08/04/2021 às 18:32
Carreira


Huawei quer formar 2000 profissionais técnicos em FTTH até o final do ano
Ana Paula Lobo

A Huawei quer ter 12 laboratórios de capacitação de mão de obra em funcionamento até julho, afirma ao Convergência Digital, o diretor de Relações Públicas e Governamentais da Huawei, Bruno Zitnick. Nesta quinta-feira, 08/04, a Huawei anunciou um uma parceria com o SENAI para oferecer cursos com certificação para o setor de Tecnologia da Informação e da Comunicação (TIC), aqui voltado para os profissionais de nível superior, e a instalação de laboratórios de capacitação de profissionais, para o nível técnico. A parceria envolve o Distrito Federal, Bahia e Tocantins. A Huawei também já fechou uma parceria em Niterói, no Rio de Janeiro, com a UNISUAM.

"Vamos fechar mais oito parcerias com outras instituições e com prioridade para as regiões Norte e Nordeste. São as regiões com a maior necessidade de mão de obra capacitada para expandir a banda larga fixa. Os ISPs e as teles têm grande dificuldade de encontrar um bom profissional. Dados dão conta que 82% das empresas têm dificuldade para ter mão de obra em FTTH, que é essencial não apenas para a banda larga, mas será também para o 5G", conta Bruno Zitnick.

As oportunidades no curso técnico, adiciona o executivo da Huawei Brasil, são voltadas para quase 15 milhões de NEM-NEM - jovens adultos que nem trabalham e nem estudam. "É uma oportunidade de estudar, se capacitar e arrumar um emprego. Há demanda e muita por mão de obra", sustenta Bruno Zitnick. Para incentivar a participação desses jovens, as primeiras turmas dos laboratórios FTTH na Bahia, Tocantins e Distrito Federal, com 20 alunos cada, e o curso 5G - Indústria de Aplicações terão inscrições gratuitas. Depois, a precificação ficará sob a responsabilidade dos parceiros - as instituições de ensino. A meta é formar até 2200 profissionais até dezembro, apenas nos laboratórios já instalados.

Formar mão de obra é estratégico para os planos da Huawei no Brasil. Tanto que a meta é fechar acordo com até 100 universidades até dezembro. Hoje são 67 instituições. Nos últimos cinco anos, as iniciativas de educação da fabricante já formaram mais de 36 mil alunos em todo país. Para os próximos cinco anos, a meta é treinar mais 40 mil talentos.

Uma pesquisa de mercado realizada pela Teleco mostra que 62% das empresas provedoras de internet enfrentam dificuldades para encontrar profissionais qualificados para instalação de fibra óptica. As regiões Norte e Nordeste são as regiões com maior deficiência. Ainda de acordo com o estudo, 81% das ISPs possuem equipes próprias, ou seja, necessitam investir na qualificação dos profissionais por não encontrarem no mercado.

O lançamento da parceria com o SENAI contou com a presença do secretário Paulo Alvim, titular de Empreendedorismo e Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação; Atílio Rulli, Diretor Sênior de Relações Governamentais da Huawei; Bruno Zitnick, Diretor de Relações Públicas e Governamentais da Huawei; e Gustavo Leal, Diretor de Operações do SENAI.

"A doação de três laboratórios de FTTH é estratégica para o grande desafio de transformação digital no setor produtivo. A oportunidade de disponibilizar esses laboratórios no DF, BA e TO, e tomara que em outras unidades da federação também, vai contribuir tremendamente para a rapidez de incorporamos tecnologias digitais e 5G no ambiente produtivo, que trará ganhos de produtividade, aceleração de processos de inovação, e ganhos para a sociedade como um todo", defendeu Paulo Alvim, do MCTI. Os valores aportados nas parcerias não foram revelados pela Huawei, mas a fabricante diz que são investimentos próprios e não derivados de benefícios fiscais como Lei de Informática e Lei do Bem.


Powered by Publique!