Clicky

Convergência Digital - Home

Plusoft compra IBOPE DTM por R$ 27,8 milhões por big data

Convergência Digital
Convergência Digital - 04/05/2021

A Plusoft, empresa de Human Experience (HX), comprou o IBOPE DTM. A movimentação está em linha com a estratégia da Plusoft de fortalecer sua oferta de serviços e de levar ao mercado soluções completas de CRM, envolvendo automação de marketing, sistemas de tomadas de decisão, consultoria de relacionamento e Data Science. O valor da aquisição foi de R$ 27,8 milhões e, juntas, as empresas vão totalizar faturamento de R$ 100 milhões em 2021. A DealMaker e a RGS Partners atuaram como assessorias da fusão.

"A aquisição faz parte do nosso plano de crescimento acelerado nos próximos três anos, pautado em expansão orgânica e inorgânica. Estamos em busca de negócios que complementem nossa oferta, especialmente Social Channel Brokers, inteligência artificial, incluindo a nova geração de chatbots voice to voice, e empresas verticalizadas em plataforma de CX", detalha Solemar Andrade, CEO da Plusoft. Atualmente cerca de 60 empresas estão na mira da companhia para mais aquisições.
 
Com a compra, a Plusoft integra ao seu portfólio a marca IBOPE DTM e ainda amplia seu quadro de colaboradores com a chegada de 150 profissionais da DTM, entre eles uma grande equipe de cientistas de dados, totalizando hoje 460 pessoas em sua estrutura. Segundo Bernardo Canedo, fundador da DTM, que assume a vice-presidência-executiva da Plusoft, a DTM buscava se associar a uma empresa alinhada à sua expectativa de crescimento. E os resultados de ambas estavam em sintonia: no último ano, a DTM saltou cerca de 20% e a Plusoft 18,18%.

"A conversa com a Plusoft começou há quase um ano com esse mote. Data Science e CRM estão na crista da onda e passamos a achar que precisávamos surfar essa onda. Além disso, temos uma cultura relacional muito forte. Gostamos do olho no olho. Criamos uma relação próxima e de confiança com o cliente e entendemos que a Plusoft também", comenta ele.

Para Andrade, a união das empresas provocará pouca sobreposição de clientes, abrindo oportunidade para a Plusoft oferecer produtos de valor agregado com a combinação de ofertas. A Plusoft, que conta hoje com mais de 185 clientes, irá crescer sua carteira com mais 30 da DTM. "Nossa expectativa com a aquisição é criar um ambiente favorável aos negócios, ter espírito de equipe e gerar oportunidades em novos", finaliza o CEO da Plusoft.

O IBOPE DTM atua há 17 anos no mercado de marketing de relacionamento e big data. A empresa integra dados para elaboração e implementação de estratégias de marketing e sistemas de tomada de decisão. No conceito de big data, reúne diferentes várias bases de dados e utiliza técnicas avançadas de data mining e modelagem estatística. Além disso, o IBOPE DTM oferece soluções para definição de estratégias de marketing de relacionamento com foco em fidelização, retenção e recuperação dos consumidores. Para se ter uma ideia, a empresa roda mais de 35 mil campanhas de marketing digital, enviando mais de 2,5 bilhões de e-mails e 50 milhões de SMS por ano.

 


Destaques
Destaques

Multinuvem do Serpro vai concorrer com a do Ministério da Economia

Estruturada a parceria com AWS, Huawei e Azure, da Microsoft, estatal passa a disputar contratos com órgãos públicos, em briga direta com nuvem licitada e gerida pela Secretaria de Governo Digital.

Por que se tornar uma empresa data-driven?

Data-driven ou orientada a dados. É esse o novo lema das companhias que, cada vez mais, estão armazenando e analisando dados em busca de insights de negócios. Mas o que as empresas devem fazer para abraçarem os dados de forma a promover benefícios estruturais e longevos? A resposta não é simples.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Serviços SaaS, proteção de dados e a LGPD

Por Eder Miranda*

Ter um plano abrangente de proteção adicional de dados para as plataformas SaaS é vital para os negócios, uma vez que as empresas não podem abrir sem ter o controle sobre o que está sendo protegido e sobre a maneira como isso está sendo feito pelos fornecedores de software como serviço.

Cloud é bom, mas quem gerencia?

Edmilson Santana*

Se a nuvem soluciona problemas de um lado, de outro sua operação demanda a formação de um time capaz de traduzir demandas de negócio em continuidade operacional, e isso de forma ágil, produtiva e consistente.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site