25/11/2020 às 10:30
Gestão


Servidor aposentado fará prova de vida por reconhecimento facial
Convergência Digital

O governo federal anunciou um projeto piloto com 10 mil servidores públicos aposentados, pensionistas ou anistiados para realização de ‘prova de vida’ por meio de um sistema de reconhecimento facial – a exemplo de projeto semelhante que testa essa tecnologia com o mesmo objetivo no INSS. 

“Neste primeiro momento, a funcionalidade será implantada como piloto para 10 mil pessoas atendidas pelo Departamento de Centralização de Serviços de Inativos, Pensionistas e Órgãos Extintos do Ministério da Economia (Decipex/ME). No futuro, a funcionalidade será estendida a 700 mil pessoas”, anunciou o Ministério da Economia.

Entre 2016 a 2019, foram restabelecidos mais de 120 mil pagamentos pelo atendimento presencial nas unidades de Gestão de Pessoas. “A novidade vai proporcionar economia de tempo e até de dinheiro não só para o governo, mas também para os aposentados e pensionistas, uma vez que não será necessário deslocamento para a comprovação anual”, afirma o secretário de Gestão e Desempenho de Pessoal do ME, Wagner Lenhart. 

“É importante lembrar que o beneficiário precisa ter a biometria (identificação digital) cadastrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ou no Departamento Nacional de Trânsito (Denatran)”, emenda Lenhart.  

Durante o piloto, os beneficiários poderão acompanhar a sua situação pelo aplicativo Sigepe Mobile – o aplicativo de gestão de pessoal da administração federal. 

Aposentados, pensionistas e anistiados que não estiverem participando do piloto devem realizar a prova de vida como de costume, na instituição bancária em que recebem provento ou benefício. A prova de vida deve ser feita anualmente, no mês do aniversário. É necessário o comparecimento pessoal portando documento oficial de identificação com foto e CPF. 

* Com informações do ME


Powered by Publique!