para pesquisa de combate à Covid-19

Serviço está liberado para a comunidade acadêmica e de pesquisa até o final de julho para as organizações que têm algum vínculo com a RNP. “Poder computacional é uma das grandes dores de quem tem uma aplicação e precisa de um ambiente seguro", observa o diretor-adjunto de serviços, Luiz Coelho.

#apoieojornalismoespecializado é prorrogada até 31 de julho

Campanha foi estendida como agradecimento aos apoiadores: ABERT, ABES, Abinee, Abranet, Abratel, Abrint, ABTA, Algar, Assespro, Associação Neo,Brasscom, Brisanet, Cisco, Claro, Commscope, CPQD, Embratel Claro, Ericsson, F5, Feninfra, Fitec, Futurecom 2020, Highline, Huawei, Infobip, Intel, Kryptus, Mercado Livre, mobi2buy, PadTec,
Positivo Tecnologia, NIC.br, Oi, RNP, SAS, SindiTelebrasil, Stefanini,
Surf Telecom, Sky, Take, TelComp, TIM ,  Vero Internet, Viasat, Vivo e WDC Networks. 
A #apoieojornalismoespecializado une os veiculos - Convergência Digital, Mobile Time, Tele.Síntese, Teletime e TI Inside. Participe. Venha fazer parte do time que apoia o jornalismo especializado.

Stone que ir além das 'máquininhas', mas demite 1.300 para enfrentar crise do Covid-19

Empresa de meio de pagamentos quer investir em serviços financeiros e em ferramentas de vendas online. Em abril, a companhia, em parceria com o Grupo Globo, lançou a TON, voltada para trabalhadores autonômos.

Mesmo com impacto da Covid-19, América Latina terá R$ 9 bilhões em oportunidades em TI

Mesmo com a redução dos orçamentos,  a transformação digital foi acelerada, diz Luciano Ramos, gerente da IDC para América Latina.

Covid-19 fez produção da indústria eletroeletrônica recuar 9,1% em março

Abinee adverte que no mês de abril haverá uma nova queda, provavelmente ainda mais aguda, por conta das medidas de isolamento social.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G