GOVERNO » Compras Governamentais

Governo redesenha ComprasNet com inteligência artificial e unificação de bases

Luís Osvaldo Grossmann ... 31/05/2019 ... Convergência Digital

O sistema eletrônico de compras governamentais vai ganhar novas funcionalidades até o fim deste 2019, com o uso de inteligência artificial para auxiliar os pregoeiros na hora das licitações. Mas segundo a secretaria de gestão do Ministério da Economia, esse é apenas um dos próximos passos para o conhecido Comprasnet. A ideia é que em alguns anos ele se consolide como a única ferramenta de pregões online, não só para o governo federal, mas também nos estados e municípios.

“Dentro da plataforma Siasg/Comprasnet estamos implementando uma solução de inteligência artificial que vai funcionar como um assistente virtual ao pregoeiro durante o processo de licitação. Estamos pegando o banco de dados acumulado de décadas de licitações processadas para que, em tempo real, numa nova licitação, algumas informações possam subsidiar a atuação dos pregoeiros. Uma expectativa realista é que no fim deste ano a gente já consiga disponibilizar uma primeira versão para os pregoeiros começarem a desfrutar dessa solução. E no próximo ano ela vai sendo incrementada e robustecida”, revela o secretário de gestão Cristiano Heckert.

Neste momento, a pasta trabalha na organização de diferentes bancos de dados, começando por aqueles do Tribunal de Contas da União e da Controladoria Geral da União, e alimentando a solução de IA de forma que o cruzamento das informações possa servir de subsídio em decisões e negociações nos pregões eletrônicos, com informações de composição societária, identificação de eventuais participações cruzadas e declarações de inidoneidade, até a probabilidade de o fornecedor aceitar reduções de preços.

“Por exemplo, para analisar o perfil dos fornecedores que estão participando daquela licitação. Qual foi o comportamento deles em licitações anteriores, de quantas participaram, quantas ganharam, se entraram com recursos, impugnaram. Uma vez que ganharam, se assinaram o contrato, executaram o objeto, entregaram. Também vê perfis de comportamento que eventualmente indique cartelização nas licitações. Se são os mesmos fornecedores que participam, qual o comportamento, os preços que praticam, qual a probabilidade de dar um desconto”, explica Heckert.

Ele também revela que os planos para o futuro, coisa para talvez quatro anos adiante, envolvem a integração do Comprasnet com outras plataformas de aquisições online, inclusive ferramentas muito conhecidas de quem vende para o governo federal, como o Licitaçoes-e, gerenciado pelo Banco do Brasil mas que serve a diferentes instituições públicas. Na prática, uma consequência de projetos que avançam há alguns anos como a integração das demandas dos órgãos públicos, materializada na central de compras, e o painel de preços, que permite a gestores públicos comparar valores de referencia de editais e o resultado de licitações anteriores.

“A gente quer gradativamente ir ampliando a integração com outras plataformas. Primeiro dentro do governo federal, sistemas da CGU, do TCU onde há registros de inidoneidade de empresas que possam ser cruzados com os registros do Comprasnet. E gradativamente no âmbito da rede nacional de compras públicas a gente ir cruzando informações com outros sistemas que são usados por estados e municípios”, diz o secretário de gestão.

Temos uma equipe de dados mergulhada nesse projeto. Existe um trabalho exaustivo de depuração dos dados para que eles possam ser utilizados em paralelo com a construção da inteligência que vai rodar em cima desses dados. Uma expectativa realista é que no final deste ano a gente já consiga disponibilizar uma primeira versão para os pregoeiros começarem a desfrutar dessa solução. E no próximo ano ela vai sendo incrementada e robustecida.



Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Salim Mattar e Paulo Uebel deixam o Ministério da Economia

Anúncio foi feito pelo próprio ministro Paulo Guedes. Segundo ele, José Salim Mattar está insatisfeito com o ritmo das desestatizações -em TIC, havia a previsão das vendas do Serpro, Dataprev, Telebras e CEITEC. Já Paulo Uebel, à frente da transformação digital do goveno não teria gostado de a reforma administrativa ser adiada para 2021. 

Serviços digitalizados evitaram 65 milhões de visitas a órgãos públicos

A conta é da Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia, que considera atos inteiramente online anteriormente realizados somente com presença física do requerente. 

Suspeita de fraude faz Caixa bloquear 1,3 milhão de CPFs no Auxílio Emergencial

Total de contas bloqueadas responde por cerca de 5% dos pedidos aprovados. Para reativar o benefício, o dono da conta bloqueada terá de ir pessoalmente a uma agência e provar a sua identidade.

ABES: Software cobra transparência do ministério da Economia

Para o presidente da Associação Brasileira de Empresas de Software, Rodolfo Fücher, o veto à prorrogação da desoneração da folha chega em um momento onde a inadimplência aumenta e da falta de crédito.País caiu para 10º no ranking mundial de software.

Bolsonaro surpreende e veta prorrogação da desoneração da folha

Ao sancionar a Lei 14.020/20, presidente descartou manter o benefício até o fim de 2021 para 17 setores, inclusive TI e cal center. “Dispositivos acabam por acarretar renúncia de receita”, anotou na mensagem de veto.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G