Clicky

Convergência Digital - Home

TIM faz multicloud com Google, Microsoft e Oracle

Convergência Digital
Convergência Digital - 22/03/2021

Depois de anunciar que seria 100% cloud no TIM Day realizado em março, a TIM formalizou a migração dos seus datacenters localizados em São Paulo e no Rio de Janeiro, para instalações da Microsoft e da Oracle. A expectativa é que o processo de migração seja feito nos próximos dois anos, contando com a transferência de todos os recursos da TIM para a nuvem.

A migração faz parte de um plano estratégico da operadora, que envolve digitalizar todos os processos, inclusive nas plataformas de atendimento e relacionamento. Desde o ano passado, com as mudanças causadas pela Covid-19, a TIM entendeu a necessidade de acelerar seu processo de transformação digital, ao verificar as mudanças no comportamento do consumidor, ajustando fluxos e plataformas para manter seu padrão de atendimento ao cliente.

Microsoft e Oracle já possuem uma parceria global de interoperabilidade em nuvem que oferece uma abordagem simples, mas poderosa, para conectar suas duas nuvens - Microsoft Azure e Oracle Cloud. Nesse projeto está sendo usado o conceito de suporte integrado em que a conexão entre os datacenters das duas empresas gera uma experiência única para a TIM. Com o uso do Oracle Cloud Infrastructure (OCI), datacenter de segunda geração da Oracle, e a adoção da plataforma Microsoft Azure, a TIM terá a mais completa solução em certificações de segurança do mercado e escolhida por oferecer uma ampla disponibilidade de ferramentas para modernização das aplicações, a operadora levará os processos de missão crítica para a nuvem, otimizando e simplificando a gestão da sua infraestrutura de TI, além de oferecer escalabilidade de acordo com a demanda de evolução dos negócios.

Outra vantagem do acordo é a aliança entre Oracle e Microsoft, firmada globalmente em 2019, e que permite a execução dos processos em ambos os ambientes com redundância. Com as duas nuvens, a TIM passará a ter conexão de ultra velocidade e disponibilidade para manter os sistemas da operadora com mais altos níveis de segurança. A mudança está ainda atrelada ao compromisso da TIM com melhores as práticas ambientais, sociais e de governança (sigla ESG, em inglês). A migração para a nuvem reduz automaticamente as emissões diretamente associadas ao armazenamento dos dados em espaços físicos, um importante passo para a meta da operadora de ser carbono neutro até 2030.

"Nossa proposta é levar a experiência do cliente a um novo patamar, com mais eficiência e agilidade, sempre com os mais altos níveis de segurança. Somos a primeira operadora a promover uma mudança com essa dimensão, antecipando também iniciativas ligadas a governança e sustentabilidade, dentro de um projeto maior, relacionadas a uma agenda ESG que permeia toda a atuação da TIM. Estamos acompanhando o movimento de mercado e investindo em áreas como Analytics e Digital, fundamentais para a expansão dos negócios da empresa, e contamos com parceiros que atendem aos mais altos níveis de qualidade para destacar nosso pioneirismo e referência para o setor de Telecomunicações", declara Pietro Labriola, CEO da TIM Brasil.


Destaques
Destaques

Por que se tornar uma empresa data-driven?

Data-driven ou orientada a dados. É esse o novo lema das companhias que, cada vez mais, estão armazenando e analisando dados em busca de insights de negócios. Mas o que as empresas devem fazer para abraçarem os dados de forma a promover benefícios estruturais e longevos? A resposta não é simples.

TIM une big data,LPA e robôs para controle do pagamento de impostos

Operadora elegeu a inteligência artificial para processar grandes e complexos volumes de dados com o SAS e a KPMG. Investimento ficou em torno de US$ 500 mil, ou R$ 2,65 milhões, mas parte dele já foi recuperado em pouco mais de seis meses.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Serviços SaaS, proteção de dados e a LGPD

Por Eder Miranda*

Ter um plano abrangente de proteção adicional de dados para as plataformas SaaS é vital para os negócios, uma vez que as empresas não podem abrir sem ter o controle sobre o que está sendo protegido e sobre a maneira como isso está sendo feito pelos fornecedores de software como serviço.

Cloud é bom, mas quem gerencia?

Edmilson Santana*

Se a nuvem soluciona problemas de um lado, de outro sua operação demanda a formação de um time capaz de traduzir demandas de negócio em continuidade operacional, e isso de forma ágil, produtiva e consistente.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site