Oi não sai diminuída em relação às rivais, garante Rodrigo Abreu

Ana Paula Lobo ... 09/09/2020 ... Convergência Digital

A Oi é peça significativa na engrenagem das telecomunicações do Brasil e não sai desse aditamento do plano de recuperação judicial, aprovada nesta segunda-feira, 08/09, diminuída ou com menor valor diante das rivais, garantiu o presidente da operadora, Rodrigo Abreu, em coletiva concedida na madrugada do dia 09/09, após a aprovação pelos credores do aditamento do plano de RJ pela maior parte dos mais de 5000 credores.

"Somos a única operadora presente em 5500 cidades do País, mas descobrimos que é impossível tentar fazer tudo em todos os segmentos, para todos os clientes em todo o país. Essa equação é economicamente inviável e foi o que fizemos nos últimos 20 anos. A nova Oi não será diminuída diante dos rivais. Ao contrário. Nosso objetivo é ficar maior em novos serviços", afirmou Rodrigo Abreu, ao responder questionamento sobre o futuro da Oi feito pelo Convergência Digital.

Abreu confirmou que a nova empresa que virá da separação estrutural, a Oi S.A vai disputar a liderança em banda larga por fibra, em serviços empresarias, em serviços de conteúdo, em serviços corporativo e em serviços de governo, além dos serviços digitais que vão vir com as novas tecnologias. Já a empresa de infraestrutura, a Oi InfraCo será crucial para o fomento às aplicações 5G, que exigem uma ampla e robusta infraestrutura.

O presidente da Oi, Rodrigo Abreu, falou ainda sobre o voto da Anatel na Assembleia de Credores. A agência reguladora, ao contrário do que aconteceu na decretação da recuperação judicial, em 2017, votou e aprovou o aditamento do plano de RJ, em função das negociações firmadas em função da Lei 13988, criada para facilitar a negociação de débitos com a União dos inscritos na dívida ativa por conta da pandemia de Covid-19. "Negociamos e estamos usando os instrumentos legais para tratar com a Anatel, nosso maior credor individual e isso foi feito e a agência votou a favor do nosso plano", reiterou.

A CFO da Oi, Camille Faria, informou ainda que com o novo aditamento de recuperação judicial, a dívida da Oi prevê o pagamento de R$ 26,2 bilhões, sendo pagamento integral ao BNDES, do empréstimo-ponte de R$ 3,6 bilhões e o pagamento antecipado das dívidas com os bancos - principais opositores e derrotados ao final na ACG - de R4 9,3 bilhões. "Com essa previsão a nossa dívida cai para R$ 15,9 bilhões, a depender das operações de alienação da Oi Móvel e da venda do controle da InfraCo", disse a executiva. Em junho, no balanço financeiro, a Oi reportou uma dívida de R$ 42,1 bilhões, com valor justo de R$ 26,2 bilhões.


Internet Móvel 3G 4G
Economia prefere, mas não garante, leilão 5G não arrecadatório

“Obviamente que o desenho final vai depender dos detalhes. E o diabo mora nos detalhes”, afirmou o secretário de Advocacia da Concorrência e Competitividade da pasta, Geanluca Lorenzon. 

Copel Telecom marca privatização para novembro e quer R$ 1,4 bilhão

Edital de venda do braço de telecomunicações da estatal paranaense de energia é previsto para 21/9. Empresa tem 34 mil km de fibras em 399 municípios. 

Oi diz à CVM que movimento de ações se deve a aprovação de plano e venda da móvel

Comissão de Valores Mobiliários perguntou o motivo das oscilações recentes nos papéis da operadora, com quedas superiores a 7% seguidas de aumentos de 9%. 

Claro tenta resgatar TV paga com planos alternativos a não clientes

Com metade do mercado nacional de TV por assinatura, o presidente da empresa, José Félix, diz que fará lançamentos nos próximos dias. “A TV está sofrendo alterações e vamos lançar de imediato um novo serviço.”

5G com maior carga tributária do mundo é telhado sem alicerce

“A sociedade quer conectividade total, 5G, dispositivos diferentes a qualquer hora, qualquer lugar. Mas estamos assombrados pelo risco de aumentar ainda mais a carga tributária com a reforma atual”, afirma a presidente da Feninfra, Vivien Suruagy, no Painel Telebrasil 2020.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G