Home - Convergência Digital

Ericsson quer massificar aplicações móveis de IoT

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo - 31/01/2019

A Ericsson está apostando no uso massivo do celular para a Internet das Coisas. Tanto que nesta quinta-feira, 31/01, a fabricante fez lançamentos globais que vão permitir aos provedores de serviços oferecer aplicações para diversas áreas, entre elas, manufatura, automotiva e utilities. Os serviços são direcionados para: IoT de Uso Massivo, IoT para Operações Críticas e os novos IoT em Banda Larga e IoT para Automação Industrial.

O destaque é para a solução NB-IoT Extended Cell Range 100km, capaz de esticar o limite padrão de cobertura de 40km até 100km, utilizando apenas atualizações de software – ou seja, sem a necessidade de alterar dispositivos NB-IoT já existentes. Duas operadoras já estão implantando as conexões de dados NB-IoT da Ericsson: Telstra e DISH.

O diretor de Produtos e Tecnologia da Ericsson no Brasil, Paulo Bernardocki, em entrevista ao Convergência Digital, explica que as soluções têm efeito nas redes 4G LTE e nas redes NB-IoT. "Um exemplo são as aplicações de rastreamento de carga. Os caminhões trafegam por distintas rodovias. Nem sempre o sinal de cobertura é o ideal. Com atualização de software na rede é possível expandir o sinal por 100 Km, o que para a comunicação das coisas terá um grande efeito nas áreas de cobertura não ideal", explica.

O Brasil, acrescenta ainda Bernardocki, fez parte dos testes de campo das soluções que estão sendo lançadas para massificar o uso do celular para Internet das Coisas. As redes NB-IoT estão escalando e a liberação de frequências como a 700 Mhz e 450 Mhz massificam o interesse. "Um dos testes foi feito com a Vivo e com a Raízen, uma das líderes no mercado de etanol e açúcar, e a EsalqTec, incubadora que atua junto à Esalq/USP, na Usina Costa Pinto, em Piracicaba, para aumentar a conectividade", afirma.

O uso massivo de IoT, afirma ainda o diretor da Ericsson Brasil,  terá como consequência o aumento ainda maior do consumo de dados, o que vai gerar mais negócios para as operadoras e determinar a expansão de infraestrutura., o que vai gerar negócios para todo o ecossistema de Telecom. "Não apenas do 4G LTE tradicional, mas as redes NB-IoT também vão se diversificar, como também haverá a preparação para o 5G", aponta Bernardocki. O Ericsson Mobility Report projeta que o número de conexões de IoT celular alcançará 4.1 bilhões em 2024 – com crescimento anual de 27%.

A Ericsson descreve um modelo de evolução de IoT celular: os casos de uso básicos (como rastreamento e medição inteligente que utilizam IoT de Uso Massivo); usos mais sofisticados que se tornam possíveis com a IoT em Banda Larga (como entretenimento e informação em carros, realidade aumentada e virtual, drones e dispositivos vestíveis avançados), e a IoT para Operações Críticas (como veículos autônomos) e IoT de Automação Industrial (como, por exemplo, trabalho de robótica colaborativo em manufatura).

"Certamente os carros autônomos e o gerenciamento de robôs nas linhas de produção vão funcionar com o 5G, que oferece um atraso de rede muito pequeno e permitirá IoT em operações críticas", completa o diretor da Ericsson Brasil.  As soluções, anunciadas nesta quinta-feira, 31/01, já estão disponíveis para os clientes no País.


Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

21/03/2019
Mais de 400 mil ataques DDoS por meio de IoT aconteceram no 1º trimestre

19/03/2019
Chapecó, em SC, é a primeira cidade com rede própria de IoT da Vivo

19/03/2019
BNDES elege três municípios para serem transformados, via IoT, em cidades inteligentes

18/03/2019
TIM ativa rede NB-IoT com alcance de 100 Km em Goianésia, interior de Goiás

15/03/2019
Internet das Coisas é prioridade e vai muito além da oferta de conectividade

12/03/2019
Plano Nacional de Internet das Coisas precisa sair da retranca

27/02/2019
Com cobrança do Fistel, Anatel diz que IoT não acontece no Brasil

06/02/2019
IDC: Empresas brasileiras fazem mais do que falam sobre Internet das Coisas

04/02/2019
Por defesa cibernética, governo terá requisitos para Internet das coisas

31/01/2019
Ericsson quer massificar aplicações móveis de IoT

Destaques
Destaques

Para Ericsson, 5G vai fazer acontecer, de verdade, a indústria 4.0

Presidente da fabricante para a América do Sul, Eduardo Ricotta, diz que uma operadora com 50 Mhz a 80 Mhz terá espectro para oferecer bons serviços, especialmente, o da banda larga fixa móvel. "Há cidades no Brasil, com menos de 100 mil habitantes, com conexões de 2 Mbits. O 5G vai chegar oferecendo bem mais", observa.

5G vai gerar 15 milhões de novos empregos até 2025

O ecossistema 5G está em ebulição e demandará muita mão de obra, afirma o diretor da Huawei, Carlos Roseiro. Segundo ele, vão surgir aplicações, muitas ainda inimagináveis, nos próximos seis anos. "O 5G começa hoje. A frequência virá para dar mais capacidade", observa o especialista.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desvende 10 mitos sobre os cartões biométricos

Por Cassio Batoni*

Como toda nova tecnologia, os questionamentos sobre a sua segurança e e a sua confiabilidade ainda existem e são compreensíveis, mas ela veio para ficar. A impressão digital surge como a confirmação principal de que o usuário é quem diz ser.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site