SEGURANÇA

PF prende hackers que fraudavam cartões e vendiam aprovação em prova da OAB

Convergência Digital ... 04/06/2019 ... Convergência Digital

A Polícia Federal anunciou nesta terça, 4/6, a prisão de cinco pessoas acusadas de diversas fraudes com uso de tecnologia digital. Segundo a PF, a mesma quadrilha atuava em estelionato e fraudes, clonagem de cartões e invasão de bancos de dados.

Entre os crimes, os hackers conseguiram acessar o banco de dados da Fundação Getúlio Vargas e adulterar resultados do Exame da Ordem dos Advogados do Brasil, prova que dá direito ao registro como advogado profissional. De acordo com a PF, as notas eram alteradas diretamente no sistema da FGV após a segunda fase do exame. Para isso, cobravam em criptomoedas.

A polícia informou que a investigação, aberta há dois anos, identificou pelo menos duas pessoas que pagaram pela fraude no Exame da OAB. A operação contou com a colaboração tanto da própria FGV como da Ordem dos Advogados. Apurações continuam para identificar se as fraudes foram cometidas em outros concursos realizados pela mesma instituição.

Além das cinco pessoas presas, a PF indicou ter identificado outras duas pessoas que fazem parte do mesmo grupo. Os mandados de prisão foram cumpridos em São Paulo (um na capital e outro em Santos); dois no Rio Grande do Sul (em Santa Maria e Tapes) e outro no Ceará (Fortaleza). Os agentes também cumpriram cinco mandados de busca e apreensão.


NEC - Conteúdo Patrocinado - Convergência Digital
Multibiometria: saiba como ela pode cuidar da sua segurança digital

Plataforma Super Resolution, que integra espaços físicos e digitais, será apresentada pela primeira vez no Brasil no Futurecom 2018. Um dos usuários da solução é o OCBC Bank, de Cingapura. A plataforma permite o reconhecimento instantâneo das pessoas à medida que se aproximem da agência.

Clonagem do WhatsApp já atingiu 8,5 milhões de brasileiros

Segundo pesquisa realizada pela PSafe, essa modalidade de golpe faz 23 novas vítimas todos os dias no Brasil. Quase 30% dos entrevistados colocaram o vazamento das conversas como o principal prejuízo da clonagem.

Custo médio de uma violação de dados é de R$ 5,4 milhões no Brasil

Empresas brasileiras levam em, média, 250 dias para identificar a violação dos dados. De acordo com o diretor de Cibersecurity da IBM, João Rocha, as organizações enfrentaram a perda ou o roubo de mais de 11,7 bilhões de registros nos últimos três anos. Ataques maliciosos custam mais do que as violações por falhas humanas.

Em maio, Brasil teve mais de 140 milhões de ameaças disseminadas por e-mail

País fica no top 3 do ranking mundial, perdendo apenas para os Estados Unidos e a China, revela estudo feito pela Trend Micro.

Duas em cada três empresas querem Inteligência Artificial para evitar ataques hackers

Quase 70% das corporações admitem que não serão capazes de responder aos ataques cibernéticos sem o uso da IA. O levantamento global da Capgemini revela ainda que uma em cada cinco empresas admitem o impacto dos hackers e um prejuízo significativo nos negócios.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G