Home - Convergência Digital

Startup pernambucana capta R$ 3,5 milhões e investe para expandir IoT na saúde

Convergência Digital* - 16/06/2020

A healthtech brasileira Salvus decidiu investir mais de R$ 3,5 milhões com o objetivo de expandir suas soluções de IoT e ajudar a melhorar o sistema de saúde brasileiro. A iniciativa foi viabilizada após a startup captar recentemente investimento junto a Eretz.bio/Hospital Albert Einstein, ACE Startups, MOR e PPA Capital, bem como a premiação de R$ 1 milhão alcançada no BNDES Pilotos IoT, programa do banco público em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) criado para fomentar projetos de inovação na área. Para implementar o plano de investimento, a startup também contou com aportes da Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (SOFTEX) e a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII), além de aplicar investimentos próprios.

De acordo com Maristone Gomes, CEO da Salvus, os aportes serão fundamentais para desenvolver a produção das suas soluções em larga escala e viabilizar a expansão da startup em todo o Brasil. Com 17 colaboradores e sediada em Recife (PE), a healthtech pretende estabelecer também um escritório em São Paulo (SP) e dobrar o número de funcionários até o final de 2020. “Em um momento no qual diversas empresas precisam desligar alguns colaboradores, é um imenso orgulho ter a oportunidade de investir pela melhoria da saúde pública brasileira e contribuir, mesmo que de forma pequena, para a retomada econômica do País”, afirma.

Atualmente a Salvus possui duas soluções que visam melhorar a qualidade de vida do paciente, bem como aperfeiçoar processos de gestão em unidades hospitalares e leitos home care. A primeira é o ATAS O2, que realiza a administração do uso do oxigênio medicinal, fazendo monitoramento do estoque em tempo real, vigilancia e auditoria clínica do tratamento. O equipamento que é acoplado ao cilindro de oxigênio também executa o registro preciso do consumo para a conta médica, alertas automáticos em situações de risco, entre outros pontos. “O dispositivo foi criado principalmente para evitar o desperdício do medicamento”, revela Gomes.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), o setor de saúde no Brasil gasta de forma desnecessária entre 20 e 40% dos recursos disponibilizados. Em 2017, essa conta chegou a R$ 100 bilhões, exatamente 20% dos R$ 500 bilhões gastos pelos setores público e privado. “Em tempos de dinheiro escasso, a missão da Salvus é acelerar a implementação de tecnologias IoT no sistema de saúde brasileiro e, consequentemente, evitar o desperdício do consumo de oxigênio medicinal em hospitais e leitos home care”, explica.

Outra solução da startup é o Salvus Home Care, um sistema para gestão integrada do fluxo de trabalho e monitoramento da operação para hospitais e empresas prestadoras de serviço do atendimento domiciliar, possibilitando o controle completo de visitas, protocolos clínicos e evolução dos pacientes. Hoje, a plataforma já é utilizada por 5.600 profissionais de saúde e 1.900 mil leitos do País. “A expectativa é triplicar esses números até o final do ano, possibilitando mais segurança aos hospitais, empresas prestadoras de serviços de atendimento domiciliar, profissionais e familiares na condução do tratamento dos pacientes”, informa o CEO da Salvu.

Fundada em 2016, a Salvus foi criada inicialmente com o foco de reunir em uma única plataforma informações médicas de pacientes para enfrentar a defasagem na unificação e disponibilização dos dados. Porém, ao se aprofundar nos meandros da área da saúde seis meses depois, os sócios-fundadores Maristone Gomes e Caio Cesar, observaram uma questão ainda mais preocupante e que deveria ser solucionada rapidamente: o alto desperdício do consumo de oxigênio medicinal em hospitais e leitos home care, utilizado em diversas situações que exigem a restauração da saturação de oxigênio dos pacientes.


Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

28/07/2020
A10 e CLM lançam laboratório de capacitação em IoT/5G

17/07/2020
Do Brasil para o mundo: IoT na irrigação de precisão

06/07/2020
UISA, de bionergia, contrata Vivo para ter 4G e IoT na produção de bionergia

01/07/2020
ConectarAgro quer 13 milhões de hectares na área rural com conexão 4G até o fim de 2021

29/06/2020
Senador pede regime de urgência para IoT para acelerar geração de emprego e renda

23/06/2020
Indicator Capital vai gerir fundo de IoT do BNDES e Qualcomm Ventures

16/06/2020
Startup pernambucana capta R$ 3,5 milhões e investe para expandir IoT na saúde

12/06/2020
Bayer dá acesso gratuito a ferramenta de coleta de dados para agricultura digital

10/06/2020
Regulamentação de IoT passa por tratar a coleta e a proteção dos dados

08/06/2020
Centro de Operações Rio usa rede neutra IoT da American Tower

Destaques
Destaques

Edital do 5G vai ao mercado com ou sem venda da Oi Móvel

"Não vou submeter um processo de política pública, como é o edital 5G, a uma fusão e aquisição", afirmou o presidente da Anatel, Leonardo de Morais.

Venda de smartphones piratas dispara 135% no 1ºtri no Brasil

Tombo no primeiro trimestre foi de 8,7% - e chegou a 22,4% entre os aparelhos mais simples. Alta do dólar e a falta de componentes impactaram a venda dos dispositivos no país.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site