Home - Convergência Digital

edTech nacional cria escola para formar programadores Web

Da redação - 02/10/2020

A edTech catarinense Trybe, criada em 2019 pelos empreendedores Matheus Goyas, João Daniel Duarte, Rafael Torres, Marcos Moura e Claudio Lensing, tem como objetivo formar  profissionais de desenvolvimento web, uma das profissões mais disputadas do mercado. A edtech espera fechar o ano com 700 estudantes e receber mais de mais 3 mil pessoas até o final de 2021.

Com um currículo formatado com contribuições de profissionais de mais de 40 empresas do ecossistema de tecnologia, a escola tem como princípio o ensino de qualidade focado em empregabilidade. Desta forma, os estudantes da Trybe encontram uma metodologia proprietária focada no que as corporações esperam desses profissionais de programação, ensinando as habilidades necessárias para a efetivação no mercado de trabalho.

Em um ano de vida, a Trybe já levantou mais de US﹩ 15,7 milhões de investimento com nomes como, José Galló, ex-CEO da Renner, e fundos como Canary, E.Bricks, Atlântico, Global Founders Capital, Joá Investimentos, dentre outros. Parte desse valor foi direcionado para a aquisição da Codenation, startup que trabalhava com aceleração de carreiras por meio de programas de capacitação e conexão com grandes empresas.

A edtech já tinha um programa de recrutamento, o "Hiring Partner Program", em parceria com mais de 30 empresas, entre elas: Localiza, Loft, Tembici e Ambev. E, com a compra da Codenation, que traz em seu portfólio cerca de 100 companhias, reforça sua expertise em aceleração de carreira e seus esforços de empregabilidade para estudantes, amarrando assim todo o ecossistema de qualificação e contratação.

"Para a Trybe, empregar seus estudantes é indispensável, por isso, focamos na qualidade da formação. Nosso objetivo é uma formação completa e aprofundada, que abrange desde habilidades técnicas necessárias para o desenvolvimento de um software até habilidades comportamentais, essenciais e extremamente demandadas pelo mercado", afirma Matheus Goyas, CEO e Fundador da Trybe.

O acesso ao ensino também é um dos maiores diferenciais da edtech. Ainda que com desconto considerável para as pessoas que pagam à vista, o modelo de maior adesão é o de "sucesso compartilhado", onde é possível começar a pagar o curso apenas após estar trabalhando. Cerca de 85% dos estudantes optam por esse modelo, reforçando a importância de facilitar o ingresso ao ensino como fator determinante para a formação de profissionais. "A Trybe só ganha quando estudantes têm sucesso profissional. Isso nos obriga a oferecer as melhores práticas de ensino e investir cada vez mais na qualidade da formação das nossas turmas. Afinal, se as pessoas que estudam na Trybe não forem boas profissionais, elas não terão sucesso e, consequentemente, nós perdemos com isso", afirma o empreendedor.

O número de pessoas interessadas em se formar na escola cresce a cada dia. No último processo seletivo, para formar a oitava turma, a Trybe teve mais de 8 mil inscrições e aprovou apenas 146, uma taxa de 1,70% de aprovação - ingresso similar ao de processos seletivos de universidades públicas e instituições estrangeiras renomadas. Isso se dá por ser um processo seletivo rigoroso que busca encontrar pessoas altamente esforçadas, capazes de aprender e decididas sobre a carreira em programação.

Aliado a dedicação e comprometimento com os estudos, o curso oferece um ensino robusto, que conta com carga horária de cerca de 1.500 horas, inclui aulas online e ao vivo, projetos práticos individuais e em grupo, monitoria técnica com especialistas, conversas sobre carreira, contato com empresas e o desenvolvimento de soft skills Atualmente, a escola oferece uma modalidade sem hub, sendo esta 100% on-line, bem como mantém presença nas cidades de Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP), Itajubá (MG) e Florianópolis (SC).

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

04/11/2020
Fusão de startups nacionais cria maior comunidade de Devs da América Latina

02/10/2020
edTech nacional cria escola para formar programadores Web

21/09/2020
Julia, R e Scala: as linguagens de programação para ciência de dados

17/09/2020
Stefanini promove Maratona de Desenvolvimento 2020

11/09/2020
Procura por programador chegou a crescer 157% no Brasil por conta da Covid-19

25/08/2020
São Paulo tem 25 mil bolsas para formar programadores de games

24/08/2020
Escola de programação promove maratona de programação exclusiva para mulheres

06/07/2020
Governo de SP e startup abrem 50 mil bolsas de estudo gratuitas para cursos de programação

26/05/2020
Carrefour vai qualificar gratuitamente 25 mil profissonais de TI

22/05/2020
Santander Coders oferece 240 bolsas para desenvolvimento mobile

Diversidade e Ciência de Dados: um desafio ao Brasil

Mais mulheres precisam ocupar carreiras em Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática pelo bem do País, incentiva a embaixadora da Women in Data Science da USP (WiDS @USP), Renata Sousa.

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A confiança é ganha com mil atos e perdida com apenas um

Por Luis Banhara*

À medida que o conceito de trabalho se descola dos escritórios, mesmo que parcialmente, surgem novos desafios de segurança. A superfície de ataque foi ampliada.

Destaques
Destaques

Certificação é critério de seleção para encarregado de dados

Ainda que a LGPD não exija qualificação específica, o mercado busca profissionais com conhecimento na área. Formação pode custar até R$ 6 mil, observou Mariana Blanes, advogada e sócia do Martinelli Advogados, ao participar do CD em Pauta.

Teletrabalho: sem regulamentação, sem direitos, sem deveres, sem regras

Depois da nota técnica do MPT alertando para o direito à desconexão, Congresso tenta acelerar a votação dos PLs que tratam do tema, entre eles o PL 3915/20. O tema é complexo. IN 65, do governo federal, repassa os custos com tecnologia para os servidores no home office.

Ministério Público: Teletrabalho exige direito à desconexão

Ministério Público do Trabalho elaborou uma nota técnica direcionada para as “empresas, sindicatos e órgãos da administração pública”.  Na orientação, sugere a adoção de etiqueta digital para orientação de patrões e empregados.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site