Home - Convergência Digital

Empresas de software produzem manual com regras para o teletrabalho

Convergência Digital* - 28/04/2020

A Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES) produziu um manual de boas práticas para as associadas conduzirem o período de teletrabalho, por conta da pandemia de Covid-19. A modalidade do teletrabalho já era usada, mas explodiu com a necessidade de isolamento social.

De acordo com o Presidente do Conselho da ABES, Francisco Camargo, só a legislação não basta. As empresas precisam ter normas e diretrizes para o teletrabalho que permitam à tecnologia acompanhar a legislação para evitar abusos e problemas legais.

Segundo Camargo, mesmo com as medidas adotadas pelo governo para aumentar a segurança jurídica do teletrabalho, a tecnologia andou mais rápido e disponibilizou ferramentas que permitem aos colaboradores trabalharem em casa, no mesmo espaço de trabalho virtual que tinham na empresa, com uma boa experiencia do usuário, porém, por razões de segurança, algumas dessas plataformas permitem monitorar e até mesmo gravar a sessão de trabalho que o colaborador está realizando em casa.

"Para evitar problemas de compliance, as empresas devem complementar a legislação com normas internas, uma política de teletrabalho clara e de acordo com a legislação e, para isso, a ABES disponibilizou um template que serve de guia para qualquer organização em que os colaboradores trabalhem 'home office'", explica Camargo. Abaixo as diretrizes traçadas pela ABES:

1. A [EMPRESA], coloca à disposição dos USUÁRIOS, diversas soluções de comunicação, como telefones celulares, e-mails, sistemas de mensagens instantâneas, sistema de vídeo conferência, sistemas de trabalho em equipe, sistemas de teletrabalho (home office);

2. A [EMPRESA] dispõe de ferramentas de monitoramento em tempo real e de auditoria de como essas soluções estão sendo usadas;

3. A [EMPRESA] pode, SEM PRÉVIO AVISO, monitorar e mesmo gravar para fins de auditoria, como essas soluções estão sendo usadas, e notificar e eventualmente punir, os usuários que as estejam usando para outros fins do que está permitido nestas diretrizes, conforme o item 10 abaixo;

4. Não deverão ser veiculados ou manipulados materiais relativos a sexo explícito (em especial pedofilia), raça, orientação sexual, temas político-partidários, religião ou dos quais constem quaisquer formas de discriminação;

5. Não deverão ser veiculados por quaisquer dos meios de que dispõe a [EMPRESA], notícias falsas (Fake News), ou ainda não confirmadas por outra fonte, geralmente aceite, que induzam a erro pessoal ou coletivo;

6.A [EMPRESA] não promove campanhas de e-mails não solicitados – Spam - e seus USUARIOS não poderão usar as soluções de tecnologia disponíveis para tais finalidades;

7. Quaisquer informações de clientes e fornecedores, de terceiros, de contratos, de propostas enviadas ou recebidas, de dados contábeis e financeiros, disponíveis nos arquivos da empresa, são CONFIDENCIAIS e proprietárias da [EMPRESA] e/ou de terceiros que com ela estão vinculados contratualmente e sua divulgação sem autorização é crime conforme a legislação vigente e passível de punição administrativa;

8. O uso de quaisquer soluções descritas no item 1, não significa que os USUARIOS estão à disposição da [EMPRESA], como definido em contratos ou diplomas legais. Só estarão à disposição da empresa os USUARIOS que receberem claramente essa incumbência, por escrito, de um representante da [EMPRESA];

9. O recebimento de mensagens, e-mails, solicitações por quais meios, fora do horário normal de serviço, não significa uma solicitação para realização de qualquer trabalho, conforme definido em diplomas legais ou nos contratos de serviço e só deverá ser respondido, quando for o caso, no primeiro dia útil posterior ao do comunicado, dentro do expediente da [EMPRESA];

10. O uso de qualquer recurso da [EMPRESA] para atividades ilegais ou que violem esta política, configura  motivo para aplicação de penas pedagógicas, se aplicáveis, ou mesmo para a rescisão imediata e por justo motivo dos contratos firmados com os  funcionários, estagiários ou colaboradores, ou então, firmados  com as empresas contratadas como  prestadoras de serviços e/ou como fornecedora de bens para a [EMPRESA] aos quais os USUÁRIOS estejam vinculados, e a [EMPRESA]cooperará ativamente com as autoridades nesses casos;

11. A presente Política de teletrabalho da [EMPRESA] complementa mas não substitui outras políticas e normas da empresa.

12.Qualquer violação desta política deve ser denunciada, mesmo que anonimamente, pelo site www.UmaEmpresaEtica.com.br e será recebida e analisada pelo Compliance Officer da [EMPRESA] para as medidas legais cabíveis.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

13/07/2020
Venda digital aumentou 800% no Burguer King com Covid-19

13/07/2020
Receita: está na hora de voltar a acertar as contas com o governo

13/07/2020
Justiça manda Dataprev e Caixa mudarem sistema do Auxílio Emergencial

09/07/2020
Contadores processam Caixa por falhas no sistema do FGTS prorrogado

09/07/2020
Videoentrevistas gratuitas foram usadas em 501 processos seletivos em função da Covid-19

06/07/2020
IA Carol, da TOTVS, liderou força-tarefa por soluções no combate à Covid-19

06/07/2020
No Brasil, 60% dos atendimentos em call center são home office

01/07/2020
Covid-19: ativado o primeiro repositório de dados abertos do Brasil

01/07/2020
Projeto no Senado quer regime especial para o Telebralho

30/06/2020
Tecnologia foi um dos setores que mais demandou contratação de temporários

Cientista de dados vai muito além de um analista de BI

São os cientistas de dados que têm capacidade de levar milhares de variáveis em consideração para definir a melhor tomada de decisão, pontua Luiz Malere, gerente de customer advisor e inovação do SAS.

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Seis dicas para formar uma equipe de trabalho resiliente

or Craig Mackereth*

Formar uma equipe ou força de trabalho resiliente não é tarefa que se execute da noite para o dia. Tampouco é possível tornar uma equipe verdadeiramente resiliente se isso ainda não estiver integrado ao DNA da empresa.

Destaques
Destaques

Teletrabalho: medo de perder emprego cria obrigação de ficar 100% online

Pesquisa do LinkedIn aponta que 68% dos brasileiros têm trabalhado de uma a quatro horas a mais por dia por conta de estarem em home office. Maior parte reclama de ansiedade e estresse. Maioria também reclama da ausência dos colegas de trabalho, mas 43% se sentem mais produtivos com o trabalho remoto.

TST suspende demissões na Dataprev enquanto durar crise da Covid-19

Trabalhadores alegaram que os prazos acordados no fim da greve não terão como ser integralmente cumpridos diante da situação emergencial com a epidemia do coronavírus. 

TST: Teletrabalho tem de respeitar os contratos vigentes

Corte aponta, no entanto, que em situações emergenciais, como a atual crise da Covid-19, a adoção da jornada online temporária prescinde formalização, mas deve respeitar leis trabalhistas. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site