Clicky

Home - Convergência Digital

Operadoras abraçam Open RAN aberto, mas cobram financiamento da União Europeia

Convergência Digital - 20/01/2021

A Europa quer correr e não ficar atrás dos EUA e do Japão para ter alternativa às infraestruturas 5G e ao ecossistema tradicional de fornecimento de equipamentos. Operadoras europeias, entre elas, Telefónica, Deutsche Telekom, Orange e Vodafone, anunciaram um acordo de promoção conjunta para redes de acesso abertas e interoperáveis (Open RAN). Mas para funcionar, as teles pedem recursos da União Europeia. Segundo as operadoas, só assim, haverá a implantação massiva do Open RAN aberto a partir de 2022.

"A Comissão Europeia e os governos nacionais têm um papel importante a desempenhar na promoção e desenvolvimento do ecossistema de RAN aberto, financiando implantações iniciais e pesquisa e desenvolvimento", afirmam as teles no memorando de entendimento. Em memorando de entendimento (MoU), as quatro empresas expressaram compromissos individuais com a implementação de RAN aberta no continente. E para isso está previsto um trabalho conjunto com a O-RAN Alliance, o consórcio Telecom Infra Project (TIP) liderado pelo Facebook, empresas de hardware, software e integração e institutos de pesquisa.

Na RAN tradicional, as redes de acesso utilizam tecnologia integrada, com rádios, hardware e software fornecidos por único fornecedor em solução proprietária fechada. Na Open RAN, padrões e especificações técnicas devem permitir interfaces abertas que possibilitem a combinação de componentes de diferentes fornecedores.

A Vodafone é a grande patrocinadora do Open RAN, tanto que, em novembro do ano passado, revelou a intenção de implantar equipamentos RAN abertos em 2600 sites no Reino Unido até 2027. A Orange, por sua vez, tem a intenção de abrir um TIP Community Lab, em Paris, para testar a tecnologia. A Telefónica acertou uma parceria com a Rakuten Mobile e a alemã Deutsche Telekom busca ações regulatórias para assegurar o uso do RAN Aberto.


Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

13/05/2021
Algar avança no B2B; quer 5G fora da sua área e se prepara para ser 100% fibra ótica

13/05/2021
Um em cada cinco usuários do 5G reduz o uso do Wi-Fi nos ambientes fechados

12/05/2021
Ericsson decide pagar 80 milhões de euros à Nokia para indenizar danos

11/05/2021
TIM e Nokia lançam projeto piloto de 5G Standalone no agronegócio

11/05/2021
Telefonica se alia à Microsoft por 5G privado

10/05/2021
TecBan, Claro e Ericsson levam 5G para caixas eletrônicos

07/05/2021
Open RAN: Microsoft descarta intenção de competir com as teles

06/05/2021
Para Minicom, 90% das antenas do 5G são isentas de licença

05/05/2021
TIM: 5G ‘puro’ é mais barato e rivais reclamam porque não fizeram VoLTE no 4G

05/05/2021
Huawei:5G exige empresas locais para aplicações e geração de talentos

Destaques
Destaques

América Latina se divide sobre uso de ondas milimétricas

Debate com representantes do México, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Argentina e Brasil mostrou que bandas altas no 5G, como 26 GHz, está longe de unanimidade na região.  Colômbia, que prevê leilão 5G no final do ano, não planeja vender a faixa de 26GHz.

Brasil está fora dos países liberados pela Espanha para o Mobile World Congress

Programado para acontecer de 28 de junho a 01 de julho, o organizador, GSMA, fechou um acerto com as autoridades espanholas para isentar os participantes das restrições impostas às pessoas de fora da União Europeia.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

5G e a expansão da capacidade de inovação

Por Alex Takaoka*

Segurança da informação, interoperabilidade e infraestrutura ocuparão um papel importante na implantação da tecnologia 5G.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site